Will Power aproveita as oportunidades e vence em Portland

Will Power aproveita as oportunidades e vence em Portland

1
330
0
domingo, 01 setembro 2019
Fórmula Indy

Will Power espantou as críticas e termina a temporada de forma digna com mais uma boa vitória, após aproveitar os problemas de Josef Newgarden, Scott Dixon, Colton Herta e seus demais concorrentes durante a corrida. Ainda mais com um domingo ensolarado em Portland, tudo conspirou para uma boa corrida em 105 voltas de várias disputas e possibilidades na penúltima etapa da temporada 2019 da IndyCar Series. 

Por: Danilo Dias, de São Paulo, SP.

A corrida

Desde já, Graham Rahal logo na largada entrou forte na primeira curva e acertou Zach Veach, que acertou Conor Daly. James Hinchclicffe e Takuma Sato também se envolveram. Colton Herta manteve a pole.

Ao mesmo tempo, Josef Newgarden e Simon Pagenaud que brigam pelo título e largaram em posições ruins (13º e 18º respectivamente) caíram para o fim do pelotão na confusão, favorecendo Alexander Rossi que havia se livrado do enrosco e Scott Dixon que embora mais distante nos pontos, seguia em segundo.

Dessa forma, aproveitando a bandeira amarela, um bom grupo de pilotos foi aos boxes na volta 12. Sato, de todos os envolvidos no acidente inicial chegou a voltar para a pista, voltas atrás.

Relargada na volta 13

A princípio, após o reinício da prova tudo corria bem, entretanto já na volta 14 houve um toque entre Ryan Hunter-Reay e Jack Harvey, gerando nova bandeira amarela. Logo depois, Harvey reprovou com palmas irônicas a manobra esbaforida de Hunter-Reay, que mesmo assim ainda conseguiu voltar para a pista, embora muitas voltas atrás.

Logo, Rossi ganhou mais duas posições, já que vinha logo atrás deles. Hunter-Reay provocou o acidente tentando justamente segurar as investidas de Rossi, que tentava andar o mais a frente possível.

Relargada na volta 18

Newgarden começou a se recuperar e na volta 21 já ultrapassava Tony Kanaan para assumir a sétima posição. Rossi ainda era o quarto enquanto Pagenaud era apenas o décimo terceiro.

Pela liderança, Herta segurava Dixon. Mais atrás, Newgarden tinha vida difícil para ultrapassar Marco Andretti. O feitiço se voltou contra o feiticeiro quando Spencer Pigot aproveitou que Newgarden era limitado por Andretti e o ultrapassou, atrapalhando a vida do piloto da Penske. Já na volta seguinte, Pigot deixou Andretti para trás também. Na volta 33, enfim Newgarden conseguiu deixar Andretti para trás.

Na volta 37 Dixon assumiu a ponta e abriu vantagem para Herta que já não tinha um bom carro. Reflexo disso foi a queda em poucos instantes da primeira para a quinta posição em menos de uma volta. Power era o segundo, com Rossi em terceiro e Felix Rosenqvist em quarto.

Pagenaud parou na volta 39, tentando mudar algo em sua corrida que era fraca e o prejudicava na briga pelo título. Herta foi na volta 40. Dixon também foi na volta seguinte. Rosenqvist em sua parada conseguiu ganhar nos boxes a posição de Rossi.

Sebastien Bourdais liderava na volta 44, pois já tinha parado no início da prova, mas também entrou nos boxes. Entretanto, o  francês da Dale-Coyne teve problemas com o reabastecimento de seu carro que demorou muito.

Aproximando-se da metade da corrida, Dixon liderava com Power em segundo, Rosenqvist em terceiro, Rossi em quarto e Newgarden em quinto, cada vez mais próximo dos líderes.

Fim da linha para Dixon

Na volta 53, Dixon fez uma parada fora dos planos. O carro simplesmente parou antes de chegar aos boxes, ainda no Pit Lane. Dessa forma, Will Power assumiu a liderança e Dixon que ainda sonhava em lutar pelo titulo viu a situação ficar inviável. Três voltas depois, Dixon voltou para a pista mas já sem chances de lutar pela vitória.

Perto da volta 70, Herta ultrapassou Newgarden em disputa pela quarta posição. O carro do jovem piloto rendia muito após a troca de pneus. Andava rápido a ponto de chegar poucas voltas depois em Rossi, para brigar pela terceira posição. Antes de ultrapassar, entretanto, Herta foi aos boxes para fazer sua última parada.

Pagenaud, apagado na corrida, também foi aos boxes na mesma volta 73. Power que liderava também foi para a sua parada, juntamente com Rossi e Newgarden. Imediatamente, os pilotos da frente pararam todos muito próximos para colocar os pneus duros, que rendiam melhor em Portland.

Rosenqvist foi na volta seguinte. Com isso, os líderes da prova pararam e voltaram nas mesmas posições, com Power liderando, seguido de Rosenqvist, Bourdais (com estratégia diferente), Rossi, Herta e Newgarden.

Faltando 15 voltas para o fim, os pilotos estavam espaçados no circuito. Apenas Rossi e Herta andavam mais próximos, ainda com possibilidade de briga por posição.

Faltando oito voltas foi dada a bandeira amarela com a quebra de Santino Ferrucci em plena reta dos boxes. Os carros então se agruparam na pista atrás do safety car.

Faltando cinco voltas foi dada a relargada. Will Power não teve dificuldades para se manter na liderança e vencer pela trigésima sétima vez na carreira. Rosenqvist fez boa prova e completou em segundo. Rossi, Herta e Newgarden completaram os Top 5.

Sequência

A decisão do campeonato ficou para Laguna Seca, com Newgarden em ótimas condições de conquistar novamente o título da IndyCar. Embora a pontuação seja dobrada, o piloto da Penske tem uma enorme diferença para os rivais diretos. Mais de quarenta pontos o separa de Rossi e Pagenaud.

Para Dixon a distância é ainda maior. E embora tenha vencido, Will Power só tem condições de chegar até o vice-campeonato. Em suma, a decisão portanto ficou para Monterey, no Laguna Seca Raceway. A corrida está marcada para o próximo dia 22.

Foto em destaque: IndyCar.com/Chris Owens

Danilo Dias

Danilo Dias é formado em Tecnologia em Futebol, pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte e atualmente é estudante de Direito. Apaixonado por futebol, aficionado por automobilismo[...]

76 posts | 0 comments

Comments are closed.