VAR: você é contra ou a favor?

VAR: você é contra ou a favor?

Like
271
0
domingo, 04 agosto 2019
Toque de Letras

Será que o VAR no futebol causa muita polêmica? Desde que o esporte foi criado para entreter e divertir os seus amantes aqui na terra, um vilão, dentre todos os personagens que fazem parte do espetáculo, foi eleito com absoluta unanimidade. E tal personagem, é um dos mais importantes, para que uma partida de futebol aconteça. Entretanto, quanto mais desapercebido ele passar, o jogo fica melhor; porém, nem sempre isso acontece. E quem é a personagem?

Por: Ivan Marconato, de São Paulo, SP.

Não é um goleiro, tampouco um artilheiro, mas aquele que tem o uniforme diferente de todos os 22 atletas que estão correndo atrás da bola. De fato, ele corre tanto quanto os demais. É o árbitro do jogo. E além do juiz da partida, temos agora o uso da tecnologia, com o árbitro de vídeo, popularmente chamado de VAR.

Pobre árbitro

Em muitas oportunidades, o juiz da partida é devidamente “homenageado” com a voz uníssona da arquibancada. Todavia, nem mesmo os filhos, irmãos, esposa ou até mesmo, a mãe do pobre árbitro é poupada pelos torcedores. Entretanto, por outro lado, visando aumentar o senso de justiça, e também poupar aquelas que, pouco ou coisa nenhuma, tem a ver com os acontecimentos do gramado. A FIFA, tardiamente a meu ver, resolveu usar recursos tecnológicos para que o olho humano do árbitro analisasse os lances de maneira mais justa. Em suma, foi aí que surgiu o árbitro de vídeo no futebol.

Americanos e europeus foram os pioneiros na implementação do VAR

Uma das primeiras competições em que o árbitro assistente de vídeo foi utilizado ocorreu em agosto de 2016. A United Soccer League introduziu o sistema num jogo entre duas equipes da Major League Soccer, nos Estados Unidos. O árbitro Ismail Elfath analisou duas faltas na partida. Porém, após consultar o vídeo, o árbitro assistente Allen Chapman decidiu emitir um cartão vermelho e um cartão amarelo.

Nas competições internacionais, o árbitro assistente de vídeo apareceu pela primeira vez na Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2016. Assim permitindo que os árbitros principais revissem as jogadas. A A-League, na Austrália, foi a primeira a usar o sistema VAR num jogo de liga profissional, em 7 de abril de 2017. No mesmo ano, a Major League Soccer, dos Estados Unidos, introduziu o VAR nas competições. Na Europa, a primeira Liga em que o VAR foi utilizado foi a Bundesliga.

A Alemanha introduziu o sistema na temporada 2017–18. Depois, o Campeonato Italiano de Futebol aderiu ao sistema na disputa da Série A de 2017–18. O sistema foi introduzido em Portugal em 2017, na final Taça de Portugal na temporada 2016–17. O VAR também foi utilizado em solo lusitano durante a Supertaça Cândido de Oliveira de 2017 e, finalmente, na Primeira Liga de 2017–18. A FIFA, após todas essas competições, popularizou de vez o sistema durante a realização da Copa do Mundo do ano passado.

No Brasil

No Brasil, a tecnologia foi usada pela primeira vez durante o Campeonato Pernambucano de 2017. A Confederação Brasileira de Futebol adotou a tecnologia para 380 jogos do Brasileirão deste ano. Mas e você torcedor, acredita que a utilização do árbitro de vídeo é realmente a melhor maneira encontrada para minimizar possíveis injustiças cometidas pela arbitragem durante uma partida de futebol?

VAR analisa lance polêmico com o uso da tecnologia.

Árbitro de vídeo analisa lance polêmico com o uso da tecnologia. Foto: CBF Site Oficial

Vôlei e tênis também são esportes adeptos ao uso da tecnologia

O sistema ainda depende muito da interpretação humana, ao contrário do tênis e do vôlei, por exemplo; em que a imagem fria confirma se a bola foi dentro ou fora da quadra. No futebol, a interpretação individual do juiz para determinados lances ainda é preponderante, tendo em vista que o árbitro é o único responsável por dar o veredito final, depois de analisar o vídeo.

Outro aspecto que merece ser destacado, é o tempo em que o árbitro leva para decidir. Afinal, é muito estranho observar a atitude de torcedores nas arquibancadas, e também os narradores nas cabines de transmissão aguardando a análise da arbitragem para depois soltar o grito de gol, por exemplo. Ou então, no caso dos torcedores, amplificar o xingamento ao “homem de preto” e seus assistentes.

No sentido de justiça, a criação do árbitro de vídeo foi uma decisão acertada. Entretanto, há quem diga que o VAR veio para destruir de vez a emoção nos campos de futebol. Afinal, como fica a polêmica da segunda feira, no trabalho, no restaurante e nos botequins da vida?  Creio que as discussões não serão pautadas apenas se foi ou não pênalti, ou se esse ou aquele atleta estava realmente em posição de impedimento. A partir de agora, a conduta do árbitro ficará em evidência em relação aos torcedores, cuja polêmica será se aquele lance era passível ou não, de ser analisado pelo árbitro de vídeo.

Foto: Paulo Arnaldo / Poliesportiva

A polêmica do VAR está criada

Mas a polêmica do VAR não acaba aí.  Um engenheiro boliviano entrou em rota de colisão com a CBF sobre o sistema.  Fernando Mendes Rivero alega que é o “inventor” do mesmo. Há dez dias, Rivero entrou com uma ação na justiça contra a CBF. O engenheiro pleiteia que a CBF apresente o registro jurídico do VAR, coisa que Rivero fez na Bolívia em 2005.  Mas a CBF se defende, alegando que o pioneirismo da criação da ferramenta pertence à ela, já que a ideia foi sugerida por Manoel Serapião Filho há cerca de 20 anos.

Porém, o boliviano pede à entidade, uma indenização de US$ 500 mil. Se já não bastassem as polêmicas dentro de campo. É o VAR também em evidência na esfera jurídica. Mas uma coisa é certa. A ferramenta veio para minimizar erros e implementar a justiça nas arenas esportivas. E você, torcedor, é contra ou a favor do VAR?

Foto em destaque: Confederação Brasileira de Futebol (CBF)- Site Oficial

Ivan Luis Marconato Rocha

Ivan Luis Marconato Rocha

Jornalista profissional diplomado desde 1998, e pós graduado em Jornalismo esportivo e negócios do esporte. Atua em webrádio desde 2012. Já trabalhou em jornal de bairro, e por 10 anos na NET Serv[...]

311 posts | 3 comments

Comments are closed.