TOP 8 – Melhores Lutadores do UFC em 2020

TOP 8 – Melhores Lutadores do UFC em 2020

7
1409
0
segunda-feira, 04 janeiro 2021
UFC

Antes de mais nada, apesar de todas adversidades, 2020 foi mais um ano de muito MMA. E do mesmo modo que fizemos o TOP 8 feminino, vamos agora com nossa lista dos melhores lutadores de divisões masculinas do UFC em 2020. Portando, vamos apresentar nosso ranking, seguindo os mesmos critérios adotados para divisões femininas: Resultados, performances, frequências de luta e um pouco do histórico dos atletas. Vamos aos 8+ da Rádio Poliesportiva.  

Por: Diego Piñeyrua Neto, do Rio Grande do Sul

#8 – GLOVER TEIXEIRA

Inicialmente, começamos o nosso ranking de Melhores Lutadores do ano com o nosso mineiro de Sobrália, Glover Teixeira. O “Balboa Brasileiro” vive grande fase no UFC, no auge de seus 41 anos. Prova de que idade não é documento no MMA. Em plena forma física, Glovão teve um 2020 incrível e não poderia ficar de fora de nossa lista de melhores lutadores do ano. Primeiramente, em um combate que lhe rendeu o bônus de Performance da Noite, venceu Anthony Smith em maio, via nocaute técnico. Em seguida, tornou-se o recordista em vitórias via finalização da história dos meio-pesados, ao derrotar o compatriota Thiago Marreta com um mata-leão, em novembro. Glover estava na expectativa de receber o title-shot da divisão. Contudo, o UFC optou pela “super-luta” entre os campões, Blachowicz e Adesanya, o que acabou adiando um pouco o sonho do brasileiro.

#7 – JAN BLACHOWICZ

Nascido em Cieszyn, o polonês Jan Błachowicz chegou ao auge de sua longa carreira, aos 37 anos. Logo, também garantiu uma vaga entre os melhores lutadores em 2020. Mais do que isso, conquistou o cinturão que esteve por anos nas mãos de Jon Jones. Entretanto, o polonês não precisou derrotá-lo. Em fevereiro, Blachowicz venceu Corey Anderson, via nocaute, o que lhe garantiu um lugar na luta que valeria a disputa do cinturão vago da divisão. Jones havia decidido abandonar os meio-pesados e subir para os pesados. Dessa forma, a chance veio em novembro. O adversário e favorito Dominick Reyes era seu oponente. Entretanto, o polonês não tomou conhecimento de seu rival e venceu o combate via nocaute técnico no 2º round. Saiu do octógono com a ”Performance da Noite”, e o cinturão peso meio-pesado do UFC.

#6 – KHAMZAT CHIMAEV

Indiscutivelmente, um dos grandes fenômenos do ano foi o “Lobo”, Khamzat Chimaev. O checheno fez três lutas em apenas dois meses. Venceu John Phillips, Rhys Mckee e Gerald Meerschaert. Todas as vitórias foram decidias por nocaute ou finalização. Como resultado, o Lobo garantiu o bônus de ”Performance da Noite” nos três combates. O estrondo foi tão grande que ele acabou ingressando no top 15 dos meio-médios e já estava escalado para encabeçar a luta principal de um Figth Nigth em janeiro (2021), contra Leon Edwards, o número quatro do ranking. Contudo, a luta acabou caindo. Para Dana White, Chimaev é um dos maiores talentos já vistos no MMA e por isso, é uma das grandes apostas da organização para o ano que chega.

#5 –  GILBERT DURINHO

As ótimas performances do tri campeão mundial de jiu jitsu, Gilbert Durinho, levaram o atleta de Niterói a posição de número dois no ranking dos meio-médios. Gilbert não escolhe adversários, está sempre pronto para o combate e vive grande fase. Dessa forma, foi conquistando espaço na organização. No ano anterior, foram três lutas e três vitórias. Além de seu indiscutível talento, Gilbert passou a “jogar o jogo” do UFC, pedindo adversários e provocando seus rivais nas redes sociais. Encarou Demian Maia, em março. Com um cruzado de esquerda, venceu a luta. Passou a desafiar o até então número um da divisão, Tyron Woodley. A insistência surtiu efeito, e a luta ocorreu em maio. Domínio absoluto do brasileiro. Vitória por decisão unânime e bônus de ”Performance da Noite”. Assim, Dana White garantiu a ele o confronto contra o campeão Kamaru Usman, que deve ocorrer em março (2021).

#4 – KEVIN HOLLAND

Antes de mais nada, um dos maiores nomes do ano de 2020 e que não poderia faltar da nossa lista de lutadores do ano é Kevin Holland. O atleta de 28 anos, nascido em Riverside, Califórnia, decolou de vez na organização. Afinal, foram cinco lutas e cinco vitórias. Em maio, derrotou Anthony Hernandez, via nocaute técnico com apenas 39 segundos de luta. Posteriormente, derrotou Joaquin Buckley em agosto. Darren Stewart em setembro. E Charlie Ontiveros em outubro. Sendo assim, o “grand finale” veio em dezembro, com um nocaute acachapante sobre o brasileiro Ronaldo Jacaré no 1º round. Ao passo que, essa vitória colocou o atleta da Phalanx MMA Academy na décima posição no ranking dos médios. O norte-americano de 28 anos faturou três bônus de ”Performance da Noite” em 2020.

#3 – CHARLES DO BRONX

Ocupando o posto de número três em nosso TOP 8 de melhores lutadores do ano, o maior finalizador da história da organização, com 14 no total, teve mais um brilhante ano no UFC. O Faixa preta em jiu-jítsu teve apresentações de gala. Assim, o atleta da Chute Boxe encerra o ano de 2020 com uma sequência de oito vitórias consecutivas, e na terceira posição no ranking peso-leve. Aos 31 anos, natural de Guarujá, o paulista Charles do Bronx vive o melhor momento de sua carreira. Venceu Kevin Lee em março, ao seu melhor estilo. Uma linda guilhotina juntamente com o bônus de ”Performance da Noite”.

Posteriormente, o grande salto em sua carreira. O duelo contra um dos maiores nomes do UFC, Tony Ferguson. Charles “chocou o mundo” com um show no octógono. Dominou completamente o El Cucuy e assim garantiu a vitória por decisão unânime. Entretanto, o ano de 2021 tem tudo pra ser ainda melhor para Do Bronx, que está a um passo de se tornar o próximo desafiante ao cinturão do leves.

#2 – ISRAEL ADESANYA

Chegamos a reta final do nosso ranking de melhores lutadores do ano e não poderíamos deixar de fora o nigeriano, Israel Adesanya. Inicialmente, o atual campeão linear do peso-médio teve uma performance discreta contra Yoel Romero em março. Venceu o combate por decisão unânime, mas sofreu duras criticas pela maneira que se portou no octógono. Por outro lado, foi em novembro que “StyleBender” mostrou o porque é considerado um dos campeões mais dominantes da atualidade.

Num dos duelos mais esperados do ano, dominou amplamente o brasileiro Paulo Borrachinha, e venceu o duelo via nocaute técnico no 2º round. Em suma, foi mais um grande ano de Adesanya e seu próximo passo será na divisão de cima, onde irá enfrentar o campeão meio-pesado Jan Blachowicz, em março (2021). Tentando assim se tornar mais um no seleto grupo de lutadores a conquistar dois cinturões simultâneos do UFC.

#1 – DEIVESON FIGUEIREDO

No topo do nosso ranking, só poderia ser ele, o Deus da Guerra. Não só pelas quatro performances avassaladoras no ano, mas também pelo resgate de uma divisão que estava prestes de ser eliminada do UFC. Inicialmente, assim que o cinturão dos moscas ficou vago, com a subida de Henry Cejudo para os Galos, o Ultimate marcou Deiveson Figueiredo vs Joseph Benavidez para fevereiro. O brasileiro não bateu peso. Isso abalou ainda mais a divisão. Contudo, com uma performance de gala, o brasileiro nocauteou Benavidez no 2º round. O cinturão não veio e uma nova luta foi marcada para julho. Dessa vez, Daico não falhou na balança e muito menos no octógono. Mais um show do God of War, que aplicou um mata-leão no final do 1º round e garantiu o título peso mosca. Enfim, o Brasil voltava ao topo de uma divisão masculina do UFC depois de 4 anos.

Entretanto, o ano de Deiveson não parou por aí. Sua primeira defesa de cinturão ocorreu em novembro, quando finalizou Alex Perez no 1º round. Na saída do octógono, o paraense pediu a Dana White e levou. O presidente do UFC marcou mais uma luta para o brasileiro 21 dias depois, contra Brandon Moreno. Contudo, Figueiredo sofreu problemas sérios no corte de peso, mas mesmo assim subiu ao octógono em dezembro. Todavia, um golpe ilegal tirou um ponto do brasileiro e com isso a sua vitória. Os juízes decidiram por empate majoritário. Porém, foi um duelo incrível, garantindo o bônus de ”Luta da Noite”.  Ainda assim, para muitos, foi a maior luta da divisão dos moscas até hoje.

Foto destaque: Reprodução/BRWLRZ

Diego Piñeyrua Neto

Diego Piñeyrua Neto

Natural de Bagé, Rio Grande do Sul. Pai do Martín e Valentina. Administrador de Empresas. Aficionado por MMA. Criador do @ufcoctogono no Instagram, com único objetivo de divulgar o esporte. Grêmio[...]

10 posts | 0 comments

https://www.instagram.com/ufcoctogono/

Comments are closed.