salto em altura

4 EstilosAce HistóricoAlém da 12AmeriCupAnálise de ChaveAo vivoAtletismoATP 250ATP 500Australian OpenAutomobilismoBasqueteBasquete BrasileiroBasquete FemininoBasquete pelo MundoBlind SideBoxeBrasileirão Série ACampeonato BrasileiroCampeonato CariocaCampeonato Carioca FemininoCampeonato Carioca MasculinoCampeonato PaulistaCampeonato Paulista FemininoCampeonato Paulista FutsalCampeonato Paulista MasculinoChampions League das AméricasClássicos da Fórmula 1ColunasCopa do BrasilCopa do Mundo da FIFACopa Sul-AmericanaDesbravando LendasDiário de Bordo PoliesportivoDraft NBADraft NFLEntrevistasEstaduais & RegionaisFórmula 1Fórmula 2Fórmula 3Fórmula EFórmula IndyFutebol AmericanoFutebol Americano BrasileiroFutebol Americano PaulistaFutebol BrasileiroFutebol FemininoFutebol InternacionalFutsalFutsal InternacionalGarrafão Verde-AmareloLBFLibertadoresLiga das NaçõesLiga das Nações FemininaLiga das Nações MasculinaLiga NacionalLiga PaulistaLiga Sul-AmericanaLutasMasters 1000MMAMoto GPMotoENascarNataçãoNBANBBNFLNotícias Extra-CampoNotícias TênisOutros EsportesParadesportoPaulistãoPoder FemininoPolimotorPolo AquáticoSeleção BrasileiraSeleção Brasileira Basquete FemininoSeleção Brasileira Basquete MasculinoSeleção Brasileira FemininaSeleção Brasileira MasculinaSkateStep-back pela históriaStock CarSuper AçãoSuperliga FemininaSuperliga MasculinaSurfTênisToque de LetrasTransferências BrasilTransferências NBAUFCUS OpenVelaVôleiVôlei de PraiaVôlei InternacionalW SeriesWNBA
De morador de rua a paratleta de dardo: conheça José Roberto Alves
Colunas

José Roberto Alves, com 62 anos, nascido Santo Anastácio-SP, e vivendo na cidade de Barra Velha-ES tem deficiência visual desde quando era rapaz e agravou quando teve derrame cerebral. Tem somente 8% da visão dos dois olhos e, mesmo assim, se tornou paratleta. Por: Ana Bracarense, de Uberaba. “Quando criança eu tive muita dificuldade porque eu nasci sem pai. Só eu e minha mãe e na adolescência eu vivi pela casa dos parentes, até aos 14, 15 anos”, diz José...

1
1020
0
quinta-feira, 09 julho 2020
Salto em altura: Nildiomar segue seu ídolo e vira paratleta
Entrevistas

Nildiomar Cesar da Silva, nascido e ainda vive em Itajaí, teve um acidente de trabalho com 14 anos. Hoje atua como paratleta em salto em altura por causa de seu ídolo Flávio Reitz. A única dificuldade que ele teve foi a adaptação. Nasceu com duas pernas e, da noite para o dia, perdeu. Foi bem complicado. Mas também por causa do equilíbrio do tupiza “pezinho falso”, pois quando escorrega no meio da rua, fica sem jeito e com medo dos...

2
1981
0
sábado, 09 novembro 2019