SESI bate o Juiz de Fora e cola no vice-líder da Superliga

SESI bate o Juiz de Fora e cola no vice-líder da Superliga

Like
1858
0
sexta-feira, 10 março 2017
Superliga Masculina

Pela Superliga Masculina de Vôlei na noite de quinta (9), o SESI recebeu o JF Vôlei na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo, em jogo válido pela décima rodada da competição. Enquanto os paulistas buscavam uma aproximação dos líderes SADA Cruzeiro e Taubaté FUNVIC (primeiro e segundo colocados respectivamente), o time de Juiz de Fora procurava se consolidar nas posições intermediárias da tabela buscando ficar mais próximo da classificação para a próxima fase.

Num jogo de muitos erros das duas equipes principalmente a partir do segundo set, se sobressaiu quem errou menos e acertou suas falhas de forma menos lenta durante a partida. O SESI, mesmo cometendo erros em excesso durante boa parte da partida, venceu o time de Minas Gerais graças à irregularidade do visitante e a recuperação pontual na partida a partir do terceiro set. Theo, Riad e Pureza fizeram boas partidas num dia em que o bom oposto Renan, pelo time do Juiz de Fora, esteve irregular e aquém das expectativas.

Primeiro set – 25 a 16

O time do SESI começou o jogo apostando nos bloqueios contra os ataques da equipe mineira, enquanto o Juiz de Fora apostava nos ataques diagonais para marcar seus pontos. Nos bons saques de Riad, a equipe do Juiz de Fora tinha dificuldade em devolver com qualidade, parando nos bloqueios do SESI. Porém, alguns erros do time da casa permitiram que a equipe do visitante se mantivesse sempre próximo no placar até a metade do set.

O SESI, sutilmente superior, conseguiu se manter a frente do placar até o meio do set sem grandes problemas se aproveitando também dos erros da equipe mineira, que apesar de aguerrida, teve um bloqueio pouco eficiente e falta de inspiração perceptível vinda de seus principais jogadores. O gigante Renan, de 2,17m, pouco aproveitou suas qualidades nas finalizações dos pontos.

A partir daí, os paulistas conseguiram controlar a vantagem que aumentava gradativamente durante o set. O Juiz de Fora não corrigiu seus erros principalmente na recepção, muito por méritos da equipe do SESI que tinha muita qualidade nos saques e diagonais de Théo. Concluído por 25 a 16, o JF fez um dos sets mais ineficientes da equipe na edição 16/17 da Superliga até então.

Segundo set – 21 a 25

Na seqüência da partida, o JF mostrava-se disposto a reagir no jogo, abrindo três a zero no início do set. O SESI tentou uma reação logo na seqüência e equilibrou o jogo, mas o Juiz de Fora se apresentava mais disposto em relação ao primeiro set, dificultando a vida do time da casa, que encontrava uma nova equipe adversária neste momento do jogo.

Na volta da parada técnica, o SESI começou a forçar o saque contra o JF, que para manter a diferença de pelo menos dois pontos no placar, investia na exploração dos pontos fracos do time da casa. Erros de recepção, conclusões erradas, bloqueio se tornando ineficiente e até uma invasão por parte do SESI, caracterizaram a seqüência de erros que mantiveram o Juiz de Fora na ponta do placar. O placar já marcava SESI 11, JF Vôlei 17. O SESI encontrava enormes dificuldades para acertar-se em quadra, quando houve outra parada técnica.

A diferença de pontos era grande, mas o SESI ainda buscava reativar suas maiores qualidades em quadra. Quando o bloqueio voltou a funcionar e os ataques voltaram a entrar, o SESI encostou. De seis, a diferença caiu para dois pontos. Foi quando Rodrigo do JF alegou dores, inteligentemente esfriando o fim do set. Aproveitando o momento, Renan começou a carimbar a quadra do SESI até fechar o set em 21 a 15.

Terceiro set – 25 a 21

O terceiro set começou equilibrado, com as duas equipes explorando as diagonais. O Juiz de Fora, num dia muito irregular, desperdiçava boas chances de se colocar numa boa situação dentro da partida. O SESI, também distante dos seus melhores dias, equilibrava a partida que por erros das duas equipes, sofreu uma queda de qualidade. Boas jogadas eram desperdiçadas em péssimas definições.

SESI e JF foram ao tempo técnico em 10 a 7 para o mandante. Na volta, o Juiz de Fora distribuía pontos ao SESI, que jogava em função dos vários erros do adversário. O técnico Henrique Furtado parou o jogo novamente e tentou arrumar o time mineiro, que voltou a quadra ainda cometendo falhas e permitindo que o time da casa ganhasse uma boa vantagem nos pontos. O SESI soube equilibrar seu jogo e manter a vantagem que tinha sobre o Juiz de Fora.

 

Porém, o time mineiro esboçou sua reação trazendo uma vantagem do SESI de seis pontos para apenas três. O técnico Marcos Pacheco parou o jogo para organizar novamente o time da casa, que voltou a ter a vantagem. O JF reclamou de faltas não marcadas contra o SESI, lutou contra o forte bloqueio e foi valente até aproximar a pontuação novamente, mas não houve como se recuperar de tantas falhas. O SESI fechou o terceiro set em 25 a 21.

Quarto set – 25 a 16

O início do quarto set não fugiu da tônica da partida. Equilíbrio durante o começo, erros oriundos dos dois lados e chiadeira pra cima do árbitro, que amarelou o oposto Renan, já que freqüentemente este reclamava da arbitragem desde o set anterior. O SESI aos poucos parecia demonstrar que tinha mais qualidade para fechar o jogo, abrindo cinco pontos de vantagem sobre o adversário.

Mais uma vez o SESI fazia a sua vantagem, levando o set a 17 a 10. O time do Juiz de Fora continuava muito irregular nas conclusões, demonstrando cansaço perante um SESI que havia corrigido seus erros durante a partida.

O SESI, após vários erros durante toda a partida (o que lhe custou um set perdido) se acertou e foi bastante superior em relação ao time do Juiz de Fora, que foi ineficiente durante boa parte do set como não havia sido durante toda a partida. A vantagem manteve-se entre cinco e sete pontos até ser fechado o set entre bons lances e erros coletivos em 25 a 18, concretizando a vitória do SESI por 3 sets a 1.

Classificação

O SESI chegou a 49 pontos e se mantém na cola do Taubaté, vice-líder da competição, agora por apenas dois pontos de diferença. Já o Juiz de Fora Vôlei ficou nos 29 pontos, mas manteve-se no sétimo lugar.

Na próxima rodada o SESI vai ao Paraná enfrentar o lanterna da competição, o Caramuru de Castro, tendo como obrigação trazer os pontos para manter-se na briga pela segunda posição. Já o Juiz de Fora recebe o vice-líder Taubaté, buscando se manter nas posições que dão classificação aos playoffs. As duas partidas acontecem as 21:30, no sábado (11).

Confira também:
Momentos finais de Sesi X Juiz de Fora 

 

Foto de capa: Gaspar Nobrega/Inovafoto/CBV

 

Por Danilo Dias

Paulo Arnaldo do Amaral Lima

Paulo Arnaldo, paulista, CEO da Poliesportiva, jornalista, apresentador e narrador esportivo. Conhecido no meio jornalístico como P.A., Paulo Arnaldo tem vasta experiência desde 2008 no jornalismo e[...]

555 posts | 2 comments

Menu Title