Salto em altura: Nildiomar segue seu ídolo e vira paratleta

Salto em altura: Nildiomar segue seu ídolo e vira paratleta

2
1606
0
sábado, 09 novembro 2019
Super Ação

Nildiomar Cesar da Silva, nascido e ainda vive em Itajaí, teve um acidente de trabalho com 14 anos. Hoje atua como paratleta em salto em altura por causa de seu ídolo Flávio Reitz. A única dificuldade que ele teve foi a adaptação. Nasceu com duas pernas e, da noite para o dia, perdeu. Foi bem complicado. Mas também por causa do equilíbrio do tupiza “pezinho falso”, pois quando escorrega no meio da rua, fica sem jeito e com medo dos outros rirem.

“Minha família sempre me apoiou. Principalmente com relação aos esportes até porque eu perdi a perna muito cedo. E para eu não entrar em depressão, eu comecei na academia”, contou.

Foi na academia que Nildiomar conheceu sua treinadora, Marisa Ferreira. Assim, ela foi a responsável por lhe apresentar o tênis em cadeira de rodas. Depois disso competiu nas Paralimpíadas Escolares e foi onde se encantou pelo esporte. Entretanto, viu que muitas pessoas têm problemas maiores do que o dele e estavam competindo.

“Não tem porque eu estar chorando, sofrendo. Eu tenho vida muito boa e Deus é maior do que tudo. Ele lhe dá um fardo conforme você pode caminhar. Não adianta sofrer, chorar por algo que já aconteceu e sim buscar viver a cada dia mais”, exclamou.

O esporte e Nildiomar

O esporte apresentou-o que viver é sair, se divertir e conhecer pessoas novas. É se dedicar por aquilo que a pessoa quer acima de tudo e que não importa o que os outros dizem. Mas a pessoa não vai ser nada na vida se não acreditar em si mesma, e Nildiomar acredita em si. Assim, hoje está entre os melhores do Parajasc (Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina). Seu primeiro esporte foi no tênis em cadeira de roda, mas por causa de seu ídolo se chamar Flávio Reitz e lhe ensinar a ter amor ao esporte que faz, também resolveu ir para a modalidade de salto em altura.

“Muitas pessoas reclamam da vida, mas Flávio por ser amputado de uma perna, me mostrou que dá sim para fazer salto em altura. Nele, mesmo sendo amputado, com muita força e com muita dedicação consigo superar meus limites”, contou.

Mudança para Salto em Altura

Hoje em dia, no salto em altura, Nildiomar treina juntamente com Flávio Reitz e o seu técnico se chama Sidney, onde lhe ensinou tudo que sabe hoje. E foi o Flávio Reitz que lhe mostrou que podem ser mais do que só deficientes físicos, que todos podem ser atletas de seleção brasileira. Não é qualquer pessoa que decide largar tudo para ser atleta, pois tem que ter dedicação, tem que ter esforço, tem que querer. Se a pessoa não querer, não tem o porquê continuar e Flávio mostrou a Nildiomar o porquê ele quer e os objetivos. Porém, o objetivo é entrar na seleção brasileira.

“Já fazem seis anos que eu estou no salto em altura. No começo eu pesava 92 kg, conforme foi passando o tempo, eu fui criando amor ao esporte e também às pessoas que eu acabava conhecendo, conectadas ao esporte. Então eu fui para academia, me dediquei bastante e eu consegui chegar aos 62 kg”, desabafou.

Já está três anos consecutivos no salto em altura, ganhando medalhas de ouro e pretende estar entre os melhores do mundo. Sabe que vai demorar um pouco, mas logo logo um sonho se realiza: “Hoje lute pelos seus objetivos, nunca deixe ninguém lhe colocar para baixo, siga em frente, lute pelos seus sonhos acima de tudo”, finaliza.

LEIA MAIS

Conheça o paratleta que amputou uma perna mas já passou por várias modalidades

Ana Bracarense

Ana Bracarense

19 posts | 0 comments

Comments are closed.