Rumo à Europa, Débora Costa fala sobre importância da LBF

Rumo à Europa, Débora Costa fala sobre importância da LBF

1
278
0
segunda-feira, 24 agosto 2020
Basquete Feminino

Pronta para fazer sua estreia no exterior, Débora Costa garantiu que a Liga de Basquete Feminino (LBF) é essencial. Ademais, a armadora declarou que a competição é uma vitrine e que, dessa maneira, pode dar visibilidade a jogadoras. 

Por Danyela Freitas, Goiânia-GO

A atleta faz parte da Seleção Brasileira e também do SESI Araraquara. Na temporada de 2019, pela equipe paulista, Débora participou de 21 jogos na LBF. Dessa forma, chegou a mais de 36 minutos por jogo, em média. Além disso, conseguiu médias de 11.6 pontos e 5.86 assistências por partida. Logo, teve eficiência de 13.14.

A LBF é essencial para dar continuidade e crescimento ao basquete feminino no Brasil. É o mais importante e maior campeonato nacional. Com sua função de dar visibilidade à competição, com marketing, comunicação, transmissões online e entrega para a televisão, podemos levar o basquete feminino para um número maior de pessoas. Dessa maneira, buscamos atrair novas equipes, investimentos e patrocinadores, além do grande papel de influenciar meninas e meninos para prática do esporte, fortalecendo a modalidade como um todo”, afirmou Débora ao site Olimpíada Todo Dia.

Débora rumo à Europa

A armadora fica no Araraquara até final deste mês. Posteriormente, segue para a Suécia, onde defenderá as cores do Luleå Basket. Antes de fechar acordo com a equipe sueca, o empresário da atleta revelou que Débora teve propostas de equipes da WNBA.

Entretanto, agente Fábio Jardine afirmou que as ofertas não eram tão boas. Em suma, a WNBA é uma das ligas mais importantes para o basquete feminino. Ademais, a competição conta somente com uma brasileira: Damiris Dantas, do Minnesota Lynx.

Precisamos muito de patrocinadores. A CBB (Confederação Brasileira de Basquete), a liga e os clubes estão fazendo o papel deles de buscar investimento, mas é difícil, e isso não é de hoje. O que poderia nos ajudar muito é o apoio das empresas nos geral. Com certeza, isso refletiria positivamente no nosso dia a dia. […] O momento do esporte em geral é complicado, estamos em meio a uma pandemia e, infelizmente, o esporte, assim como a maioria dos setores, foi afetado. O basquete feminino vem conseguindo se manter, estamos em crescimento e unidas em ajudar a modalidade a evoluir”, garantiu Débora.

Por fim, a armadora brasileira comentou a respeito da desigualdade entre homens e mulheres no esporte. Débora também fez um apelo para as empresas e pediu apoio ao basquete feminino.

Infelizmente essa desigualdade [entre homens e mulheres] ainda existe. A nossa realidade no dia a dia é muito diferente. Salários, estrutura, investimento em equipes adultas e categorias de base, patrocínios individuais e coletivos, visibilidade, número de torcedores no ginásio, enfim. Isso ainda é muito discrepante. Gostaríamos que as empresas e marcas passassem a olhar nossa modalidade com mais carinho, apoio e investimento também para nós”, finalizou a atleta.

Foto destaque: Divulgação/FIBA

Danyela Freitas

Danyela Freitas

Sou goianiense, graduada em Letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG), pós-graduada em Jornalismo Esportivo pela Estácio-SP e tenho três grandes paixões: a escrita, a leitura e o esporte (n[...]

127 posts | 0 comments

Comments are closed.