Reims, só para corajosos.

Reims, só para corajosos.

1
1028
0
quarta-feira, 28 setembro 2016
Automobilismo

Peter Arundell chegou em quarto no GP de 1964. Foto: The Cahier Archive.

Uma corrida de F-1 em 1969 marcou a despedida de Reims do calendário internacional de GPs. Apesar de suas arquibancadas vazias e boxes ultrapassados, o circuito consegue ser mais apaixonante que Mgny-Cours ou Paul Ricard. Localizado no norte da França, Reims possui uma aura que envolve de imediato quem gosta da era romântica do automobilismo heróico do passado. Por exemplo, lá não tinha muro separando os boxes da pista principal. Os pilotos só tiravam o pé do acelerador, embicavam á direita e faziam o pit stop nesta pista de 8.300 metros.

Foi lá que em 1958 morreu o ex-piloto da Ferrari Luigi Musso. Também foi lá que nos treinos para o GP da França de 1966, Jim Clark foi atingido no rosto por um pássaro, e o bi-campeão mundial não disputou a corrida. Foi lá, também, que aconteceu uma das maiores corridas de F-1 dos anos 50! O GP da França de 1953!

Jean Behra, piloto da Ferrari, não terminou o GP de 1959. Foto: The Cahier Archive.

José Frolian Gonzales optou por largar com meio tanque, querendo se distanciar o suficiente para fazer um pit stop, já que os outros não parariam, pulou para a liderança. Na metade da corrida já estava com 20 segundos de vantagem, mas isto não era suficiente. Logo atrás vinha uma longa fila de carros, com Ascari, Villoresi, Farina, Marimon e Hawthorn brigando por posições. Quando Gonzales foi fazer o pit stop a briga pelo primeiro lugar ficou apenas entre Fangio e Hawthorn. Os dois estavam lado a lado nas longas retas de Reims, e acenavam um para o outro, mostrando que estavam apreciando cada momento. Atrás e distante do vácuo vinham Gonzales e Ascari, tentando se aproximar mas acabavam se atrapalhando na tentativa de ultrapassar um ao outro. Na volta final, Hawthorn, abriu uma pequena vantagem e ainda estava na liderança quando entrou na temida curva Thillois. Ele superou Fangio na linha de chegada em 01 segundo. Em terceiro chegou Gonzales seguido de Ascari, em quarto lugar.

Foi em Reims também que, o italiano Luigi Fagioli, com uma Alfa Romeo venceu em 1951 o GP da França, o detalhe é que ele tinha 53 anos de idade e é o mais velho vencedor de corrida da categoria. Heroismo, sangue e vitórias, Reims foi palco de grandes decisões e tragédias cuja história se confunde com as lendas. Bons tempos aqueles, bons tempos que não voltam mais.

admin

240 posts | 0 comments

Menu Title