Raça e determinação fizeram a diferença para o acesso do Guarani à série B do Brasileirão

Raça e determinação fizeram a diferença para o acesso do Guarani à série B do Brasileirão

Like
1024
0
segunda-feira, 10 outubro 2016
Futebol Brasileiro

8 de outubro de 2016. Esta data vai ficar na memória do torcedor do Guarani. Pode ter significado o renascimento deste clube gigante, o único do interior brasileiro a ter conquistado um título da elite nacional. Depois de quatro anos na série C, o Bugre, enfim, conseguiu o acesso à série B. O clube correu sério risco de desaparecer do mapa do futebol após administrações danosas nos últimos anos.

A Rádio Poliesportiva foi a única da cidade de São Paulo a estar presente no Brinco de Ouro. Fiquei honrado em fazer parte deste momento histórico do nosso futebol. Guarani 3 x 0 Asa já está entre os momentos mais marcantes da minha carreira como jornalista.

A equipe do Guarani se superou dentro de campo, invertendo o revés dentro de casa e levando sua torcida a loucura. Foto: globoesporte.com

Dono da melhor campanha da primeira fase da série C, o Guarani quase colocou tudo por água abaixo no primeiro jogo das quartas de final quando perdeu para o Asa, em Arapiraca (3 a 1). Voltou para Campinas com uma desvantagem considerável na bagagem. Para não morrer na praia mais uma vez, precisaria vencer por 2 a 0 ou por três ou mais gols de diferença em casa.

Chegamos cedo no Brinco de Ouro, cerca de 1h30 antes da partida realizada numa agradável noite de sábado. Deu para perceber o clima de decisão nas redondezas do estádio.

Com a bola rolando, o Guarani mostrou desde o início que iria lutar pela classificação histórica à série B. Com muita raça, foi para cima do adversário, que encolhido em seu campo de defesa, acabou criando as primeiras grandes de gol em contragolpes. Após os sustos, a torcida explodiu pela primeira vez aos 25 minutos. Fumagalli cobrou falta e Leandro Amaro testou para a rede de Thiago Braga. O gol contagiou os bugrinos que logo em seguida criaram mais duas grandes chances para marcar com Leandro Amaro (o goleiro fez milagre) e Fumagalli, que livre de marcação, chutou para fora.

A equipe do Bugre foi fria, inteligente e equilibrada durante todo o jogo. Durante a partida, parecia que o ASA estava atrás do resultado, e não o Guarani. Foto: globoesporte.com

O segundo tempo foi um baile bugrino. As coisas começaram a ficar mais fáceis aos 9 minutos. Após recuo do zagueiro, o goleiro Thiago Braga deu um chutão em cima de Eliandro. A bola caprichosamente foi para o gol: 2 a 0. O placar já garantiria o acesso. Contudo, pouco tempo depois, o Fantasma de Arapiraca quase assombrou. Em contragolpe, Lessinho bateu cruzado e Leandro Santos fez defesa espetacular.

A pá de cal no Asa ocorreu aos 27 minutos. Após indecisão da defesa, Eliandro dividiu com a marcação e com um toque de cabeça encobriu o goleiro. O terceiro gol derrubou os alagoanos, que nos minutos finais até tentaram buscar a reação, porém, sem nenhuma organização tática e explorando sem sucesso chuveirinhos na firme defesa bugrina. Após o apito final, a torcida foi à loucura. Muitos fogos foram soltos no lado externo do Brinco. A torcida ficou em êxtase e invadiu a sala de imprensa após a entrevista coletiva do técnico Marcelo Chamusca.

O futebol espera que o Guarani mantenha em 2017 a trajetória de ascensão e que possamos transmitir o retorno à elite deste clube gigante do interior. O lugar do Bugre é na série A!

 

Por Rafael Alaby

admin

240 posts | 0 comments

Menu Title