Paul Newman, da rebeldia no Cinema à velocidade nas pistas de corrida

Paul Newman, da rebeldia no Cinema à velocidade nas pistas de corrida

1
1195
0
sábado, 14 outubro 2017
Automobilismo

O legado do lendário Paul Newman (1925-2008) vai muito além das suas marcantes atuações no Cinema, onde se tornou sex symbol a partir de meados dos anos 1950 e foi imortalizado principalmente pelos seus personagens contestadores e rebeldes (nos filmes “Marcado pela Sarjeta”, “O Indomado” e “Rebeldia Indomável”).

Nas telas, Newman começou, em 1969, a personificar o que faria dele também um grande piloto de carros de corrida e exitoso proprietário de equipe. Em “500 Milhas” (Winning), ele interpreta Frank Capua, corredor obcecado por vitórias que disputa e vence a tradicional “Indy 500”. O filme, que utiliza na edição imagens da prova do ano anterior (1968), tem as participações de Bobby Unser e Bobby Grim, entre outros pilotos.

 

Aos 54 anos, Newman, ao lado de Dick Barbour e Rolf Stommellen, ficou em segundo lugar nas 24 Horas de Le Mans – Foto: The Cahier Archive

Coincidentemente, até a sua morte, em 2008, Paul Newman só voltaria a atuar em um longa-metragem ligado ao automobilismo na animação “Carros” (2006), seu último filme, o qual deu voz e vida ao personagem Doc Hudson, mentor do protagonista Relâmpago McQueen.

Nesse interim, além Hollywood, o ator fez fama e aumentou seu número de fãs, a partir de 1972 (a estreia dele profissionalmente aconteceu em Thompson, Connecticut, ao volante de um Lotus Elan), também nas pistas de corrida.

Em 1979, Newman ficou em segundo lugar na tradicional 24 Horas de LeMans, na França, pilotando um Porsche 935/77A e dividindo o volante com Dick Barbour e Rolf Stommellen.

 

Em 1992, ao lado do sócio Carl Haas e dos pilotos da Newman/Haas Michael e Mario Andretti – Foto: LAT Images

Em 1995, então com 70 anos, após muitas vitórias em diferentes categorias do automobilismo, o ator tornou-se o piloto mais velho a fazer parte de uma equipe vencedora de uma prova de alto nível: as 24 horas de Daytona, nos Estados Unidos.

Mas Newman também deixou seu legado no automobilismo fora das pistas. Em 1978, criou – ao lado do piloto Bill Freeman – a equipe Newman-Freeman Racing, para competir na extinta Can-Am. Cinco anos depois, juntou-se a Carl Haas para fundarem a vitoriosa e já extinta Newman/Hass, oito vezes campeã somando CART, ChampCar e IRL.

Foi do paddock que  Paul Newman acompanhou a maioria das corridas de sua equipe e viu outras lendas das pistas – Mario Andretti, Paul Tracy, Michael Andretti, Nigel Mansell, Christian Fittipaldi, Sebastien Bourdais e Cristiano da Matta, entre outros – levarem o seu nome novamente ao estrelato.

 

Crédito imagem destacada (foto de capa): Coolhunting.com

 

Redator: Leonardo Guandeline, de Guarulhos.

Leonardo Guandeline

78 posts | 7 comments

Menu Title