Patrício Pitbull: o fenômeno brasileiro no MMA

Patrício Pitbull: o fenômeno brasileiro no MMA

10
700
0
segunda-feira, 03 maio 2021
Desbravando Lendas

Patrício Freire, mais conhecido como Patrício Pitbull, é natural de Mossoró, Rio Grande do Norte. Aos 33 anos, duplo-campeão do Bellator MMA, possui os cinturões peso-pena (até 65,8 kg) e peso-leve (até 70,3 kg) da organização. Pitbull ostenta atualmente um cartel de 32 vitórias e quatro derrotas. Entretanto, para se tornar o maior nome da história do Bellator, Pitbull superou várias barreiras e teve que percorrer um longo caminho no mundo das lutas. Este é o tema da coluna Desbravando Lendas.

Por: Diego Piñeyrua Neto, do Rio Grande do Sul.

Patrício Pitbull: start na faixa branca

Grande admirador de Royce Gracie, por quem foi atraído vendo seus memoráveis duelos no UFC, Patrício teve sem primeiro contato com artes marciais através do jiu-jitsu, aos 10 anos. O potiguar brigava muito em casa com seu irmão, o também lutador de MMA, Patricky Pitbull. Por iniciativa de seu pai, chegou ao jiu-jitsu com o intuito de gastar energia e, consequentemente, parar de brigar em casa.

Sendo assim, o interesse por esportes de combate cresceu e logo o potiguar passou a praticar também kickboxing. Aos 16 anos, Patrício fez sua estreia no mundo das lutas. Devido a idade, seu pai precisou assinar uma autorização na Vara da Infância e da Juventude para que ele pudesse lutar. Seu talento era visível desde cedo.

Da primeira luta a um cartel invicto de 12 lutas

Assim, seu primeiro duelo ocorreu em março de 2004, contra “Dida Dida“, no Desafio Natal vs Nordeste. O jovem potiguar venceu o duelo via nocaute técnico no 1º round. Logo na sequência, já aos 17 anos, acabou convidado para se apresentar no Brazilian Challenger 2. Seu oponente era Marlon Silva. Mais uma grande performance de Pitbull, que venceu por decisão unânime dos juízes.

Patrício passou a ser convidado para duelar por diversos eventos da região, como: Octagon Fight, Tridenium Combat, Leal Combat Premium, Brazil Nordeste Combat, Platinum Fight Brazil. Resultado: uma sequência de 11 vitórias consecutivas, a maioria delas via finalização.

A última apresentação de Patrício Pitbull em eventos nacionais ocorreu em dezembro de 2009, no Platinum Fight Brazil 2, no Rio de Janeiro. O potiguar enfrentou o peruano Johnny Iwasaki. No 2º round, Pitbull liquidou a fatura com uma guilhotina. Assim, manteve sua invencibilidade de 12 vitórias em 12 lutas profissionais.

Chegada ao Bellator: da primeira derrota a busca pelo cinturão

Após uma longa e bem sucedida caminhada em eventos nacionais, Patrício despertou a atenção dos executivos do Bellator MMA e acabou contratado pela organização. Sendo assim, sua estreia ocorreu em abril de 2010 no Torneio de Penas da 2ª temporada, quando derrotou Will Romero via finalização, no 1º round.

Na fase semifinal, em maio do mesmo ano, derrotou o compatriota Wilson Reis por decisão unânime. Nesse sentido, chegou a final do torneio onde enfrentou Joe Warren, em junho. O brasileiro acabou derrotado por decisão dividia dos juízes de forma bastante controversa.

Uma nova tentativa de conquistar o torneio dos penas da organização veio na 4ª temporada. Freire venceu Georgi Karakhanyan, em março de 2011. Em seguida, o reencontro com o brasileiro Wilson Reis na fase semifinal. Vitória via nocaute, em abril do mesmo ano. Desse modo, Patrício se credenciava novamente a disputar a final do Torneio de Penas.

Nesse sentido, a grande final foi marcada para maio de 2011, em Louisiana, EUA. Patrício tinha pela frente o duríssimo norte-americano Daniel Straus. Num grande duelo, o potiguar venceu o combate por decisão unânime e sagrou-se campeão do torneio. Vitória sobre um adversário que viria a se tornar um de seus maiores rivais dentro da organização.

Campeão Peso-Pena do Bellator

Antes de mais nada, a conquista da 4ª temporada do torneio dos penas credenciou o brasileiro a enfrentar o então campeão da divisão, Pat Curran, em janeiro de 2013. No duelo, Pitbull apostou num combate na base da trocação, ponto forte de seu oponente. O brasileiro acabou optando por não buscar a luta de solo, que poderia lhe dar uma vantagem no combate.

Logo, o campeão respondeu aos golpes recebidos a altura e acabou avariando mais o rosto do brasileiro. Após cinco rounds com muitos socos e chutes, Patrício Pitbull acabou derrotado por Pat Curran por decisão dividida dos juízes. Sendo assim, o americano manteve o cinturão dos penas do Bellator.

Nesse sentido, Patrício voltou a conquistar o torneio peso-pena em sua 9ª temporada, ao derrotar na final Justin Wilcox, via nocaute técnico, em novembro de 2013. Portanto, garantiu a chance da revanche contra Pat Curran, valendo o cinturão peso-pena. No duelo, marcado para setembro de 2014, Pitbull entrou no cage circular com a estratégia mais bem traçada.

Dessa forma, manteve a luta em pé na maior parte do tempo e assim dominou o campeão. Buscou a queda no round final e teve controle por cima. Assim, garantiu a vitória e o cinturão peso-pena do Bellator por decisão unânime dos juízes.

Defesa do título e derrota para o grande rival

Inicialmente, a primeira defesa de título veio justamente contra norte-americano Daniel Straus, em janeiro de 2015. Segundo encontro entre eles. Em mais um combate de muita trocação e bastante sangue, o brasileiro foi superior a maior parte do tempo. No 4º round, levou a luta pro seu território, o solo. Não demorou muito para pegar as costas de Straus e aplicar o mata-leão. Assim, o brasileiro derrotava pela segunda vez o americano e mantinha o título peso-pena.

Nesse sentido, em junho de 2015, foi a vez do alemão Daniel Weichel conhecer a força do atleta da Pitbull Brothers. Sobretudo, Weichel chegou a condição de desafiante após conquistar a 10ª temporada do Torneio dos Penas e superar em sua luta anterior o ex-campeão Pat Curran. Nada disso abalou o brasileiro.

Mesmo sofrendo duros golpes no final do 1º round, quando quase foi nocauteado, retornou do intervalo e, de forma fulminante, venceu o duelo logo no início do 2º round. Soltou um cruzado de esquerda quando era pressionado na grade pelo alemão. Weichel caiu apagado no cage.

Em novembro de 2015, pela terceira vez, o Bellator colocou frente a frente Patrício Pitbull e Daniel Straus. Um duelo cercado por muita rivalidade. O brasileiro fazia sua terceira defesa de título, enquanto o americano vinha de vitória via finalização, sobre Henry Corrales. Foi uma verdadeira guerra. Os dois lutadores trocaram socos e chutes durante 25 minutos. No final, por decisão unânime, and new. Vitória do norte-americano Daniel Straus, novo campeão peso-pena do Bellator.

A queda, o momento difícil e a reconquista do cinturão

Patrício logo se recuperou da perda do cinturão com uma vitória via finalização sobre o americano Henry Corrales no Bellator 153, em abril de 2016. Foi então que o brasileiro partiu para um novo desafio: subir de divisão e fazer uma super-luta contra o ex-campeão do UFC e WEC, Benson Henderson, no peso-leve.

Seria a primeira vez que Patrício faria uma luta fora do peso-pena no Bellator. Sendo assim, a organização definiu que o vencedor deste duelo teria a oportunidade de desafiar o campeão da categoria até 70,3 kg, Michael Chandler. Nesse sentido, o confronto foi marcado para Anaheim, Califórnia, em agosto de 2016.

Depois de um 1º round de muito estudo, onde o brasileiro saiu com uma leve vantagem para o intervalo, veio o fatídico 2º round. Assim, os lutadores voltaram mais dispostos a resolver a luta trocando socos e chutes baixos. Entretanto, quando o potiguar partiu para a luta agarrada e conseguiu algumas posições de vantagem, sentiu a canela direita e acabou desistindo do combate. Logo depois, foi constatado que o Brazuca acabou quebrando a perna.

Em seguida, já recuperado, Patrício Pitbull estava pronto para retomar sua caminhada vencedora dentro da organização. Em abril de 2017, o brasileiro foi escalado para enfrentar Daniel Straus pela quarta vez. Entretanto, dessa vez, subia ao cage como desafiante ao cinturão peso-pena da organização. Essa seria a primeira defesa de cinturão do americano desde que conquistou o título, justamente sobre Freire.

No entanto, desta vez o duelo foi bem diferente do anterior. Patrício não tomou conhecimento do campeão, controlou toda a luta e acabou vencendo o duelo via finalização, com uma guilhotina no 2º round. Sendo assim, Pitbull voltava a se tornar o campeão peso-pena do Bellator.

Vitória sobre Chandler e o título em duas divisões

A trajetória do campeão peso-pena foi retomada em julho de 2018. O brasileiro venceu seu primeiro desafiante após a retomada do título, o alemão Daniel Weichel, por decisão dividida, num duelo muito equilibrado. Em novembro do mesmo ano, Freire encarou o desafiante número 1 da categoria, o mexicano-norte-americano Emmanuel Sanchez. Num duelo frenético, de trocação franca entre os lutadores, Patrício venceu por decisão unânime dos juízes e manteve o título da divisão.

Dessa forma, em fevereiro de 2019, o Bellator anunciou a renovação do contrato de Patrício Pitbull e aproveitou para anunciar o uma super-luta contra o campeão peso leve, Michael Chandler. A confirmação do duelo agitou o mundo das lutas. A mídia especializada apontava como o confronto entre os dois melhores lutadores da história da organização.

Ambos eram detentores dos principais recordes da organização, como: maior número de vitórias na organização e maior número de vitórias em lutas por cinturão. Além disso, por trás do duelo ainda existia uma rivalidade, tendo em vista que Chandler já havia derrotado Patricky Pitbull, irmão mais velho de Patrício, em duas oportunidades.

A grande super-luta: Patrício Pitbull x Michael Chandler

O Bellator marcou o duelo para maio de 2019, em Chicago, Illinois, EUA. Arena lotada, com a maior parte do público torcendo por Chandler. O americano subiu ao cage como favorito nas casas de apostas e na opinião da mídia especializada.

Entretanto, quando a grade fechou, Patrício foi mais rápido que Chandler e com apenas 61 segundos de luta, entrou com um cruzado de encontro que derrubou o americano. Na sequência, desferiu alguns golpes com Chandler no chão, até a interrupção do árbitro.

A interrupção foi bastante questionada, mas isso não mudaria mais o resultado e o destino do brasileiro. Patrício Pitbull se tornava campeão peso-leve do Bellator. O segundo atleta na história da organização a ser detentor de títulos de duas categorias simultaneamente.

Um novo desafio e o futuro nos leves

Ainda em 2019, o Bellator anunciou o Grand Prix Peso-Pena, com a presença dos 16 melhores atletas da divisão. Pitbull entrou no GP defendendo o cinturão e na busca de um milhão de dólares, premiação prometida ao vencedor. Nesse sentido, em setembro de 2019, Patrício encarou o desafiante número 1 da divisão, Juan Archuleta. Como resultado, amplo domínio do brasileiro e vitória por decisão unânime.

Na fase de quartas de final do Grand Prix, o potiguar derrotou Pedro Carvalho via nocaute no 1º round, em novembro de 2020. Na sequência, em abril deste de 2021, já na fase semifinal, foi a vez de Emmanuel Sanchez encarar o campeão. Sendo assim, mais uma vitória sem maiores dificuldades. Com uma guilhotina no 1º round, Patrício despachou mais um concorrente e se credenciou a final do GP.

Atualmente, o retorno de Patrício Pitbull ao cage circular do Bellator ainda não tem data, nem local definido. Entretanto, seu adversário na final do Grand Prix será o americano invicto AJ McKee. Outrora, o primeiro encontro entre os dois já aconteceu. Contudo, após o brasileiro derrotar Sanchez, o desafiante entrou no cage e ali mesmo já houve a primeira encarada entre os finalistas.

A busca por um legado para se tornar uma lenda

Portanto, o próximo passo do duplo-campeão do Bellator já é certo. Todavia, o potiguar deixa em aberto o futuro da divisão peso-leve. Patrício ainda não defendeu o título na divisão desde a vitória sobre Chandler e admite abrir mão do título se seu irmão, Patricky Pitbull chegar a disputa. Aliás, Patricky vêm de uma sequência de cinco vitórias e está bem cotado para chegar a disputa do cinturão.

Por fim, o certo é que independente do que venha a acontecer na final do Grand Prix peso-pena ou com o futuro da divisão peso-leve, Patrício já escreveu um legado incrível no esporte. Não é para menos que Patrício Pitbull é apontado como um dos maiores nomes da história do MMA Mundial. Decerto a vitória sobre AJ McKee só coroaria ainda mais seu status de lenda.

Foto destaque: Reprodução / BellatorMMA

Diego Piñeyrua Neto

Diego Piñeyrua Neto

Natural de Bagé, Rio Grande do Sul. Pai do Martín e Valentina. Administrador de Empresas. Aficionado por MMA. Criador do @ufcoctogono no Instagram. Grêmio, Churrasco, Cerveja e Rock'n Roll!

36 posts | 0 comments

https://www.instagram.com/ufcoctogono/

Comments are closed.