Opinião: O calendário 2021 da NASCAR mais agradou ou desagradou?

Opinião: O calendário 2021 da NASCAR mais agradou ou desagradou?

1
322
0
quinta-feira, 08 outubro 2020
Nascar

Assim, a Nascar apresentou o calendário para a temporada 2021 repleta de novidades. E são essas mudanças que abordamos nessa coluna. De fato, são inúmeras mudanças, algumas delas contra a tradição e outras, tentando resgatar experiências bem antigas.

Por: Francisco Brasil, de Rio Bonito, RJ – Planeta Velocidade

Diferentemente das colunas anteriores, vamos começar respondendo diretamente o título dessa coluna. Afinal, o calendário anunciado mais agradou ou desagradou? No entanto, a resposta dada, principalmente considerando os fãs brasileiros, é que o calendário não agradou. Mas por quais motivos? É o que tentarei sintetizar. Além disso, tentar expor os motivos para tais modificações.

Planeta Velocidade

 

As mudanças

Tendo em vista que 2020 foi um ano atípico, onde o calendário foi ajustado de acordo com a pandemia da COVID-19, iremos nos basear em 2019:

Calendário de 2019 da Nascar

 

Para 2020, a mudança mais significativa seria a etapa final, que mudaria de Homestead-Miami para Phoenix, no Arizona, o que foi respeitado, da mesma forma que as etapas que compõem a fase de playoffs.

Agora vamos analisar o calendário 2021:

Nascar 2021 - Calendário

Nascar 2021 – Calendário. Fonte: Reprodução / Nascar / Twitter

Ademais, como vimos, as principais alterações são a adoção de uma etapa em pista de terra no circuito de Bristol, além de uma segunda corrida no mesmo oval em seu piso original.

Entretanto, o maior descontentamento dos fãs foi a saída dos ovais de Chicagoland e Kentucky para a entrada de mais pistas mistas. No total, a categoria passou de três para seis traçados com curvas para os dois lados. Sete, se contarmos o Clash que é a etapa festiva que abre o calendário.

Provas em circuito misto

Nesse cenário, as entradas (que não foram muito bem vista pelo público) foram:

  • Circuito misto de Daytona: A prova no Roval entrou como “tapa buraco” em 2020, mas já estava previsto para ser utilizado no Clash, que é uma prova de abertura do calendário, sem valer pontos.
  • Circuito das Américas: A pista que já recebeu Fórmula 1, MotoGP e Indy será adicionada à Nascar. Com isso, comparações (mesmo incabíveis) serão feitas.
  • Road America: Provavelmente a pista que menos criticada. A “Spa-Francorchamps” americana é tradicional, bela e sempre proporciona boas provas.
  • Misto de Indianápolis: Vem para substituir a Brickyard 400, a prova da Nascar no oval mais famoso do mundo. Agora correndo no misto, Nascar e Indy dividirão o mesmo fim de semana.

Ademais, as pistas citadas se juntam a Watkins Glen, Sonoma (Califórnia) e ao Roval de Charlotte. Sendo que essa última pista se mostrou muito competitiva, tanto que continuará na fase de playoffs.

Novo oval

Apesar do acréscimo de traçados mistos, outra novidade (que agradou) foi a adição do oval de 1,33 milhas em Nashville, Tennessee. A etapa substituirá uma das provas de Dover, que atualmente recebe a categoria duas vezes por ano.

Além disso, como mencionado no início deste texto, temos a prova “Dirt” (suja) em Bristol. O coliseu manterá duas datas no calendário, sendo a primeira com seu pavimento coberto de terra. Aí você pergunta: terra? Para os carros da Nascar? Sim, terra. De fato, uma volta as raízes. A Nascar começou nas areias de Daytona Beach, e até hoje suas categorias de base contam com ovais de terra.

Tanto que uma das provas mais aguardadas da Truck Series – divisão nacional de pickups – é Eldora. A pista de terra, que pertence a Tony Stewart, é uma etapa especial e que revela vários talentos, como Kyle Larson.

Afinal, o calendário é bom ou não?

Com todos esses pontos analisados, pensamos: essas mudanças são boas ou não? Não sabemos. O que temos certeza é que, se as mudanças não surtirem o efeito desejado, ou não agrade de forma contundente os fãs, a Nascar voltará atrás.

Porém, vamos dar uma chance. Um calendário diversificado como o de 2021, será bom para provar que os pilotos da Nascar não viram só para a esquerda (o que já é bem complicado). Além disso, será avaliado se garantirá a emoção para os mais diversos públicos. Às vezes, a mudança não é necessária, mas quando ocorre, percebemos que são fundamentais para melhorar o que já era bom.

Confira também:
Os playoffs da Nascar e Buschão na velha boa forma
Para Sergio Pérez é hora de seguir na Fórmula 1 ou mudar para os Estados Unidos?

Foto destaque: Reprodução / Nascar / Twitter

Comments are closed.