Análise do titulo que faltava na grande carreira de Hélio Castroneves

Análise do titulo que faltava na grande carreira de Hélio Castroneves

Like
187
0
quinta-feira, 19 novembro 2020
Fórmula Indy

Hélio Castroneves não enfrenta barreiras para se definir como um dos maiores pilotos brasileiros dos últimos tempos. Afinal, são 3 vitórias nas 500 Milhas de Indianápolis, feito que por si só já podem ser considerados títulos. Mas faltava uma vitória na tabela de pontos, num campeonato. Finalmente, ela veio. No IMSA.

Por: Danilo Dias, de São Paulo, SP.

Confira também
Helio“Trunfo”, afirma proprietário da Meyer Shank sobre retorno de Helio Castroneves à IndyCar

Início e reviravolta

O paulista de Ribeirão Preto era um menino entre feras quando chegou aos Open Wheels norte-americanos. Assim, pela tradicional Bettenhausen que Helinho fez sua estreia em 1998 na CART. Dessa forma, dividiu ali a pista com gente do calibre de Gil de Ferran, André Ribeiro, Christian Fittipaldi, Maurício Gugelmin, Gualter Salles, Roberto Moreno e Tony Kanaan. Isso só pra citar os brasileiros.

Em 1999, pela Hogan, a temporada foi um pouco melhor e o piloto passou a ser visto como promessa para o futuro. Entretanto, no final daquele ano, Greg Moore perdeu tragicamente a vida no oval de Fontana. Definitivamente,  esse fato mudou a trajetória de Castroneves.

Isso porque havia o contrato assinado de Moore com o time de Roger Penske para 2000. Sendo assim, com apenas Gil de Ferran confirmado na equipe, Hélio contou com a indicação de Gil, além de estar na Hogan, equipe que manteve por um bom tempo, parceria técnica com a Penske.

 

Longa jornada de Helio Castroneves na Penske

A partir de 2000, portanto, Hélio Castroneves levou suas coisas para a Penske e por lá ficou toda a sua vida automobilística. Já em 2001, Hélio conquistara as 500 Milhas de Indianápolis para a Penske. Como se não bastasse, em 2002 repetiu o feito. Em 2009 ainda conquistou uma 3ª vitória, sendo assim o Spider Man um dos grandes do automobilismo yankee.

Um desejo antigo, porém, nunca chegou. Hélio, com todo seu grande desempenho na Indy 500, via seus companheiros conquistando os títulos da temporada, que para ele nunca chegava. Foram 4 vices na Fórmula Indy.

 

O título de Helio Castroneves no IMSA

Com todo o apreço mantido entre Roger Penske e Hélio Castroneves, e com a equipe querendo renovar seu time nos open wheels, surgiu a oportunidade para Hélio de guiar um protótipo no IMSA, SportsCar Championship.

É bem verdade que não era o principal desejo de Hélio. Mas foi ali que ele mostrou seu profissionalismo e  brilhou mais do que nunca. Afinal nunca teve tamanha regularidade, a que sempre precisou para ser campeão. No IMSA, ele a alcançou.

 

Sua carreira na categoria sempre teve uma curva crescente. E após cada vez melhores resultados, Hélio de sagrou campeão da temporada 2020 de sua classe, a DPi. Dessa forma, foram 4 vitórias em 8 corridas, dividindo seu bólido com Alexander Rossi e Ricky Taylor.

Sobre seu merecimento

Hélio Castroneves merecia um título como esse. Sua carreira sempre mostrou que ele era capaz. Apesar de não precisar provar nada a ninguém. Hélio pode coroar toda sua trajetória com um belíssimo título conquistado na raça e em corridas emocionantes.

 

A corrida de Elkhart Lake foi absolutamente fantástica, sob chuva. Hélio mostrou capacidade e ali mostrou que poderia pleitear a conquista. Outrossim, vieram as vitórias em Atlanta e Mid-Ohio, para em Sebring vencer mais uma vez e chegar ao tão merecido título do IMSA em 2020. Em suma, Hélio Castroneves é dos melhores seres que o automobilismo pode ter.

 

Foto destaque: Reprodução / Twitter Team Penske

Danilo Dias

Danilo Dias

Danilo Dias é formado em Tecnologia em Futebol, pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte e atualmente é estudante de Direito. Apaixonado por futebol, aficionado por automobilismo[...]

74 posts | 0 comments

Comments are closed.