Novatos: A estreia de Rogério Ceni e Fábio Carille no Paulistão

Novatos: A estreia de Rogério Ceni e Fábio Carille no Paulistão

2
1285
0
terça-feira, 07 fevereiro 2017
Futebol Brasileiro

Paciência. Essa é a palavra que define as estreias de Fábio Carille, no Corinthians e de Rogério Ceni, no São Paulo. Ainda não é possível traçar uma analise completa do que será o trabalho dos técnicos estreantes no Campeonato Paulista da Série A1, isso ainda é uma incógnita, mas a primeira impressão já foi construída na primeira rodada da competição. Dois times que ainda tem muito a melhorar na questão de entrosamento tático e de adaptação aos novos companheiros.

É fato que os técnicos do Tricolor e do Timão conseguiram tempo para fazer seus trabalhos de pré-temporada, mas o ritmo de competição é outro e isso ficou claro na abertura do Campeonato Paulista, neste fim de semana.

O Corinthians de Carille enfrentou a equipe do São Bento, neste sábado (04/02), em Sorocaba e o São Paulo de Rogério jogou neste domingo (05/02), contra o Osasco Audax. No quesito placar e organização defensiva, Carille conseguiu estrear bem, por vencer o São Bento pelo placar de 1 a 0. Ceni teve um domingo mais complicado, pois o resultado foi adverso e o São Paulo saiu de Osasco com um revés por 4 gols a 2.

Mas, assim como no início do texto, a tônica fica a cargo da paciência, pois nenhum dos times conseguiu encher os olhos. E isso não será construído de uma hora para a outra. Vamos começar com um resumo do que foram os dois jogos e do que os técnicos precisam organizar para corrigir os “defeitos” que apresentaram em seus primeiros testes de fogo.

 

Osasco Audax x São Paulo

 

Rogério tem sua primeira derrota no comando do Tricolor Paulista. Foto: Rubens Chiri/Sãopaulofc.net

A proposta do novo mandatário do elenco tricolor, Rogério Ceni, era de um São Paulo compacto, que faria pressão na equipe de Osasco desde o início da partida, que foi disputada na cidade de Barueri. Marcando pressão no ataque, seria uma possibilidade grande de recuperar a posse de bola e construir um contra-ataque rápido, potencializado com a velocidade do meio campo conduzido por Cueva, deixando Wellington Nem pela ponta direita e Luiz Araújo pela ponta esquerda, com Chavez centralizado.

Na prática, o que se viu era um São Paulo descompactado, deixando espaços abertos para o Audax trabalhar a bola. Era tudo o que o adversário queria, pois o time do técnico Fernando Diniz conseguiu manter um ótimo padrão na troca de passes, o que favoreceu na criação de jogadas perigosas. O principal defeito do São Paulo nesta partida ficou evidente na construção do primeiro gol da equipe do Audax, em que todo o sistema defensivo bateu cabeça e Sidão ficou completamente vendido no lance, assim, Marquinho inaugurou o placar, com apenas cinco minutos jogados. O segundo gol do Audax saiu de uma jogada envolvente que resultou no gol do meia Pedro Carmona, apenas três minutos após abrir o placar em Barueri.

São Paulo apresentou defeitos, mas Rogério terá a chance de corrigi-los para os próximos compromissos. Fpto: Rubens Chiri/Sãopaulofc.net

Mas calma, torcedor tricolor, nem tudo foi ruim na estreia de Rogério Ceni. O que amenizou o resultado negativo foi o volume de jogo criado e o poder de reação, principalmente quando o jogo estava 2 a 0 para o adversário e o São Paulo buscou o empate com dois gols marcados por Chavez, um aos 29 e o outro aos 36 minutos do primeiro tempo. E com algumas outras chances perigosas foram perdidas, inclusive, uma bola na trave em uma cobrança de falta feita por Cueva.

Ainda na primeira metade da partida, Wellington Nem sentiu e precisou ser substituído por Cícero. Daí pra frente, Rogério precisou organizar novamente o time em campo e trouxe Cueva para a ponta esquerda e inverteu Luiz Araújo para a direita. As mexidas no time deram mais algumas criações de jogadas.

No segundo tempo, os são paulinos tentaram seguir atacando e criaram chances perigosas, inclusive com o próprio Chavez, que foi mais um dos pontos positivos, pela demonstração de vontade e por conseguir espaços para realizar as jogadas mais incisivas do escrete tricolor. Mas, no único escanteio sofrido na partida, apenas aos nove minutos do segundo tempo, a zaga bobeou mais uma vez e o Audax, com o lateral Felipe Rodrigues retomou a frente do placar, após desviar a bola cruzada. Daí em diante, o São Paulo não conseguiu manter a frieza e Buffarini, em uma partida para ser esquecida, cometeu pênalti, aos 29, em que o Pedro Carmona bateu e fez seu segundo gol, dando números finais à partida.

 

São Bento x Corinthians

 

Fabio Carille em sua estreia pelo Corinthians, pelo Campeonato Paulista. Foto: Reprodução/Agência Corinthians

Já o técnico do Corinthians, Fábio Carille, teve mais motivos para sorrir, por vencer em sua partida de estreia pelo Campeonato Paulista. O Corinthians foi a Sorocaba, para jogar contra a equipe do São Bento e enfrentar, também, o campo molhado, que dificultou o jogo para o Timão. No time que iniciou a partida estavam escalados: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e Moisés; Gabriel; Giovanni Augusto, Fellipe Bastos, Rodriguinho, Marlone e Jô.

E, apesar das condições adversas, a equipe corinthiana conseguiu neutralizar os ataques do clube do interior de São Paulo. A defesa do Corinthians, aliás, está reformulada, assim como grande parte do time, que agora começa a ter a cara do seu treinador. Fato é que voltamos ao principal ponto da nossa análise, pois o time de Carille não conseguiu criar muitas chances e precisará da paciência de sua torcida e diretoria para conseguir sucesso na temporada.

No primeiro tempo houve um jogo truncado, em que a primeira chance real de gol saiu apenas aos 19 minutos, e foi pelo lado do São Bento. Após a cobrança de falta de Itaqui, Cássio tentou segurar e não conseguiu, deixando a bola escapar para o meio da área, mas o zagueiro Pablo estava ligado no lance e, assim que percebeu, correu para afastar o perigo dali.

Jô fez a alegria da torcida e do treinador após converter pênalti e dar a vitória ao Timão. Foto: Reprodução/Agência Corinthians

A armação do jogo ficou a cargo de Marlone, que conseguiu criar duas boas oportunidades de ataque. A primeira, aos 25 minutos da etapa inicial, em que o meia cruzou e Giovanni cabeceou por cima da meta do goleiro Rodrigo, do São Bento. A segunda boa chance foi aos 44 minutos com Jô, que recebeu o passe e tentou chutar por cima do goleiro, porém sem êxito para abrir o placar do jogo. A situação do campo não favoreceu e o as jogadas rasteiras não fluíam, devido à existência de poças no gramado do Estádio Walter Ribeiro.

No segundo tempo, Carille não opta por substituições, de início, mas faz uma mudança no estilo de jogo do time, para explorar o lado direito do ataque. No caso, foi feita a inversão de posições de Marlone, caindo mais para o lado direito do campo e Giovanni Augusto pelo lado esquerdo. A água acumulada em partes do gramado começou a escoar e o futebol jogado na segunda metade foi superior ao da primeira. Tanto é que após boa jogada, a chance de gol finalmente saiu, aos sete minutos, com o pênalti marcado em Jô. O próprio foi em direção à bola e converteu a penalidade máxima, abrindo o placar de jogo e configurando assim, a primeira vitória do Timão e do seu novo técnico na competição.

Após o gol, o técnico decidiu fazer algumas alterações na equipe, mas as entradas de Marquinhos Gabriel, Camacho e Romero nos lugares de Giovanni Augusto, Fellipe Bastos e Jô (respectivamente), não mudaram muito o patamar do jogo, em que o Corinthians não conseguiu trabalhar a bola como queria e chegou poucas vezes ao gol adversário.

 

Próximos desafios dos técnicos

 

Os próximos capítulos das trajetórias de Fábio Carille e de Rogério Ceni serão pela primeira fase da Copa do Brasil, no meio da semana. Logo após, retornam para a disputa do Paulistão, no fim de semana.

Os dois treinadores ainda esperam por reforços, Carille terá Jadson a sua disposição, após o meia assinar contrato nesta segunda-feira, pode ser peça importante na sua proposta de reformulação. Rogério ainda aguarda a definição das negociações do volante Jucilei e também espera por mais alguns reforços pontuais para a sequência da temporada. Confira abaixo um pouco mais dos próximos jogos que os técnicos irão ter esta semana.

Rogério irá com o Tricolor para São Luís, no estado do Maranhão, para enfrentar o Moto Club. Por jogar fora de casa, o Tricolor do Morumbi leva a vantagem de jogar pelo empate, para poder conquistar a classificação. A baixa fica por conta da lesão de Wellington Nem, que não tem chances de atuar nesta quinta-feira (09/02). É bem provável que Nem ainda desfalque o São Paulo de duas a quatro semanas. Pelo Campeonato Paulista, o São Paulo de Ceni jogará diante de sua torcida, contra a Ponte Preta, neste domingo (12/02), às 17 horas. É mais uma “pedreira” que Rogério terá pela frente, pois a Macaca vem de vitória por 2 a 1 contra a Ferroviária.

Pelo lado corinthiano, Fábio Carille também tem compromisso fora do estado e situação semelhante à do São Paulo, por ter a vantagem do empate. O coringão viaja para Poços de Caldas, no estado de Minas Gerais para enfrentar a Caldense, nesta quarta-feira (08/02), no Estádio Dr. Ronaldo Junqueira, e o que se espera é um time ligado, para que não haja surpresas neste jogo eliminatório. Pelo Campeonato Paulista, o próximo desafio da equipe do Corinthians é contra o Santo André, diante da fiel torcida, na Arena Corinthians, às 21 horas. A equipe do Santo André vem de um empate, conquistado no fim do jogo contra o Ituano, no Bruno José Daniel e tentará aprontar pra cima do Timão.

Lembrando que, na primeira fase da Copa do Brasil, é disputado apenas um jogo e, os dois técnicos precisam de tranquilidade, por isso uma eliminação precoce, tanto de um lado quanto de outro seriam extremamente prejudiciais na continuação do trabalho dos novos treinadores.

Vamos aguardar para ver a continuação destes dois técnicos da nova safra brasileira. Trabalho não irá faltar para os dois nas próximas partidas.

 

Por Gabriel Max

admin

240 posts | 0 comments

Menu Title