No Mineirinho lotado, SADA Cruzeiro bate o Taubaté e conquista o pentacampeonato

No Mineirinho lotado, SADA Cruzeiro bate o Taubaté e conquista o pentacampeonato

Like
936
0
segunda-feira, 08 maio 2017
Superliga Masculina

A festa foi grande na capital mineira neste domingo (7). Em um Mineirinho lotado por 14 mil pessoas, o SADA Cruzeiro confirmou o favoritismo e venceu o Funvic Taubaté por 3 sets a 1. Os mineiros conquistaram o pentacampeonato, sendo o quarto título consecutivo. A hegemonia na Superliga Masculina vem desde a temporada 2010/2011. De lá para cá, a raposa esteve presente nas sete finais e perdendo apenas em duas edições. Já os paulistas ficaram com um vice-campeonato inédito para o clube.

Primeiro set

O primeiro set da grande final mostrou um Cruzeiro um pouco mais focado do que o Taubaté. O time de Minas conseguiu abrir vantagem de cinco pontos sobre o Taubaté. Até que o técnico Cezar Douglas parou a bola e reequilibrou sua equipe. Os paulistas encostaram e até passaram a frente no placar. O equilíbrio seguiu até a reta final. Porém, com um ace de Leal, o SADA abriu 22 a 19. E esses três pontos de vantagem foram mantidos até acabar em 25 a 23, quando Lucarelli mandou o saque para fora.

Evandro foi eleito o melhor jogador da final e também o melhor saque da Superliga. Foto: Paulo Arnaldo / Rádio Poliesportiva.

Evandro foi eleito o melhor jogador da final e também o melhor saque da Superliga. Foto: Paulo Arnaldo / Rádio Poliesportiva.

 

Segundo set

Na volta da parada o Taubaté teve início consistente e chegou a fazer 7 a 3. Marcelo Méndez pediu tempo e aos poucos os cruzeirenses voltaram à final. Os mandantes viraram o segundo set com Simón bem no bloqueio e no meio de rede; e Evandro acertando saques potentes. William deu um show e mostrou porque é o melhor levantador do país – distribuiu bem as jogadas pelo meio, pelas pontas, na linha dos três e até com bolas de segunda surpreendeu. Sorte da Raposa, que abriu 2 a 0 com mais um 25 a 23.

Terceiro set

Perdendo por 2 a 0, o Taubaté voltou para a quadra do Mineirinho no tudo ou nada. Forçando mais e variando as jogadas ofensivas, o time do interior paulista aproveitou as boas apresentações de Wallace, Éder e Lucarelli para vencer o set por 25 a 18. O 2 a 1 recolocou emoção na finalíssima.

 

Wallace não conseguiu derrotar seu ex-clube, mas ficou com o prêmio de maior pontuador da Superliga. Foto: Paulo Arnaldo / Rádio Poliesportiva.

Wallace não conseguiu derrotar seu ex-clube, mas ficou com o prêmio de maior pontuador da Superliga. Foto: Paulo Arnaldo / Rádio Poliesportiva.

Quarto set

Mesmo com o desempenho abaixo na parcial anterior, o Cruzeiro não se abateu e soube voltar para o jogo. Com um início de set equilibrado, os mineiros abriram vantagem por conta da ótima exibição de Evandro Guerra, uma das principais estrelas do pentacampeonato. Voando em quadra, o SADA abriu vantagem de sete pontos e, mesmo com uma pequena reação liderada por Wallace, o Taubaté já não tinha mais forças para lutar. Cruzeiro: 25; Taubaté: 19. Fim de jogo em 3 sets a 1.

Hegemonia azul

Essa foi a sétima final consecutiva de Superliga do Cruzeiro. Desde 2010/2011, a equipe marca presença na disputa pelo título. Essa foi a quinta conquista, sendo a quarta consecutiva. O SADA completou 10 anos de vida e uma década repleta de títulos: Tricampeão Mundial de Clubes, Heptacampeão Mineiro, Tricampeão Sul-Americano, Bicampeão da Supercopa e Bicampeão da Copa Brasil.

Hegemonia cruzeirense: William levantou o quinto título de Superliga do SADA - o quarto consecutivo. Foto: Divulgação/Inovafoto/CBV

Hegemonia cruzeirense: William levantou o quinto título de Superliga do SADA – o quarto consecutivo.
Foto: Divulgação/Inovafoto/CBV

Recorde de público

A grande final estabeleceu o recorde de público da temporada. Com 13.957 pessoas no Mineirinho, o número bateu a partida entre Vôlei Brasil Kirin e Sesi-SP. Naquela ocasião, o duelo levou 7.450 torcedores no Ginásio Arena Guilherme Paraense, na capital paraense Belém.

Seleção da Superliga

O Cruzeiro dominou a Seleção do torneio, quatro jogadores celestes foram escolhidos para compor o hall dos melhores da temporada. Evandro Guerra foi eleito o melhor saque,  Leal ganhou o prêmio de melhor ataque, William ergueu o título de melhor levantador e Serginho foi considerado a melhor defesa da Superliga. Completaram a seleção: Renan Zanata, do JF Vôlei, como melhor bloqueio; e Robinson Dvoranen, do Montes Claros, como melhor recepção da temporada.

 

Foto de capa: Divulgação/Inovafoto/CBV

 

Confira também:
Momentos finais de Cruzeiro X Taubaté.
Matéria de pós jogo Cruzeiro X Taubaté – reportagem de Gabriel Manzini.

 

Matéria de Gabriel Manzini

Paulo Arnaldo do Amaral Lima

Paulo Arnaldo, paulista, CEO da Poliesportiva, jornalista, apresentador e narrador esportivo. Conhecido no meio jornalístico como P.A., Paulo Arnaldo tem vasta experiência desde 2008 no jornalismo e[...]

549 posts | 2 comments