Nas duas primeiras lutas da noite do UFC, sul-americanos e chineses dão show no octógono

Nas duas primeiras lutas da noite do UFC, sul-americanos e chineses dão show no octógono

Like
143
0
domingo, 25 abril 2021
UFC

A princípio, as duas primeiras contendas do UFC 261 deste sábado (24) estiveram marcadas pelo ritmo alucinante com que aconteceram. Primeiramente, a brasileira Ariane Carnelossi venceu a chinesa Liang Na por nocaute técnico no 2º round. Em seguida, o colombiano Jeff Molina venceu o chinês Aoriqileng por decisão unânime. 

Por Ayrton Niño, de Recife-PE

Liang Na x Ariane Carnelossi

Antes de tudo, a primeira luta da noite surpreendeu desde o primeiro soco lançado. Liang Na, visivelmente mais alta, lançou um direto de encontro logo na primeira movimentação da luta. Desse modo, Ariane foi ao chão. Nisso, a chinesa partiu para cima a fim de terminar logo o combate. Contudo, a brasileira se situou, e a luta passou a se desenvolver no chão.

Se em pé, Liang tinha a clara vantagem na parte da luta agarrada, enquanto Ariane parecia ter o jogo mais em dia. Outro aspecto muito importante do combate era em relação à força física. Carnelossi estava claramente mais forte fisicamente, com muito mais massa muscular. Dessa maneira, enquanto a luta esteve no chão, o que se pôde ver foram intensas trocas de posições, raspagem seguida de raspagem, tentativas de finalização uma atrás da outra e muita troca de golpes. Nisso, a brasileira terminou bem melhor o assalto, e a chinesa precisou de ajuda para voltar para seu corner, visivelmente exausta.

Já no 2º round, nos primeiros instantes, Ariane parecia um pouco melhor em pé do que a chinesa. Nisso, Liang Na decidiu quedar a brasileira. Contudo, a oriental não caiu numa posição tão boa inicialmente. Já alguns segundos depois, as lutadoras, como no round anterior, trocaram posição intensamente, e foi quando Carnelossi saiu basicamente montada. Assim, com toda sua força, finalizou a luta com seguidas marretadas na adversária.

Aoriqileng x Jeff Molina

A priori, a impressão era de que o chinês mostrava mais desenvoltura dentro do cage. Logo no início, tratou de tomar o centro da jaula e impôs seu ritmo de luta. Dessa maneira, Aoriqileng levou o combate para o solo e trabalhou na luta agarrada por alguns instantes. O combate chegou a voltar em pé, mas logo terminou, e o chinês venceu o primeiro round.

Logo depois, o segundo assalto se mostrou extremamente empolgante. Aoriqileng partiu para cima como fez no round inicial. Assim, parecia perto de controlar a luta. Contudo, Molina passou a encontrar a distância e o tempo certo. Assim, acertou o chinês e o levou ao chão. Mesmo assim, Aoriqileng se levantou rapidamente. Na sequência, foi a vez de Molina cair e se recobrar rapidamente. A trocação se manteve alucinante já mais para o final da round. Nisso, Molina mais uma vez mandou o adversário para a lona, mas, dessa vez, o chinês foi salvo pelo gongo.

Bem como se encerrou o round anterior, foi a tônica do último assalto. Muita troca de golpes, luta franca, torcida completamente empolgada com o que acontecia dentro do ringue do UFC. Na luta, Molina claramente levou a melhor durante o 3º round. Visivelmente melhor condicionado, mais inteiro, o colombiano pontuou mais. Porém, esteve bem perto de perder tudo. Porque Aoriqileng acertou uma bela combinação de golpes, um cruzado de direita, que entrou limpo na ponta do queixo de Molina, fazendo o lutador revirar um pouco os olhos. Se não fosse o toque final da luta, poderia ter um destino diferente. No mais, Molina foi dado como vencedor por decisão unânime.

Foto destaque: Divulgação/UFC 

Ayrton Niño

Ayrton Niño

Historiador pela UFPE e graduando em Jornalismo pela UniNassau.

35 posts | 0 comments

Comments are closed.