Mundial de 1999 embalou o “casamento de Romeu e Julieta”

Mundial de 1999 embalou o “casamento de Romeu e Julieta”

Like
995
0
sábado, 18 novembro 2017
Estaduais & Regionais

Corinthians e Palmeiras. O dérbi paulistano sempre é cenário de grandes jogos de futebol e de qualquer outro esporte que em algum momento, as duas equipes chegaram a se enfrentar. Roteiro farto para que Jandira Martini, Marcos Caruso e Mário Prata criassem um dos roteiros mais divertidos do cinema brasileiro. Os três, que são grandes na dramaturgia nacional, se inspiraram justamente num conto de Mário, um dos responsáveis pela obra. Neste livro, intitulado “Palmeiras: Um caso de Amor”, Prata destaca grandes feitos do Palmeiras como o dia em que o time representou a Seleção Brasileira, o dia em que venceu a Juventus de Turim e ergueu a Taça Rio, além da conquista da Libertadores de 1999. E foi justamente aquela Libertadores que deu o pontapé inicial ao tema central do longa metragem.

 

O longa

Romeu em seu habitat natural. Foto: Globofilmes/divulgação

O filme foi lançado em 2005 e teve como principais atores o palmeirense Marco Ricca e os são-paulinos Luana Piovani e Luis Gustavo. Ricca interpreta o corintiano Romeu, criado por sua avó fanática pelo Corinthians após perder seus pais num acidente de avião. Já Luana Piovani interpreta palmeirense Julieta, que tinha este nome não pela história de Shakespeare, mas pela junção dos nomes de Julinho Botelho e do argentino Echevarrieta, ídolos da história do time alviverde. Ambos vinham de uma linhagem familiar que já torciam pelo clube, algo de sangue.

O enredo está em torno do ano de 1999, quando o Palmeiras é campeão da Libertadores e vai ao Mundial em Tóquio. Romeu e Julieta se apaixonam quando ela admira ele num jogo entre Corinthians e Palmeiras, que puxa a torcida corintiana e a inflama até que o Corinthians conquista o empate naquele jogo. Na saída do jogo se encontram novamente e ela se encanta cada vez mais pelo “rival”.

O amor de Romeu fez com que ele fingisse durante um tempo que era palmeirense, já que a família de Julieta, principalmente seu pai Alfredo Baragatti (Luis Gustavo), jamais aceitaria a relação da filha, musa do time e jogadora do time de futebol feminino do Palmeiras com um corintiano. O detalhe é que Julieta não sabia que seu amado era na verdade, um rival infiltrado fingindo torcer para o alviverde até descobrir graças a um chaveiro que entregou Romeu. Mesmo assim ela gosta da atitude de Romeu pelo amor dos dois.

O desesperado e corintiano Romeu no meio da fanática torcida do Palmeiras. Foto: Globofilmes/Divulgação

Todo esse amor faz com que Romeu viaje junto com seu sogro palmeirense e mais um grande grupo de palmeirenses para o Japão, acompanhar a final do Mundial. O Palmeiras perde, a torcida entristece mas Romeu fica aliviado por ver o seu time de mentira perder o que seria o maior título daquele clube. Quando ele decide contar para o sogro que na verdade é corintiano, o conflito é iminente.

O longa de Bruno Barreto, que vivia uma fase divertida da carreira após dirigir “Voando Alto”, um clássico da Sessão da Tarde protagonizado por Gwyneth Paltrow, retrata de maneira leve o que é ser corintiano ou ser palmeirense. Torcer para um dos dois times é ter a certeza de fazer parte de uma das torcidas mais fanáticas do Brasil. Para todo canto do país, encontrar palmeirenses e corintianos não é tarefa difícil e este, geralmente é fanático pelo alviverde ou pelo alvinegro.

Torcer e ter um rival é complementar a sua torcida. A disputa para ver quem é melhor fomenta qualquer rivalidade. Os objetivos nunca acabam e um time sempre vai querer ser melhor que o outro e superar seus feitos. Mas além disso tudo, a mensagem do longa é sobretudo a da paz entre torcidas e o futebol como um esporte, como amor, paixão, alegria e nunca batalhas campais inescrupulosas que mancham a história e o contexto principal do esporte, a disputa limpa e a festa de quem ganha. E cada dia, um diferente conquista suas vitórias.

 

Ficha técnica

Duração: 93 minutos.
Ano de Produção: 2005.
produção: Paula Barreto por LC Barreto.

direção: Bruno Barreto.
elenco: Luana Piovani como Julieta. Luiz Gustavo como Baragatti, Marco Ricca como Romeu. Berta Zemel como Nenzica, Martha Mellinger como Isabela, Mel Lisboa como Joana. Leonardo Miggiorin como Zilinho, Renato Consorte como Imparato.
roteiro adaptado: Jandira Martini, Marcos Caruso e Bruno Barreto, por O Casamento de Romeu e Julieta, baseado no conto “Palmeiras” de Mário Prata.
direção de fotografia: Adriano Goldman.
direção de arte: Cássio Amarante.
figurino: Caia Guimarães.
maquiagem: Gabi Moraes.
montagem: Ricardo Mehedff.
som direto: Geraldo Ribeiro.
edição sonora: Miriam Biderman.
mixagem: Reilly Steele.
trilha sonora: Guto Graça Melo.

 

Foto em destaque: Globo Filmes / divulgação.

 

Redator: Danilo Dias, de São Paulo.

Danilo Dias

Danilo Dias

Danilo Dias é formado em Tecnologia em Futebol, pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte e atualmente é estudante de Direito. Apaixonado por futebol, aficionado por automobilismo[...]

75 posts | 0 comments