LBF: iniciativa de amigas faz perfil do Twitter chegar a 13 mil seguidores

LBF: iniciativa de amigas faz perfil do Twitter chegar a 13 mil seguidores

7
737
0
segunda-feira, 06 julho 2020
Basquete Feminino

Grupo de amigas se organizou para conseguir mais seguidores para o perfil da Liga de Basquete Feminino (LBF) no Twitter, a partir de sexta-feira (3). Ana Carolina Campos, Ellen Moreira, Júlia França, Maria Franco, Maria Luiza Torres, Mariana Dias, Victória Galle, Vitória Corrêa e Vitória Lemos foram as idealizadoras do movimento. Dessa maneira, em entrevista exclusiva para a Rádio Poliesportiva, elas falaram a respeito da falta visibilidade para as mulheres no esporte.

Por Danyela Freitas, Goiânia-GO

Muitas jogadoras da Liga comentaram no Twitter sobre a iniciativa apoiaram. Entre elas, Karla Costa (Vera Cruz Campinas), Erika de Souza (Seleção Brasileira) e Débora Costa (SESI Araraquara). Quem também deu seu apoio foi nada menos que Hortência. Além da Rainha, Magic Paula também deu o recado. Até o momento, o perfil da LBF na rede social conta com mais de 13.570 seguidores.

A gente sempre conversou no nosso grupo sobre a diferença da quantidade de seguidores nos perfis de esporte masculino e feminino. Então, uma amiga nossa, a Vick [Victória Galle], resolver olhar a da LBF. Tinha pouco mais de 5 mil seguidores. Em contrapartida, o do NBB contava com mais de 130 mil. Dessa maneira, ela resolveu fazer uma divulgação e nós abraçamos a ideia, e deu no que deu. Não teve uma organização. […] Falta uma desconstrução nas pessoas para assistirem ao esporte feminino. Sempre falam que as mulheres não sabem jogar, mas muitas vezes as pessoas nunca nem assistiram para saber. Aqui no Brasil, a maioria das mulheres não recebe salários. Elas jogam por amor”, declarou a jornalista Mariana Dias, uma das idealizadoras.

Falta de incentivo aos esportes 

Recentemente, em entrevista à Rádio Sociedade, o presidente do Vitória, da Bahia, Paulo Carneio, minimizou a importância do futebol feminino. Além disso, o dirigente deixou claro que, para ele, a modalidade não é prioridade. Em suma, o clube recebeu recursos de apoio ao futebol vindo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no valor de R$ 120 mil com a finalidade de quitar salários das jogadoras da equipe feminina do Rubro-negro.

Entretanto, Carneiro declarou que “[…] o presidente do Vitória faz do dinheiro o que ele quiser e assume suas responsabilidades pelos seus atos perante o Conselho Fiscal.” Ao ser perguntada sobre a falta de visibilidade no esporte feminino, Maria Luiza Torres não titubeou em dizer que inexiste também patrocínio. Além do basquete, o futebol e o vôlei feminino lutam para conseguir apoio, principalmente no Brasil.

A falta de visibilidade é muito prejudicial para as mulheres que jogam nesses esportes. Graças a isso, as ligas de várias modalidades não são reconhecidas e não têm plateia. Consequentemente, sem isso, elas não conseguem patrocínios que ajudariam na melhora das ligas como um todo. Sem críticas e ajuda, as ligas femininas não tendem a melhorar e, se não melhorarem, grande parte do público pode perder o interesse. Dessa maneira, isso acaba se tornando uma bola de neve, causando mais problemas à frente”, garantiu Maria Luiza.

O perfil no Novo Basquete Brasil também apoiou a causa e divulgou no Twitter, comemorando a marca de 10 mil seguidores da LBF. A CBB e clubes de futebol, como o Bahia, juntaram-se ao movimento. Por fim, as idealizadoras falaram sobre projetos futuros de incentivo ao esporte feminino.

A propósito, estávamos com vários projetos futuros em relação a isso. Ver a proporção que tudo isso tomou só nos deu mais forças para seguir adiante com esse projeto que já tínhamos em mente há um tempo. Não queremos dar muitos detalhes, mas estamos planejando para que saia ainda nesta semana, no Twitter e no Instagram”, disse Vitória Lemos.

LBF 2020 foi cancelada

Em suma, depois de quase três meses de reuniões semanais por videoconferência para debater a respeito da atual situação, as equipes da Liga de Basquete Feminino decidiram, no fim de junho, pelo cancelamento da temporada. Dessa maneira, por conta da pandemia de Covid-19, os oito clubes participantes e a diretoria da Liga entraram em um acordo para que não seja realizada. As equipes são Blumenau-SC, Ituano Basquete-SP, Sodiê Doces/LSB-RJ, Pró-Esporte/Sorocaba-SP, Sampaio Basquete-MA, Santo André/Apaba-SP, SESI Araraquara-SP e Vera Cruz Campinas-SP.

Foto destaque: Divulgação/LBF

Danyela Freitas

Sou goianiense, graduada em Letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG), pós-graduada em Jornalismo Esportivo pela Estácio-SP e tenho três grandes paixões: a escrita, a leitura e o esporte (n[...]

126 posts | 0 comments

Comments are closed.