Kyalami 1974

Kyalami 1974

Like
1315
0
sexta-feira, 02 junho 2017
Automobilismo

Seu nome verdadeiro era Peter Jeffrey Revlon, e sempre dizia que a Fórmula 1 “é o filé mignon do automobilismo mundial. O sobrenome que adotou ‘REVSON” foi para evitar que ligassem a sua imagem de piloto com o nome de sua família “REVOLN”, dona de uma das maiores industrias de cosméticos dos Estados Unidos.

Iniciou sua carreira em 1961 na Fórmula Jr europeia; em 1963 estava na Fórmula 3 e no ano seguinte comprou uma Lotus e tentou a Fórmula 1, sem nenhum resultado expressivo.

Nos anos de 1964 e 1965, conseguiu algumas vitórias na Fórmula 2. No ano seguinte como piloto da Ford americana disputou o mundial de marcas e foi campeão, vencendo em Sebring, Monza e Spa.

Peter Revson se destacou em 1969 nas 500 milhas de Indianápolis, largando em último e chegando na quinta colocação. Esse desempenho levou-o a disputar em 1970 pela Carl Hass a Can-Am, ficando em oitavo lugar. Em 1971 foi campeão da Can-Am pela McLaren, e nesse mesmo ano encontrou um tempinho para disputar as 500 milhas de Indianápolis, e chegou em segundo lugar.

Em 1972 a McLaren desistiu da Can-Am para dedicar-se apenas a Fórmula 1, e Peter Revson voltou a correr na categoria, onde ganhou dois GPs no ano de 1973; Inglaterra e Canadá. No ano seguinte, já na Shadow, em Kyalami, na curva Barbecue, morreu quando seu carro bateu no guard-rail, subiu e capotou, prendendo-o nas ferragens.

Carros de corrida e mulheres bonitas foram os dois principais interesses que Peter Revson teve na vida. Era um bom vivant.

 

Foto de capa: The Cahier Archive

 

Redator da matéria: Luiz Máximo, de São Paulo

Luiz Máximo Moreno Morelo

Meu nome é Luiz Máximo Morelo, sou paulista, 65 anos, comecei no rádio em 1968. Em 1976 fui para a TV Record, depois Rede Bandeirantes, Globo, SBT e por 20 anos trabalhei na TV Cultura. Sempre acom[...]

350 posts | 0 comments

Menu Title