Kanela: um dos maiores nomes do esporte brasileiro

Kanela: um dos maiores nomes do esporte brasileiro

1
154
0
segunda-feira, 17 maio 2021
Garrafão Verde-Amarelo

Com passagens pelo futebol e pelo polo aquático, Kanela é o técnico mais vencedor da história do basquete brasileiro. Em 21 anos no comando da seleção, foi bicampeão mundial em 1959 e 1963. Em 1992 faleceu no Rio de Janeiro, aos 86 anos. Este é o tema da coluna Garrafão Verde-Amarelo.

Por: Pedro Fecchio, São Paulo-SP

O INÍCIO NO FUTEBOL E NO POLO AQUÁTICO

Natural de João Pessoa, Paraíba, Togo Renan Soares nasceu em 21 de maio de 1906. O apelido Kanela vem dos amigos, por conta da finura de suas pernas. Logo na adolescência se mudou para o Rio de Janeiro.

Primeiramente, o paraibano foi jogador e treinador de polo aquático do Botafogo. Logo após, trocou a piscina pelo campo, onde treinou as equipes de futebol do Botafogo, Bangu e Flamengo. Posteriormente, no fim dos anos 40, Kanela ingressou no basquete do Rubro Negro.

A REVOLUÇÃO NO BASQUETE

Com o propósito de mudar o esporte, Kanela chega ao basquete do Flamengo em 1948. Logo cedo, bateu recordes, conquistando 10 campeonatos cariocas seguidos, entre os anos de 1951 e 1960. Em suma, foram 14 títulos estaduais pelo Rubro Negro.

Ao mesmo tempo, treinava o Brasil. Com toda a certeza, a seleção brasileira de Kanela é a mais vencedor do basquete nacional. Estrategista, o treinador reinventou o esporte com pedidos de tempos cirúrgicos e um estilo de jogo voltado para o contra-ataque.

O Brasil de Kanela venceu por duas vezes o mundial, em 1959 e 1963. Além disso, foi vice-campeão do mundo em 1954 e medalha de bronze nas Olimpíadas de Roma em 1960.

CURIOSIDADES

Em primeiro lugar, Kanela era sobrinho de Camilo de Holanda, ex-governador da Paraíba. Além disso, era tio de Jô Soares, famoso apresentador da televisão brasileira.

Outro ponto é que o treinador, apesar de ter sido treinador e jogador de polo aquáticos, nunca soube nadar. Entretanto, sempre se destacou no esporte. No futebol, revelou o grande zagueiro Domingos da Guia.

No basquete, Kanela literalmente revolucionou. Além de mostrar ao mundo como utilizar de forma inteligente os pedidos de tempo técnico, criou o contra-ataque e a zona morta. Definitivamente, era um fanático por tática e repetição.

O FIM DA LENDA

Em 12 de dezembro de 1992, faleceu Kanela, aos 86 anos de idade. Definidamente, deixou um legado enorme para o esporte brasileiro, com grandes conquistas e mudanças, em especial no basquete.

Até os dias de hoje, Kanela é o único estrangeiro a ter o nome no Naismith Memorial Basketball. Além disso figura no Hall da Fama da FIBA.

Foto destaque: Divulgação/ Arquivo Nacional

Processo Eric

13 posts | 0 comments

Comments are closed.