Grêmio, a extremidade vitoriosa do futebol gaúcho

Grêmio, a extremidade vitoriosa do futebol gaúcho

2
1474
1
segunda-feira, 05 dezembro 2016
Copa do Brasil

O futebol gaúcho vive um fim de ano de extremos, com seus dois maiores campeões e representantes em situações totalmente opostas, tanto dentro quanto fora de campo.

Em uma das extremidades está o Internacional, cuja diretoria, com suas declarações mesquinhas, parece afundar, ao que tudo indica, junto com o time em direção à série B do Campeonato Brasileiro. Alvos de protestos da torcida colorada no último sábado, os principais responsáveis pela verborragia insensata pós tragédia com o avião da Chapecoense foram o vice de futebol, Fernando Carvalho, e o presidente do clube, Vitorio Piffero.

30517387374_0f5b39f79a_b

Jogadores do Grêmio em corrente de orações pelas vítimas do avião da Chapecoense e seus familiares – Foto de Lucas Uebel/Divulgação

Na outra ponta, e vivendo exatamente o oposto, está o Grêmio, que já tem ao menos uma das mãos na taça da Copa do Brasil, após a bela vitória por 3 a 1 – mesmo com a expulsão de Pedro Rocha (autor de dois gols), em Minas Gerais – contra o Atlético-MG no primeiro jogo da decisão. A derrota custou a demissão do técnico alvinegro, Marcelo Oliveira, horas após a partida.

Fora de campo, alguns dias depois do triunfo contra Galo, o Grêmio demonstrou a solidariedade e a grandeza que faltaram aos colorados. Velou em sua arena, no último fim de semana, o corpo do zagueiro Filipe Machado, da Chapecoense, revelado pelo rival Inter (que procurou a família do atleta somente após os últimos acordarem a cerimônia com os tricolores).

Dentro das quatro linhas, e principalmente fora de casa, a trajetória do Grêmio na Copa do Brasil é digna de um campeão.

O Tricolor gaúcho entrou na competição nas oitavas de final e eliminou, nos pênaltis, o Atlético-PR. Venceu o Furacão em Curitiba, por 1 a zero. Em Porto Alegre, os atleticanos devolveram o mesmo placar, na partida em que o goleiro Marcelo Grohe foi, simultaneamente, carrasco e salvador.

A segunda vítima, nas quartas de final,  foi o Palmeiras, futuro campeão brasileiro: 2 a 1 na Arena Grêmio, e 1 a 1 na casa dos palmeirenses, em duas partidas disputadas.

Na semifinal, com um golaço de Luan e outro de Douglas, o Tricolor gaúcho bateu o Cruzeiro no Mineirão por 2 a zero. No jogo da volta, zero a zero em Porto Alegre e festa da torcida.

Copeiros, os gaúchos têm tudo para conquistar o quinto título e, nesta quarta-feira, tornarem-se os maiores campeões da Copa do Brasil. Será um jogo bastante emocionante, um triunfo que deverá ser comemorado, porém de maneira comedida. A dor ainda é grande em quase todos nós.

Leonardo Guandeline

78 posts | 7 comments

Menu Title