Felipe Lima e Guilherme Costa conseguem índices olímpicos no 1º dia de seletiva brasileira da natação

Felipe Lima e Guilherme Costa conseguem índices olímpicos no 1º dia de seletiva brasileira da natação

Like
180
0
terça-feira, 20 abril 2021
Natação

A princípio, a segunda-feira (19) foi um dia recheado de expectativa no parque aquático Maria Lenk. Afinal, se iniciou a seletiva olímpica da natação brasileira. Desse modo, apenas Felipe Lima nos 100m peito e Guilherme Costa “Cachorrão” nos 400m livre conseguiram alcançar o índice necessário para se classificar rumo a Tóquio. Por outro lado, algumas decepções aconteceram e atletas que já tinham marcas suficientes para se classificar ficaram no caminho. 

 400m Medley masculino

Antes de tudo, essa era uma prova que se tinha muita expectativa. Principalmente por parte de Brandonn Almeida que despontava como grande nome para conseguir o objetivo. De fato, Brandonn venceu a bateria. E o índice dessa prova é de 4min15s84. Contudo, o paulistano fez a marca de 4min16seg49. E apesar de todo o esforço e qualidade que o atleta tem, está fora dessa prova em Tóquio. Assim, os 400m Medley mostrou porquê é considerado uma prova tão dura, e por vezes cruel. Ainda mais, Leonardo Santos com 4min18s07 e Stephan Steverink com 4min21s36 fecharam o pódio.

100m Borboleta feminino

Primeiramente, o índice de 57s.92 estava sendo considerado muito difícil de ser conquistado pelos especialistas. Ainda assim, houve muito esforço por parte das nadadoras para se aproximar ao máximo da marca. Giovanna Diamante venceu com o tempo de 59s.03. Em seguida, Daynara de Paula com 59s.41 e Clarissa Rodrigues com 59s.63 fecharam as primeiras colocações. Portanto, mais uma prova que não teremos representantes.

400m Livre masculino

À primeira vista, essa era uma das provas mais aguardadas do dia. Porque contava com bons nomes da natação nacional. Assim, a meta estabelecida era de 3min46s78. O recordista brasileiro e sul-americano Guilherme Costa figurava como favorito para conquista o índice. E assim o fez. Com um final de prova forte, o carioca fechou com 3min45s85. Estabelecendo novos recordes nacional e continental. Ainda mais, havia a expectativa que Fernando Scheffer, Murilo Sartori ou Luiz Altamir conseguisse ao menos um deles chegar à marca. Apesar de ter feito um início de prova forte, Scheffer não conseguiu manter o ritmo e ficou com 3min47s77. Por outro lado, Sartori iniciou um pouco mais contido e tentou aumentar no fim, mas fechou com 3min51s32.

400m Medley feminino

Igualmente a prova dos 100 borboleta, já se esperava que a meta não iria ser batida. O índice de 4min38s53 é considerado muito forte. E as competidoras ainda não chegaram perto desta marca. Ainda assim, bons resultados surgiram. Gabrielle Roncatto com 4min45s51 e Nathalia Almeida com 4min47s97 atingiram suas melhores marcas pessoais, e ficaram com os dois primeiros lugares.

100m Peito masculino

Por fim, outra prova que surgia com muita expectativa de classificações, juntamente com os 400m livre. Antes de mais nada, já nas provas de classificação se tinha um candidato claro para obter o índice. Felipe Lima atingiu 59s74 pela manhã. O índice é de 59s.93. Contudo, essa marca da manhã não servia de nada oficialmente, e ele teria que repetir o bom desempenho à noite. E não decepcionou. Com 59s43, Felipe Lima se garantiu em Tóquio. Por outro lado, havia a expectativa de pelo menos mais um nadador alcançar a marca. O Brasil tem um geração de nadadores de peito muito boa, com João Gomes Jr e Felipe França que já tiveram ótimas marcas passadas. Ainda mais com Caio Pumputis surgindo. Contudo João e Caio ficaram 22 e 32 centésimos acima do tempo, respectivamente.

SELETIVA BRASILEIRA DE NATAÇÃO

Desse modo, a seletiva retorna na terça-feira (20), com as eliminatórias na parte do dia, e as finais à noite. Nomes como Etiene Medeiros, Breno Correia, Fernando Scheffer e Guilherme Guido caem na água em busca de seus índices olímpicos.

Foto destaque: Divulgação/Satiro Sodré/ SSPress/CBDA

Ayrton Niño

Historiador pela UFPE e graduando em Jornalismo pela UniNassau.

35 posts | 0 comments

Comments are closed.