Faixa preta no esporte e na vida. Giba Moyano, o deficiente visual que conquistou o topo do jiu-jitsu

Faixa preta no esporte e na vida. Giba Moyano, o deficiente visual que conquistou o topo do jiu-jitsu

Like
1451
0
segunda-feira, 04 setembro 2017
Outros Esportes

Ele nasceu com uma deficiência, chamada catarata congênita, mas como acontece com todos os campeões, todos os obstáculos são retirados do caminho. Esse obstáculo de não enxergar, não foi capaz de brecar os sonhos de Gilberto Moyano, o Giba, primeiro deficiente visual a conquistar a faixa preta de jiu-jitsu, e que viu e vê muitos objetivos realizados. Ele já sonha com os próximos. Confira a entrevista com Gilberto Moyano, este grande campeão do esporte e da vida.

 

Pergunta: Como surgiu a paixão pelo jiu-jitsu?

Resposta: Foi em uma terça feira, 21 de novembro de 1995, quando fiz o meu primeiro treino. Na época, eu estava com 13 anos e não enxergava, pois nasci com catarata congênita. Para ajudar eu estava obeso. Cheguei na academia dos professores Flávio Padilha e Juliano Prado, que hoje estão dando aulas em Los Angeles. Eu cheguei com muita vontade, pois tinha ouvido falar da arte suave na novela Malhação, que abordava o jiu-jitsu. Naquele ano, o esporte estava em ascensão no Rio de Janeiro, então fiquei empolgado e comecei a procurar por esta luta tão peculiar. Fui muito bem recebido pelos professores e me apaixonei já no primeiro treino com os golpes e a possibilidade de imobilizar o oponente, pois por não enxergar, me pareceu que a luta foi desenvolvida para pessoas cegas.

 

Pergunta: O que o jiu- jitsu representa na sua vida ?

Resposta: Eu sempre falo que o jiu-jitsu é o principal pilar da minha vida. Ele me deu estrutura física e psicológica, além de disciplina, preparo físico, auto-confiança, amigos, formação de caráter e equilíbrio.

 

Pergunta: Como é ser o primeiro deficiente visual que conquistou a faixa preta ?

Resposta: Quando eu conquistei a faixa não fazia muita diferença, pois o que eu mais me preocupava, era com a conquista da faixa preta por méritos. Então eu treinei muito por doze anos para esse momento, mas hoje em dia, é legal saber que fui o primeiro a chegar na graduação máxima do esporte, mas fico muito mais feliz em saber que depois de mim, alguns cegos chegaram nesta conquista. Agora em setembro deste ano, pego o terceiro grau na faixa preta, pela Federação Paulista.

 

Pergunta: Quais são os próximos degraus que o Giba quer subir no jiu-jitsu

Resposta: Depois de lutar vários campeonatos com pessoas que enxergam, ao decorrer destes 22 anos, ganhando algumas e perdendo outras lutas, estou mais focado em dar aulas, inclusive, pelas minhas pesquisas, também sou o primeiro e acho que o único cego do mundo a dar aulas de jiu – jitsu para pessoas que enxergam e a comandar uma equipe. Hoje estou com uma academia na cidade de Presidente Epitácio, interior de São Paulo, e com duas filiais, uma em Praia Grande com o meu aluno Tiago costa e a segunda em Mogi das Cruzes. Também tenho um canal no youtube, o Giba Moyano BJJ, onde posto vídeo aulas duas vezes por semana.

 

Pergunta: Quais são os benefícios que o jiu-jítsu pode trazer para quem tem algum tipo de deficiência?

Resposta: Inúmeros benefícios, pois o jiu- jitsu nos abre um enorme leque de possibilidades de adaptações, como para amputados, Dow, paraplégicos, PC,  etc. Além dos benefícios citados, traz para o deficiente, vida social, que muitas vezes é inexistente para as pessoas.  Em abril deste ano em Abudabe, criaram uma categoria para deficientes do mundo todo lutarem, valendo premiação, como acontece na categoria convencional. Sem falar, que desde 2014, já temos a CBPJJ, Confederação Brasileira de ParaJiu-Jitsu, a primeira Confederação do mundo para essa categoria, por onde  sou o atual tri-campeão Brasileiro e Bicampeão mundial. Isso é a prova máxima do que o jiu-jitsu pode fazer para um deficiente e onde ele pode chegar com o Jiu-Jitsu.

 

Giba Moyano no Campeonato Mundial de Para Jiu-Jitsu Foto: Arquivo pessoal / Perfil do Facebook Giba Moyano JJ/B9

 

 

Pergunta: Quem são os seus maiores ídolos no esporte ?

Resposta: Fisicamente, os meus professores ao decorrer destes anos, como já citados, o Flávio Padilha e Juliano Prado, além do meu irmão e parceiro João Herreira, o Pepão. Também os mestres Moises Muradi da Lótus Clube, o mestre Marco Barbosa e o professor Mário Dias da B9, onde faço parte desde 2003 e onde fui graduado com a faixa preta em 2008. Também Marcos Naldi e Cláudio Moser, meus primeiros professores de Judô. Virtualmente, admiro muito o Royce Gracie, pelo estilo  de sempre enfrentar qualquer adversário, não importando o tamanho, ou o peso. Seria uma grande honra poder conhecê-lo pessoalmente.

O Giba Moyano realiza e seminários. Para quem tiver interesse ou quiser entrar em contato. Pelo celular/WhatsApp,  (13) 9-9622-6006 ou Facebook, em Giba Moyano BJJ.

 

Foto de capa: Reprodução do Canal Youtube Giba Moyano BJJ

 

Repórter e redator da matéria: Eduardo Verdasca, de São Paulo.

 

Eduardo Verdasca Antunes

36 posts | 0 comments

Menu Title