Exclusivo: Fabián Sahdi fala sobre a sua chegada a Unifacisa e as expectativas

Exclusivo: Fabián Sahdi fala sobre a sua chegada a Unifacisa e as expectativas

Like
358
0
quarta-feira, 03 fevereiro 2021
Sem categoria

Unifacisa segue oscilando na disputa do NBB 20/21. Dessa maneira, o time de Campina Grande vem buscando alternativas para melhorar o seu desempenho. A contratação de Fabián Sahdi no final de 2020 foi uma das tentativas. No entanto, o armador de 31 anos, teve que ficar sem treinar no inicio de janeiro devido ao COVID-19. Com exclusividade para a Rádio Poliesportiva, o argentino falou sobre a sua carreira, essa nova etapa e sobre a equipe da Unifacisa.

Por Yuri Murta, Rio de Janeiro – RJ

A Unifacisa era uma das equipes apontadas pelos especialistas para chegar longe nos playoffs da NBB 20/21. No entanto, a mesma segue oscilando entre sequencias de derrotas e vitórias. Só para ilustrar, na bolha jogada no Marcanazinho na última semana, o time de Campina Grande perdeu dois dos três confrontos que disputou. Contudo, a ótima sequencia feita no inicio de dezembro faz com que o clube siga na décima colocação, por enquanto se classificando para os playoffs.

Para melhorar o elenco, em dezembro, foi anunciada a contratação de Fabián Sahdi. O armador argentino de 31 anos chegou para disputar a sua terceira temporada de NBB. Antes da Unifacisa, o atleta vestiu os uniformes do São José e do Rio Claro. Além disso, o jogador teve uma curta passagem no basquete da Colômbia em 2020. Sahdi tem média de 10,9 pontos e 6,9 assistências no basquete brasileiro.

Apesar de já fazer parte da equipe desde o início do ano, Fabián Sahdi ainda não entrou em quadra pela Unifacisa. Isso aconteceu, uma vez que, o jogador teve COVID-19 no início de janeiro e teve que ficar fora dos treinos. No entanto, já recuperado, Sahdi viaja para próxima bolha em Brasília com expectativa 100% de estrear.

Confira a entrevista a seguir:

ENTREVISTA COM FABIÁN SAHDI

CHEGADA A UNIFACISA

Como foram as conversas para você chegar a um acordo com a Unifacisa?

“Quando eu voltei da Colômbia, o César já tinha chegado. Ele estava precisando de um jogador com as minhas características e eu estava disponível no mercado. Ele ja me conhecia por termos nos enfrentado antes e eu tive muitas referencias boas dele, e do time também com o projeto que eles estão realizando aqui. Então, tudo fez com que fosse mais fácil para todo mundo a decisão de vir para aqui.”

COVID-19 E PRIMEIROS TREINOS

Devido a COVID-19, você ainda não pode estrear pela Unifacisa. Como foram esses primeiros dias no clube?

Eu tive sensações diferentes. Por um lado, eu não apresentava nenhum sintoma e era mais o tédio que eu sentia por estar isolado do que qualquer outra coisa. Por outro lado, eu estava tranquilo e grato por não ter passado tão mal quanto outras pessoas que tinham o vírus, foi difícil para eles. Então, eu estava sem dores e problemas de nenhum tipo.”

Como foram os primeros treinamentos con a equipe? O que pode dizer sobre ela?

Os treinos não foram muitos, foram poucos os que eu consegui fazer com o time, mas foram muito bons. Nós temos um time muito bom, só que temos que ter paciência, porque é um time novo e as vezes demora para arrumar as peças. Mas, eu tenho certeza que nesse segundo turno, nos vamos mudar a cara e vamos mostrar outra versão da Unifacisa, quando tivermos o time completo.”

NBB 20/21 E EXPECTATIVAS 

Esta é a sua terceira temporada no Brasil. Qual a diferença dela para as demais?

Eu acho que consegui me adaptar bem desde que cheguei e continuo tentando ganhar um lugar dentro da liga. Eu sei que é difícil, mas agora eu já conheço mais como as coisas funcionam: A linguagem, a forma de jogar. Então, eu me sinto preparado para ajudar o time até acabar o campeonato.”  

Quais são os pontos comuns e diferentes da Unifacisa para as outras equipes que você jogou? 

Nos temos muito talento, jogadores individuais com experiencia. Acho que o desafio agora é conseguir tudo isso jogando junto. Nos temos um time longo com 12 jogadores que conseguem fazer as coisas bem dentro da quadra e nem todos os times conseguem isso. Então, eu acho que temos que tentar tirar proveito dessa vantagem jogando com intensidade do minuto um ao 40.”

O que a torcida da Unifacisa pode esperar de você?

O que o torcedor da Unifacisa pode esperar de mim é o que eu tenho feito nos últimos anos. Eu tento jogar de forma inteligente, encontrar meus bem colocados na quadra e quando é necessário poder somar pontos também. Eu posso trazer experiencia e junto com o resto do time tentar dar o máximo como conjunto para que as coisas deem certas.”

Foto Destaque: Amanda Rocha/Unifacisa

Yuri Murta

Yuri Murta

Estudante de jornalismo e geografia, apaixonado por esportes no geral e por tudo que o cerca. Isso define quem é Yuri Lima Murta. O amor principalmente pelo basquete e futebol vem desde pequeno e o g[...]

68 posts | 0 comments

Comments are closed.