Exclusiva: melhor fixo da Liga nacional de 2017, Daniel Ferreira fala sobre o início de sua carreira até a chegada ao Corinthians

Exclusiva: melhor fixo da Liga nacional de 2017, Daniel Ferreira fala sobre o início de sua carreira até a chegada ao Corinthians

1
436
0
quarta-feira, 17 junho 2020
Futsal

Com uma grande estrutura no Rio de Janeiro, Daniel Ferreira teve passagens pelas quatro grandes equipes do Estado. Dessa maneira, chegando ao Assoeva e fazendo grandes coisas pelo clube do Sul. Nesta primeira parte desta entrevista exclusiva, Daniel fala sobre sua carreira, títulos, e a chegada ao Corinthians, clube qual está hoje.

Por Daniel Soares, Osasco-SP

A TRAJETÓRIA DE DANIEL

Além dos times populares, o Rio de Janeiro, conta com times que ajudam a manter o futsal nivelado, como por exemplo o Madureira. Isso ajudou Daniel, times e treinadores, em todos os aspectos, nessa transição. O jogador nos contou que a base é fundamental para todos, e que o futsal deveria ser mais valorizado.

“Isso me ajudou bastante, na minha parte mental, e também para se tornar um homem. Hoje a base é muito importante, não igual antes. Se tivéssemos uma continuação da preparação, o futsal seria bem mais valorizado”. 

Com muita rodagem, Daniel se tornou profissional e sua primeira equipe foi o Vasco da Gama. Após de um bom tempo no profissional, o atleta ganhou maturidade e diz que queria ganhar uma identidade nos times em que joga. Dessa forma, chegou ao Botafogo, onde foi campeão carioca.

“Meu primeiro clube profissional foi o Vasco, depois fui para o Botafogo, onde tive a felicidade de ser campeão carioca, depois fui para o Petrópolis, também do Rio. Logo após foi onde comecei a viajar pelo Brasil, tive passagem de um ano pelo Umuarama do Paraná, com muita história boa, de lá criei uma identidade muito boa com um clube chamado Assoeva, do RS, onde fiquei por quatro anos. Uma passagem sensacional, o clube nunca tinha ganhado nada. Conseguimos vencer um campeonato Gaúcho e chegar na final da Liga Nacional de Futsal, mas infelizmente não vencemos, porém criamos um pouco mais história para o time”.

ASSOEVA DO CORAÇÃO

Com muito destaque no Assoeva, e uma temporada inesquecível, tanto para o clube e para Daniel, o cenário do futsal cresceu para o time do Sul. Dessa forma, o jogador, com grande poder de marcação, velocidade, visão de jogo e um bom poder de finalização foi um dos mais importantes na temporada de 2017, a melhor do clube. Sendo assim, ele foi artilheiro da equipe na liga com oito gols, ao lado de Boni, Sacon e Valdin, três desses gols foram na semi final, contra o Marreco.

Assoeva tem um espaço muito grande no meu coração, fiquei lá por quatro temporadas, 2014, 2015, 2016 e 2017. Foram três anos batendo na trave, até que no último, graças a Deus, consegui fazer história pelo clube. O time nunca tinha ganhado um campeonato de expressão. Além de um título, chegar na final foi algo muito importante para o clube. Fizemos dois grandes jogos na final, poderíamos ter saído com a vitória, mas, o corpo já estava bem cansado. Tivemos alguns desfalques, por outro lado, os guerreiros estavam lá presente”, palavras de Daniel, melhor fixo da liga nacional de 2017.

CHEGADA NO CORINTHIANS

Com uma temporada brilhante em 2017, claro que o time do Assoeva teria dificuldades para segurar seus jogadores. Sendo assim, Daniel recebeu proposta do Timão. O atleta disse que sua chegada no clube paulista foi tranquila, pelo fato dele ir com seu companheiro de longas datas, Renatinho. E o clube alvinegro dar uma boa recepção e uma grande estrutura para os jogadores recém chegados ao elenco. Dessa forma, os atletas conseguem ter uma boa adaptação.

 

Logo em sua primeira temporada pelo Corinthians, Daniel já conseguiu títulos. Dessa maneira, sendo campeão Paulista e campeão da Copa do Brasil, com direito a gol na final.

“Sempre é bom vencer, ser campeão, fazer gols em finais, e cada titulo tem sua importância. Infelizmente perdemos pro campeão da liga nacional, o Pato, foram merecedores do título. Na Copa do Brasil, tivemos dois jogos complicados contra o Joinville. Vencemos fora de casa, onde foi um resultado ótimo, e vencemos em casa e  se consagramos campeão, e fazendo gol, é ainda melhor”.

 

O BANDO DE LOUCOS

” A torcida ajuda muito, o Corinthians tem torcida em todo lugar do Brasil e do Mundo. São muito fanáticos, estão sempre nos incentivando no momento ruim, e na fase boa, ainda mais. Isso é muito importante, nos sentimos apoiado dentro e fora de casa“.

O ano de 2019 para o Corinthians de Daniel, também foi de triunfos. Dessa maneira, a equipe paulista disputou sete campeonatos e levantou quatro canecos, sendo eles, Supercopa, Copa do Brasil, Liga paulista e Campeonato paulista.

“O ano de 2019 foi muito bom para a nossa equipe, ficamos no caminho em duas semi-finais e um nas quartas. Mas, são coisas que fez a gente crescer, as coisas são assim, todos querem vencer, porém, só um consegue. Temos que valorizar esse feito que nossa equipe fez, de quatro títulos”.

O titulo da liga Paulista, que foi conquistado pelo Corinthians, batendo o Magnus na final, ficou marcado por uma confusão. Exclusivamente, Daniel nos conta o que aconteceu dentro de quadra.

A final contra o Magnus, foi marcada por uma confusão boba. A equipe adversaria poderia ter voltado para o jogo, porém, eles decidiram não voltar. Sendo assim, fomos decretados campeão. Isso não tira nossos méritos e nem nosso respeito. Dessa forma, vem sendo bem difícil vencer a gente na final, e isso é o que mais importa pra gente, em todas finais que chegamos, a gente ergueu o troféu, isso mostra nossa força”.

View this post on Instagram

Minha opinião sobre o jogo de ontem: jogo bonito, onde às duas equipes estavam bem na partida, Magnus jogando bem ??, nossa equipe jogando bem tbm e até o momento da confusão tava lindo, ok? ok! Minha opinião sobre a confusão: sobre o meu companheiro de clube, amigo e etc, eu Daniel Ferreira da Cruz, nunca vi o @renatinhofutsal21 entrar em NENHUM tipo de confusão, nem pra separar ele serve ???… pra ele fazer o que foi feito, não foi atoa, antes do acontecido fora de quadra, teve o lance que ocasionou tudo isso, lance em que ele fez a falta pra que o adversário não se lançasse ao contra-ataque, que é algo normal no nosso esporte, ele foi agredido, tomar um soco na cara e você não fazer nada é algo difícil (parabéns pra quem consegue, isso não é pra qualquer um) ainda mais sendo de um atleta bem mais jovem… . . Falando pelo ocorrido entre os atletas fora de quadra, o próprio Renato poderia ter feito algo pior, uma agressão mais forte e grave, mas ele tem tanta pureza no coração, que ele fez aquela situação do vídeo, (puxou pela gola da camisa e empurrou a nuca do adversário) pelo que estão dizendo, parece até que o atleta adversário está no hospital, sofreu grandes ferimentos e blá blá blá, então amigos e companheiros de trabalho, com todo respeito, ninguém foi SANTO nesse lance, os dois atletas estão errados e vamos parar de palhaçada… Infelizmente isso acaba manchando o nosso esporte, mas se foi assim, faz parte, já vimos coisas piores do que isso… . . Sem esquecer, somos campeões da @lpfoficial ?, independente de quem jogou do time adversário, não vejo idade, vejo homens, parabéns a equipe do Magnus pela partida… Família Corinthians, parabéns pra nós pelos títulos conquistados esse ano (Supercopa, Copa do Brasil, Liga Paulista e Campeonato Paulista) amo vocês ?????⚽️❤. . . Obs: podem colocar texto bonito, irônico e qualquer outra coisa, no meu lado não anda gente de má índole, sei quem tá do meu lado, forte abraço a todos e estou de férias, ok? ok! ????❤ . . @a.afotos ??????? . . #DeusNaFrente #Daniel13Futsal #WoneSports #PenaltyBR #D9MeuGuerraTeAmo ?? #FériasModoOnline #SemGracinhaOk?Ok!

A post shared by DANIEL FERREIRA (@danielmb131) on

Foto destaque: Reprodução/ Instagram – Daniel Ferreira

Daniel Soares

Daniel Soares, 20 anos, cursando jornalismo. Apaixonado por esportes, aos 16 anos viu que o jornalismo esportivo seria uma forma de estar no ramo. Tendo o estádio como segunda casa, tem a ambição d[...]

7 posts | 0 comments

Comments are closed.