Draft 1984: uma revelação de craques da NBA

Draft 1984: uma revelação de craques da NBA

Like
930
0
sexta-feira, 05 junho 2020
Step-back pela história

Sejam bem-vindos a mais nova coluna da Rádio Poliesportiva. O arquivo de grandes contos da maior liga de basquete do mundo, você poderá encontrar aqui, na Step-Back pela História. Dessa forma, a cada semana, um acontecimento histórico da bola laranja nos Estados Unidos será trazido no site da rádio de todos os esportes. Então, como esse é o começo, o Draft da NBA é o início de uma jornada dos futuros jogadores da liga. Enfim, na edição de 1984, vários craques foram draftados. Michael Jordan, Charles Barkley e teve até brasileiro na cerimônia. Todos os que falaremos aqui, estão no Hall da Fama.

Por Caíque Ribeiro, São Paulo-SP

DRAFT DE 1984

Primeiramente, o draft é uma cerimônia onde as equipes escolhem os novos jogadores de suas franquias, que atuaram por suas universidades. É um evento muito comum nos esportes americanos. Dessa forma, a edição de 1984 foi um marco histórico na NBA. No evento, realizado no famoso Madison Square Garden, em Nova York, os times escolheram os respectivos atletas. E que atletas. Sendo assim, nomes como Michael Jordan, Charles Barkley, John Stockton e Hakeem Olajuwon estavam na lista. E você sabia que Jordan não foi a pick 1?

HAKEEM OLAJUWON – A ESCOLHA NÚMERO 1 DO DRAFT 

Isso mesmo, Michael Jordan, considerado por muitos o maior jogador de todos os tempos, não foi a escolha número 1 de seu draft. Esse título pertence a Hakeem Olajuwon, que foi draftado pelo Houston Rockets. Entretanto, para muitos especialistas, não era nenhuma surpresa que o eterno camisa 34 dos Rockets viesse antes de Michael. A saber, o nigeriano era o grande destaque da Universidade de Houston. Apesar de sua faculdade não ter sida a campeã, o atleta foi eleito o MVP da NCAA em 1983, o que deu destaque ao craque.

Dessa forma, foram 18 temporadas, entre 1984 e 2002. Além disso, foi bicampeão da liga por Houston, em 1994 e 1995, curiosamente, nas duas temporadas que o Chicago Bulls de Michael Jordan não chegou as finais. Ademais, em 2001, preferiu ir para o Toronto Raptors, onde jogou por apenas um ano, antes de se retirar. Enfim, The Dream teve sua camisa 34 aposentada pelos Rockets e tem o maior número de tocos da história NBA, com 3.830. Apesar de não ser o principal nome na história daquele draft, Olajuwon fez justiça por ser a primeira escolha.

MICHAEL JORDAN – O MAIOR NOME DE TODOS OS TEMPOS DA NBA (E DO DRAFT)

Michael Jordan se não é o maior jogador de todos os tempos, sem dúvida trouxe uma relevância mundial para a NBA nunca vista, o que coloca ele nesse panteão, além de todas as façanhas conquistadas. Entretanto, se engana quem acha que ele foi o primeiro no seu draft, como já mencionamos. Ainda, MJ não foi nem a segunda escolha daquele ano, sendo desbancado pelo Sam Bowie que foi para o Portland Trail Blazers. Queria o destino que o Chicago Bulls tivesse a pick 3 e draftasse o jovem atleta da Universidade da Carolina do Norte.

Desde então, a história fala por si só. Em 1991, Michael levou Chicago até a primeira final da NBA, contra o Lakers de Magic Johnson, após despachar o Detroit Pistons na decisão do leste. Na ocasião, os Bulls conquistaria apenas o primeiro dos seis títulos da liga, todos com Jordan. Além disso, 5 vezes MVP do campeonato, seis vezes o melhor jogador das finais, medalha de ouro com o Dream Team em 1992. Esses dois parágrafos são poucos para descrever a carreira de MJ. O atleta ainda atuou no Washington Wizards, ao final de sua carreira, com 19 anos de trajetória (1984-2003).

CHARLES BARKLEY – UM DOS MAIORES ATLETAS NUNCA CAMPEÕES DA NBA

Escolha número 5 do lendário Draft, Charles Barkley, da Universidade de Auburn, sem dúvidas, é um dos maiores jogadores da história da NBA. Dessa forma, foi selecionado pelo Philadelphia 76ers, e junto de Moses Malone e Julius Erving, formaram um dos melhores trios dos anos 80. Entretanto, pararam nas finais do Leste, perdendo para o Boston Celtics. Porém, foi no Arizona que o atleta teve seus melhores momentos na carreira.

Sendo assim, Charles Barkley em 1992, foi trocado para o Phoenix Suns, após integrar o Dream Team dos EUA nas Olímpiadas de Barcelona. E não fez feio. Logo em sua primeira temporada no Arizona, foi eleito MVP e levou a franquia até as finais da NBA. Entretanto, foram derrotados pelo lendário Chicago Bulls de Michael Jordan. Barkley ainda passaria pelo Houston Rockets entre 1996 e 2000, antes de encerrar sua carreira. Enfim, entrou no Hall da Fama e foi campeão olímpico duas vezes.

JOHN STOCKTON – A MAIOR SURPRESA DO DRAFT DA NBA DE 1984

Vindo da Universidade de Gonzaga, e escolhido pelo Utah Jazz, ninguém imaginava que naquele dia no Madison Square Garden, a 16ª escolha geral daquel draft se tornaria um dos maiores armadores da história da NBA. Dessa forma, John Stockton fez história na franquia de Salt Lake City. Além disso, ao lado de Karl Malone, formou talvez a maior dupla da liga que nunca conquistou o troféu Larry O’Brien.

John Stockton passou todos os seus 19 anos (1984-2003) de liga na franquia que o draftou. Dessa forma, foi escolhido em 10 oportunidades para o All-Star Game, e também liderou por nove anos seguidos, as estatísticas de assistências da NBA. Dessa forma, o jogador é o maior assistente da história, com 15.806 e o atleta com o maior número de roubos de bola, com 3.265. Entretanto, nas duas finais que conseguiu chegar junto com o Utah Jazz, sua equipe foi derrotada pelo Chicago Bulls de Michael Jordan. Enfim, o eterno camisa 12 de Salt Lake ainda conquistou dois ouros olímpicos (1992, 1996).

OSCAR SCHMIDT – O BRASILEIRO QUE RECUSOU A NBA 

Enfim, um dos maiores jogadores da história, que não são norte-americanos, também participou daquele Draft. Além disso, foi escolhido por uma franquia. O brasileiro Oscar Schmidt, maior jogador de basquete da história do nosso país, teve a chance de jogar na NBA, em 1984. Dessa forma, o ala foi a 131º escolha, feita pelo New Jersey Nets, atualmente, Brooklyn Nets. Entretanto, o atleta teve que fazer uma dura escolha.

Pelo fato de estrangeiros não poderem atuar em suas seleções caso fossem para liga, Oscar recusou o New Jersey Nets. Dessa forma, o brasileiro nunca teve uma chance de atuar nos Estados Unidos. Porém, o ala teve o reconhecimento pela própria NBA, e mesmo sem ter feito um jogo, está no Hall da Fama e foi homenageando pelo Brooklyn. Enfim, isso só mostra a grandeza do jogador dentro do esporte, e sua difícil escolha, na época.

ASSISTA O DRAFT DA NBA DE 1984 NA ÍNTEGRA:

Foto destaque: Reprodução/Getty Images

Caíque Ribeiro

Olá, sou o Caíque e tenho 20 anos e uma paixão imensa por esportes. Resolvi me tornar jornalista esportivo por esse amor e ter um compromisso de trazer a informação mais próxima de você leitor.[...]

138 posts | 0 comments