Doping, frustração por um centésimo e mais classificações na Seletiva Olímpica

Doping, frustração por um centésimo e mais classificações na Seletiva Olímpica

1
213
0
sábado, 24 abril 2021
Natação

Na sexta-feira (23), o 5º dia da Seletiva Olímpica Brasileira de Natação esteve marcada por um possível caso de doping dos 100m livre masculino do dia anterior. Ainda mais, dentro d’água, Larissa Oliveira passou um centésimo acima do índice do 100m livre feminino. Por outro lado, Guilherme Costa “Cachorrão” conquistou sua terceira classificação para Tóquio. Além disso, Caio Pumputis e Vinícius Lanza estão classificados no 200m medley masculino.

Por Ayrton Niño, Recife-PE

DOPING DE ANDRÉ CALVELO

Em comunicado oficial emitido no início da noite de sexta-feira (23), a CBDA alegou que houve um “resultado analítico adverso”. Assim, a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem notificou a Confederação que um atleta deveria ser suspenso de maneira provisória e imediata. Segundo a nota, a ABCD informou que o teste foi feito no dia 18 de março, portanto, fora de período de competição.

Como o comunicado foi enviado à CBDA nesta sexta-feira (23), às 15h33, todos os resultados do nadador na Seletiva Olímpica estarão suspensos provisoriamente até decisão em contrário. Vale ressaltar que o processo corre em sigilo e informações complementares são responsabilidade da agência reguladora”, disse a nota.

Contudo, de acordo com Demétrio Vecchioli, do UOL e Globo Esporte, o atleta em questão é André Luiz Calvelo de Souza, bateu em primeiro na final dos 100m livres, também abaixo do índice 48.57, com 48.15. Ainda mais, pela manhã, já havia feito 48.09. Dessa maneira, Calvelo iria representar o país junto com Pedro Spajari nesta prova no individual e também formaria o revezamento 4 x 100m livre com o próprio Spajari, Breno Correia e Marcelo Chierighini. 

Desse modo, o tempo do atleta é suspenso, e o 9º colocado na classificatória, Gabriel Santos, terá a oportunidade de fazer uma tomada de tempo. Na eliminatória, Gabriel ficou para trás com 49.22. Se o nadador do Pinheiros fizer um tempo abaixo de 48.87, a vaga no revezamento será dele. Se não conseguir, Felipe Ribeiro, que fez em 48.87, será o nome que fechará a formação. Por fim, se o doping vir a ser confirmado, Pedro Spajari se tornará o 1º nadador, e Breno Correia herda a vaga no individual.

200m COSTAS MASCULINO

A princípio, a maior esperança para baixar o índice olímpico desta prova vinha de Leonardo de Deus. O atleta da Unisanta já nadou abaixo de 1:57.50 algumas vezes na carreira, porém, na final da seletiva, não conseguiu repetir seu melhor desempenho e tocou na borda aos 1:58.74.

Léo claramente sentiu o ritmo da prova e, na virada dos 100m para os 150m, já vinha num tempo não tão ideal. Assim, mesmo se esforçando ao máximo nos últimos 50 metros, o tempo não veio. Dessa maneira, não teremos representantes brasileiros nesta prova em Tóquio.

100m LIVRE FEMININO

Antes de tudo, esta prova sem dúvidas foi a mais frustrante da noite. Nas raias, havia bons nomes para alcançar a meta dos 54.38. E, quase sem uma explicação possível, apesar de ter feito uma prova muito boa, Larissa Oliveira passou com um tempo de 54.39.

Portanto, por um centésimo, a atleta do Flamengo não conseguiu a vaga. Ainda assim, a prova definiria as quatro nadadoras que iriam tentar a repescagem do revezamento 4 x 100 livre. Dessa maneira, juntam-se à Larissa, Ana Carolina Vieira, Sthepanie Balduccini e Etiene Medeiros. 

200m MEDLEY MASCULINO

Por outro lado, veio no medley a primeira alegria da noite. Caio Pumputis, com 1:58.53, e Vinícius Lanza, com 1:59.58, superaram o índice que era de 1:59.67 e são os mais novos classificados para Tóquio. Os dois são novatos em Olimpíadas. Lanza, que no último jogos tinha perdido a vaga no detalhe, agora finalmente poderá representar o país. Enquanto isso, Pumputis, depois de não ter conseguido índice nas provas de peito, garantiu agora seu passaporte rumo aos jogos.

200m PEITO FEMININO

Já nos 200 peito, o sucesso não pôde ser repetido. Mesmo com todo o esforço, Gabrielle Assis, do Corinthians, não conseguiu romper a barreira de 2:25.52 e só tocou a borda já com 2:29.65. De fato, nesta prova, o Brasil não tem uma tradição boa e ainda precisa se desenvolver bastante.

1500m LIVRE MASCULINO

Por fim, mais um show de Guilherme Costa “Cachorrão“. O atleta, que já vinha de classificações para os 400m e 800m livres na seletiva olímpica, conquistou seu 3º índice e também estará nos 1500m. Guilherme fez um início de prova bem agressiva, com um ritmo forte, mas que naturalmente foi caindo aos poucos, e isso pôde ser visto nas parciais.

Mesmo assim, Cachorrão passou abaixo dos 15:00.99, com o tempo de 14:59.21, bem acima do tempo que ele já tinha feito. Além disso, ainda pode nadar até uns quatro segundos mais rápido do que isso, talvez, o cansaço dos dias anteriores deve ter pesado, mas que não impediu de mais uma conquista deste forte nadador.

Foto destaque: Divulgação/Satiro Sodré/CBDA

Ayrton Niño

Historiador pela UFPE e graduando em Jornalismo pela UniNassau.

35 posts | 0 comments

Comments are closed.