Dixon vence Mid-Ohio com dobradinha da Ganassi

Dixon vence Mid-Ohio com dobradinha da Ganassi

Like
368
0
domingo, 28 julho 2019
Fórmula Indy

A IndyCar em Mid-Ohio abrigou uma das boas provas da temporada 2019. Depois de grande estratégia, a Chip Ganassi possibilitou a vitória de Scott Dixon com Felix Rosenqvist em segundo, numa dobradinha que demonstrou o domínio da equipe no tradicional circuito misto. Josef Newgarden teve problemas, Simon Pagenaud foi apático, Alexander Rossi não rendeu como o esperado e com isso, a temporada ficou ainda mais equilibrada e em aberto, faltando apenas quatro provas para o fim.

Por: Danilo Dias, de São Paulo, SP.

Início de prova

A largada foi bem movimentada. James Hinchcliffe, Takuma Sato e Marcus Ericsson se tocaram na briga no meio do pelotão. Sato saiu da pista, mas conseguiu voltar mesmo entrando fundo na caixa de areia. Porém, Ericsson levou a pior e perdeu muito tempo nos boxes para tentar reparar os danos em seu carro devido ao passeio na grama e os toques que sofreu, desistindo algumas voltas depois de tentar retornar.

Enquanto isso, lá na frente seguia o pole position Will Power, com Rossi, Newgarden, Pagenaud e Sebastien Bourdais na sequência. Rosenqvist era o sexto e primeiro dos que andavam com pneus mais duros, mostrando bom desempenho. Com 13 voltas, Pagenaud e Bourdais foram os primeiros a parar para troca de pneus, já bem deteriorados. No decorrer das voltas, os ponteiros foram parando para troca de pneus. Newgarden veio em seguida.

Bourdais rodou depois de voltar dos boxes quando brigou por posição com Colton Herta, que o tocou e fez o francês rodar na disputa por posições com pneus ainda frios. Já Rosenqvist surpreendia com os pneus duros e mesmo assim rendia mais que os pilotos a sua frente. O sueco então começou a apertar Rossi até conseguir a ultrapassagem. Dixon também chegava para ameaçar Rossi e passou de passagem sem problemas. Os pilotos que insistiam em permanecer na corrida com pneus macios sofriam com o desgaste dos compostos de banda vermelha.

Alternâncias na liderança

Assim sendo, Rosenqvist chegava forte em Power para lutar pela liderança. A Chip Ganassi tinha demonstrado acertar na estratégia dos pneus duros que rendiam melhor em Mid-Ohio. Porém, Power vendeu caro a liderança. Até que na volta 25 Rosenqvist fez linda manobra e por fora, deixou o australiano para trás. Uma volta depois, Rosenqvist já havia aberto vantagem de quase dois segundos, mostrando que seu rendimento era muito superior aos demais.

Na volta 27, Rossi foi para a troca de pneus após andar muito tempo com baixo rendimento. Consequentemente, o líder Rosenqvist foi para a sua parada na volta 29 e colocou pneus macios. Mas, Power reassumia a ponta com Dixon bem próximo em segundo. Os dois vieram juntos para os pits na volta 30. Dixon trocou seus pneus para macios e Power para duros, quando completavam um terço da prova.

Newgarden agora era o líder após parar cedo. Pagenaud, Hunter-Reay, Colton Herta, Graham Rahal e Rosenqvist eram os primeiros após as paradas. Rosenqvist seguia como piloto mais rápido na pista, andando em quinto após ultrapassar Rahal. Contudo, o sueco usava muito o ‘push to pass’ para potencializar seu desempenho.

Dixon e Power que voltaram no meio do pelotão muito próximos lutavam por posições e chegaram a se tocar enquanto lutavam curva a curva por melhor classificação. A luta continuou na volta seguinte. No entanto, Rossi se aproximava de ambos graças as disputas dos dois. Na volta 34, enfim, Dixon ultrapassou. Rossi chegava em Power. Herta e Pagenaud pararam na volta 37, um pouco antes do normal por conta do tráfego dos retardatários. Mudaram também o tipo do pneu, trocando para duros.

Ganassi X os demais

Newgarden seguia na ponta com Rosenqvist em segundo. Na volta 41, Newgarden foi para os boxes e teve problemas com a bomba de reabastecimento que não funcionou como deveria, demorando mais do que o esperado. Quando voltou, dividiu curva com Pagenaud.

Rosenqvist seguiu na ponta após o acontecido. Na metade da corrida, vários pilotos já haviam liderado a prova e cada um com sua estratégia, não davam visão clara de quem estava em melhores condições. Dixon porém passou a liderar com alguma vantagem. Rosenqvist voava pra cima de Power e assumia a segunda posição novamente em mais uma bela briga entre os dois. Enfim, a Chip Ganassi dominava e era gritante como o rendimento do time era melhor que o dos demais.

Definição da dobradinha da Ganassi

Faltando um terço para o fim da prova, Rossi foi para os boxes colocando pneus duros. Dixon foi uma volta depois e colocou pneus macios. Power parou na volta seguinte colocando pneus duros. Rosenqvist liderava e assim permaneceu durante várias voltas até parar na volta 67 e retornar em segundo. A Ganassi era plenamente dominante na corrida.

Faltando oito voltas, Rosenqvist andava a cerca de cinco segundos de Dixon, mas tinha uma vantagem grande para Hunter-Reay, de doze segundos. Dixon mantinha-se conservador para não gastar seus pneus e manter a ponta, pois Rosenqvist andava mais forte.

Dixon passou a viver momentos difíceis na liderança com pneus gastos, pois até os retardatários andavam mais forte. Um grupo de quatro pilotos separavam Dixon e Rosenqvist, que precisava tirar a vantagem e ainda se livrar desses pilotos. Sato, Chilton e Andretti brigavam por posições, mesmo uma volta atrás, safando Dixon de problemas com Rosenqvist de imediato.

A vantagem para Rosenqvist e Hunter-Reay já não existia mais, apenas sendo os retardatários os obstáculos. Faltando uma volta e meia, Rosenqvist se livrou de todos os retardatários e partiu para cima de Dixon. O sueco foi para cima e tocou em Dixon sem grandes consequências tentando a ultrapassagem.

No entanto, na mesma curva, no grande grupo de pilotos (não necessariamente todos na mesma volta) Newgarden que era o quarto rodou tentando ultrapassar Hunter-Reay e perdeu várias posições. Nas últimas curvas, Dixon já sem pneus foi fantástico e segurou como pode a liderança, com Rosenqvist que teve um grande domingo em segundo e Ryan Hunter-Reay em terceiro.

Sequência

No dia 18 de agosto a temporada da IndyCar continua em Pocono, tri-oval de altíssima velocidade que abriga mais uma das etapas da categoria. Faltam apenas quatro corridas, porém, os quatro primeiros são distantes em apenas 62 pontos, que é o número da pontuação que separam Newgarden, Rossi, Pagenaud e Dixon. No entanto, as últimas quatro provas prometem muita disputa após uma prova que demonstrou muitas brigas entre os mais talentosos pilotos das Américas.

Confira também:

Fórmula 1: Verstappen vence GP maluco da Alemanha. Vettel e Kyviat completam o pódio.
Clássicos da Fórmula 1: A primeira vitória de Rubens Barrichello – GP da Alemanha de 2000

Foto em destaque: Matt Fraver/Indycar.com

Danilo Dias

Danilo Dias é formado em Tecnologia em Futebol, pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte e atualmente é estudante de Direito. Apaixonado por futebol, aficionado por automobilismo[...]

76 posts | 0 comments

Comments are closed.