Conheça os Bad Boys: os campeões mais odiados na história da NBA

Conheça os Bad Boys: os campeões mais odiados na história da NBA

2
211
0
terça-feira, 14 julho 2020
Basquete

O que é ser um Bad Boy? Para alguns, isto é sinônimo de arrogância, rebeldia e mau comportamento. Para outros, significa apenas confiança, um estilo de vida. Para os amantes do basquete, os Bad Boys foram uma equipe super vitoriosa. No entanto, para os torcedores do Detroit Pistons, ser um Bad Boy é estar no topo do mundo, é superar equipes históricas e se tornar lenda. E é por isso, que os “Garotos Maus” de Detroit merecem ser homenageados. Uma equipe que dominou a NBA, destruiu craques e colecionou títulos, brigas e muitos inimigos.

Por Lucas Feyh Martins, Maringá-PR

 SURGIMENTO DOS BAD BOYS

A equipe do Detroit Pistons sofreu entre os anos 60 e 80. Visto que o título nacional parecia inalcançável para a cidade com mais industrias automobilísticas dos Estados Unidos. Estas que são o motivo para o nome da equipe, Pistons. Porém, em 1981, foi draftado um jogador de apenas 1.85 metros de altura, bem abaixo da estatura habitual da liga. Um tal de Isaiah Thomas.

Ao mais, no início dos anos 80, mais nomes foram chegando para a formação de uma equipe competitiva em Detroit. Já que após a chegada de Isaiah, nomes como Vinnie Jhonson e Bill Lambeeir também foram contratados. Em 1983, foi a vez do treinador Chuck Dali se juntar aos Pistons. E não parou por aí. Joe Dumars, Rick Mahorn e outros nomes foram chegando aos poucos à Detroit. Entre eles, um novato de Nova Jersey, com nome de Dennis Rodman. Sim, este mesmo que você está pensando. Dessa forma, no início de 1986, os Bad Boys estavam formados.

Legendary Moments In NBA History: Thomas becomes Pistons' all-time ...

Foto: Reprodução/NBA

 DETROIT RUMO AO TOPO

A temporada 86/87 marcou o início de uma era vitoriosa. A equipe do Detroit Pistons começou a ganhar espaço nas mídias nacionais da época. Dado que com seu estilo físico e muitas vezes maldoso, o time começou a vencer equipes com mais “nome”, e chegar aos playoffs de modo mais consistente.

Neste mesmo ano de 1987, os Bad Boys já alcançaram a final da Conferência Leste. Todavia, os rivais eram comandados por um jogador natural de Indiana, loiro e, como muitos na época diziam, com cara de fazendeiro, Larry Bird. A série chegou até o sétimo e decisivo jogo, mas foi vencida pela equipe do Boston Celtics, sob o comando de Bird.

Na temporada seguinte, os Bad Boys conquistam 54 vitórias durante a temporada regular. Chegando aos playoffs ainda mais confiantes do que nos anos anteriores. Sendo assim, o destino quis que o Detroit Pistons tivesse outra chance diante do fazendeiro. E eles não deixaram barato. Conquistaram a Conferência Leste em seis partidas, diante do mesmo Boston Celtics. Alcançando dessa maneira, as finais da NBA.

James Worthy

Foto: Reprodução/Andrew Bernstein/Getty Images

 BAD BOYS NO TOPO DO MUNDO

As finais de 1988 foram um dos momentos mais tristes na história de Detroit. Visto que a equipe esteve muito perto de conquistar a vitória no jogo seis das finais, mas em um lance muito polêmico, o árbitro marcou uma falta para os Lakers nos últimos segundos. Vitória de 103 x 102 para o time de Los Angeles.  Com a decisão levada até o sétimo jogo, os Pistons não foram páreos para Magic e Kareem. Vitória dos Lakers por três pontos de diferença e título para a Califórnia.

Com sangue nos olhos, e com uma marcação mais afiada do que nunca, o Detroit Pistons voou baixo em 1989. Visto  que os Bad Boys conquistaram 63 vitórias durante a temporada regular, um recorde na franquia. Ademais, a equipe sanguinária derrotou o Chicago Bulls, sob o comando de Michael Jordan, durante a primeira rodada daqueles playoffs. Porém mais uma vez, o destino quis compensar os antigos fracassos de Detroit. E reservou outra revanche para Isaiah e companhia, já que as finais foram contra os Lakers, mais uma vez.

Dessa vez, a seleção de Los Angeles não foi párea para o talento de Isaiah, nem para para a forte marcação dos Bad Boys em geral. Série encerrada em quatro jogos e título inédito para a cidade de Detroit. Todavia, a boa fase não parou por aí. Os Pistons conquistaram mais uma vez a Conferência Leste no ano seguinte, e de novo em cima de Michael Jordan, Pippen e companhia. Sendo assim, os Bad Boys enfrentaram o Portland Trail Blazers nas finais de 1990. Após uma vitória e uma derrota em casa, os Pistons embalaram três vitórias seguidas, sendo duas como visitante, e conquistaram pela segunda vez o anel de campeão da NBA.

Foto: Reprodução/Nathaniel Butler/ NBAE via Getty Images

MARCAÇÃO ACIRRADA E AS ‘JORDAN RULES’

A marcação era o ponto forte da equipe de Detroit, isto ninguém duvida. No entanto, outras táticas também eram usadas para o benefício dos Bad Boys. Todos os jogadores buscavam desestabilizar os adversários com cotoveladas, chutes e muita provocação. Se em toda história existe um vilão, este era o papel dos Pistons.

O herói da época usava o número 23, voava, vestia vermelho e se chamava Michael Jordan. A lenda conquistou seis títulos em sua carreira, porém, até a sua primeira conquista, os Bad Boys eram a sua kryptonita. Dessa forma, os vilões da época adotaram regras próprias para derrotar Jordan, as ‘Jordan Rules’. Estas que envolviam marcação tripla, bloqueios sujos e muito jogo físico. Para muitos, a evolução do número 23 na NBA se deve muito ao esforço feito pelo mesmo para derrotar Detroit. Além do mais, embora o hexacampeão negue isso até hoje, a não presença de Isaiah Thomas no Dream Team, este que participou das Olimpíadas de 1992, se deve muito a má relação entre Isaiah e Michael.

The Jordan Rules - Bad Boys

Foto: Reprodução

FIM DE UMA ERA

Mesmo após a derrota na Final de Conferência em 1991, os Bad Boys deram um jeito de causar polêmica. Já que segundos antes do término do jogo quatro, entre Bulls e Pistons, os jogadores deixaram a quadra sem cumprimentar a equipe vencedora, no caso, Chicago. Jornais da época acusaram a equipe dos Pistons de covardes e maus perdedores. Após esta temporada, aquele elenco nunca mais foi o mesmo. Diversos jogadores saíram e buscaram novos ares nos anos seguintes. Entre eles, Dennis Rodman, que se juntou à Jordan e conquistou mais três títulos entre 1996 e 1998.

Anos depois, os Pistons conquistaram a NBA de novo. Porém desta vez no ano de 2004, com uma nova geração de grandes jogadores. Todavia, a geração dos Bad Boys segue sendo como uma das maiores equipes de todos os tempos da liga. Assim como a maior e mais polêmica geração na história de Detroit. E por lá permanecerão por décadas, ou, quem sabe, para sempre.

Foto destaque: Divulgação/Doug Pizac/ AP

Lucas Feyh Martins

Lucas Feyh Martins

20 anos, estudante e futuro jornalista esportivo.

37 posts | 0 comments

Comments are closed.