Conheça todos os 17 brasileiros campeões do UFC

Conheça todos os 17 brasileiros campeões do UFC

Like
3780
0
terça-feira, 21 julho 2020
UFC

A coluna Desbravando Lendas estreia essa semana com um tema pra lá de interessante: todos os brasileiros campeões do UFC. Obviamente que é uma viagem no tempo até o início do maior evento de MMA do mundo, mas vale muito a pena, pois, no último final de semana, com a conquista de Deiveson Figueiredo, chegamos a 17 campeões.

Por: Eric Filardi, de São Paulo.

1º campeão: Royce Gracie (UFC 1, 2 e 4)

Começamos com a lenda e eleita para o Mount Rushmore do MMA pelo presidente do UFC, Dana White, Royce venceu a primeira edição do UFC. Evento criado por sua família, oriundo do Desafio Gracie, que posteriormente passou a ser chamado de Vale Tudo e mais tarde MMA, a ideia era provar que o Brazilian Jiu-Jitsu era a melhor arte marcial do mundo.

Portanto, mostrou isso no 1º, 2º e 4º evento do UFC. Não ganhou o terceiro por fadiga, desistindo na segunda luta, antes de lutar, por total exaustão. Vale ressaltar que no início do esporte não existiam tantas regras. Assim como também era um torneio sem limite de peso. Dessa forma, Royce venceu atleta bem mais fortes, altos e pesados que ele. Isso em 1993 e 1994, mostrando a força dos brasileiros.

2º campeão: Marco Ruas (UFC 7)

Um dos melhores lutadores de Muay Thai que o UFC já viu, Ruas foi campeão do UFC 7, em 1995, após vencer Larry Cureton, Remco Pardoel e Paul Varelans. Era um lutador completo: faixa preta de Judô e Taekwondo, Mestre em Luta Livre, Capoeira e Muay Thai, além de campeão carioca de Boxe e Wrestling. Nessa época ainda era um torneio sem limite de peso. Assim, tornou o 2º dos brasileiros a vencer o torneio.

3º campeão: Vitor Belfort (UFC 12 e 46)

Ainda no formato “mata-mata”, o Fenômeno brasileiro venceu o americano Tra Telligman na semifinal e Scott Ferrozzo na final, em 43 segundos de luta, sendo o mais jovem campeão de UFC aos 19 anos. Na ocasião, vencer o cinturão dos pesos-pesados. Posteriormente, em 2004, Vitor voltou a ser campeão do UFC, desta vez nos meio-pesados, ao vencer o americano Randy Couture no UFC 46. O The Phenom fecha o pódio dos brasileiros.

4º campeão: Murilo Bustamante (UFC 35)

Uma lenda do MMA e oriundo do Brazilian Jiu-Jitsu do Mestre Carlson Gracie, ganhou inúmero títulos mundiais de jiu-jitsu. Também possuía sólida base no boxe, assim podendo lutar em todas as frentes no MMA. Estreou no UFC 25, vencendo o japonês Yoji Anjo. Perdeu uma contestada luta para o americano Chuck Liddell no UFC 33, mas voi campeão dos médios no UFC35 e defendeu o cinturão no UFC 37, ambos em 2002.

5º campeão: Anderson Silva (UFC 64)

Maior nome da história do MMA mundial, com certeza o maior do Brasil. O Spider foi o lutador com maior reinado como campeão: 2.457 dias (6 anos, 8 meses e 22 dias), um recorde no UFC. Também o atleta com a maior sequência de vitórias: 16. Também é o detentor do recorde de mais prêmios de Knockout da Noite: 7. Campeão de 14/10/2006 até 06/07/2013. É a poesia pura do esporte, não só entre os brasileiros, mas no mundo todo.

6º campeão: Rodrigo Minotauro (UFC 81)

Lenda do extinto Pride, onde foi campeão e lutou com grande lendas, chegou ao UFC em 2007, vencendo o americano Heath Herring na estreia. Na sequência, já lutou pelo cinturão contra o também americano Tim Sylvia, no UFC 81, finalizando coma guilhotina, conquistando o cinturão dos pesados. Entretanto, não durou muito tempo, perdendo ele para Frank Mir na luta seguinte.

7º campeão: Lyoto Machida (UFC 98)

Representante do Karatê, chegou a ter um cartel de 16-0 quando foi campeão do UFC. Perdeu a primeira luta justamente quando passou o cinturão para Maurício “Shogun” Rua. Possui notáveis vitórias sobre diversos atletas respeitados no esporte, como: Stephan Bonnar, Thiago Silva, Ryan Bader, Tito Ortiz, Rich Franklin, BJ Penn, Rashad Evans, Maurício Rua, Gegard Mousasi, Vitor Belfort, Dan Henderson e Randy Couture. Estreou no UFC em 2007, ao vencer o americano Sam Hoger. Em 2009, frente ao também americano Rashad Evans, ganhou o cinturão com o Nocaute da Noite.

8º campeão: Maurício “Shogun” (UFC 113)

Com um cartel 16-2 vindo do Pride, onde foi campeão dos médios, estreou com derrota no UFC para Forrest Griffin. Bateu Mark Coleman e Chuck Liddell. Assim, teve a chance de disputar o cinturão com Lyoto, perdendo por decisão unânime. Contudo, na revanche, destronou o Dragão e tomou-lhe o cinturão com um nocaute no 1º round.

9º campeão: José Aldo (UC 129)

Incontestável campeão do WEC, Aldo estreou no UFC em abril de 2011, vencendo o canadense Mark Hominick por decisão unânime e já unificando o seu cinturão do WEC com o do UFC logo na primeira luta. Portanto, foi o peso pena mais dominante de todos os tempos, ficando invicto entre 20/05/2006 e 12/12/2015, quando fora nocauteado pelo irlandês Conor McGregor. Mas, apesar de não ter o reconhecimento merecido, é um dos lutadores brasileiros mais respeitados no esporte.

10º campeão: Júnior “Cigano” (UFC on Fox 1)

Especialista em boxe, estreou no UFC vencendo seu compatriota Fabrício Werdum em 2008, ganhando o prêmio de Nocaute da Noite. Tornou-se campeão dos pesos-pesados do UFC em 2011, ao derrotar o então campeão Caín Velásquez, com apenas 1’04” no UFC on Fox: Velasquez x Dos Santos. Por fim, em dezembro de 2012, recebeu a faixa-preta de jiu-jitsu.

11º campeão: Renan Barão (UFC 149)

Com um impressionante cartel de 25-1-1, sendo sua única derrota a de estreia no MMA profissional, Barão era uma máquina imparável. Assim que chegou no UFC emendou sua 26ª e foi até a 32ª vitória consecutiva. Na de número 29, frente a Urijah Faber, ganhou o cinturão ods galos. Defendeu três vezes o cinturão antes de perder para TJ Dillashaw em 2014.

12º campeão: Fabrício Werdum (180)

Vindo do Pride, Werdum estreou com derrota no UFC em 2007 para o bielorrusso Andrei Arlovski. Venceu duas lutas, perdeu para Cigano e saiu do evento. Voltou ao evento em 2012, vencendo o americano Roy Nelson e emendando uma boa sequência de vitórias que o levaram a título interino, vencido sobre Mark Hunt em 2014 e unificado em 2015 frente a Cain Velasquez.

13º campeão: Rafael dos Anjos (UFC 185)

Dos Anjos estreou com o pé esquerdo no UFC em 2008, perdendo duas vezes seguidas, para os americanos Jeremy Stephens e Tyson Griffin. Emendou três vitórias seguidas e voltou a perder. Sinônimo de persistência, foi levar seu cinturão em 2015, após bater o americano Anthony Pettis no UFC 185. Defendeu contra Donald Cerrone e depois perdeu para Eddie Alvarez.

14º campeão: Amanda Nunes (UFC 200 e 232)

Maior lutadora de MMA de todos os tempos, a Leoa chegou ao UFC em 2013, vinda do Invicta. Venceu a alemã Sheila Gaff e a holandesa Germaine de Randamie. Perdeu para a americana Cat Zigano e depois decolou. São 11 vitórias desde então, tendo conquistado o cinturão frente a americana Miesha Tate, no UFC 200. De lá para cá são só histórias, colecionando recordes e destronando antigas “rainhas”. Em 29 de dezembro de 2018, desbancou a brasileira Cris “Cyborg” e tornou-se campeã dos galos e dos penas, única mulher a ter dois cinturões simultâneos no MMA. Valores brasileiras do lado feminino crescendo.

15º campeão: Crys “Cyborg” (UFC 214)

Mais uma lenda do MMA brasileira, Cristiane Justino fez e faz história. Uma das precursoras do MMA feminino nacional, demorou a chegar no UFC. Chegou em 2016, após quase 11 anos de estrada. Estreou no UFC 198, em peso casado, vencendo a americana Leslie Smith. O apelido Cyborg fazia cada vez mais sentido, sempre nocauteando todas as rivais, apenas duas escapando por pontos. Ganhou o cinturão dos penas no UFC 214, ao vencer Tonya Evinger por nocaute. Defendeu duas vezes, até ser nocauteada de forma avassaladora por Amanda Nunes e posteriormente deixar a franquia.

16º campeão: Jéssica “Bate-Estaca” (UFC 237)

Jéssica Andrade é outro grande exemplo de determinação para os brasileiros. Assim, estreou no UFC em 2013 perdendo para a americana Liz Carmouche por nocaute. Mas ee reinventou, venceu três lutas e foi finalizada por Marion Reneau. Entre altos e baixos, teve mais três vitórias e disputou o cinturão com a polonesa Joanna Jędrzejczyk, perdendo por decisão unânime. Voltou ao embalo e venceu mais três lutas, chegando a disputar o cinturão com a americana campeã Rose Namajunas, vencendo por nocaute no UFC 237. Em sua primeira defesa de cinturão, perdeu para a chinesa Zhang Ewili.

17º campeão: Deiveson Figueiredo

Por fim, Deiveson “Deus da Guerra” Figueiredo conquistou o mais recente cinturão do Brasil no último sábado. Assim, o Brasil voltou a ter dois campeões no UFC, no caso três, pelo fato de Amanda ter dois cinturões simultaneamente. Portanto, assim fechamos a lista com os 17 nomes. Será o início de mais um reinado dos brasileiros no UFC novamente?


Foto destaque: Reprodução/Combate

Eric Filardi

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova me cativa. Bem-vindo a rádio de todos os esportes. Bem-vindo a Rádio Poliesportiva. Sou Eric Filardi, paulistano de 28 anos[...]

238 posts | 0 comments

https://bit.ly/EricFilardi

Comments are closed.