Cláudio Mortari: 50 anos dedicados ao basquete brasileiro

Cláudio Mortari: 50 anos dedicados ao basquete brasileiro

1
56
0
segunda-feira, 03 maio 2021
Garrafão Verde-Amarelo

Campeão por onde passou, Cláudio Mortari é uma lenda  do basquete brasileiro. A trajetória como técnico é grande e vitoriosa, colecionando 20 títulos em 50 anos de basquete. Atualmente, treina o São Paulo FC e vem fazendo ótimas campanhas desde que assumiu o clube em 2018. Este é o tema da coluna Garrafão Verde-Amarelo.

Por: Pedro Fecchio, São Paulo-SP

A HISTÓRIA DO CAMPEÃO

Cláudio Mortari nasceu em São Paulo, em 15 de março de 1948. Aos oito anos, recebeu de seu avô um título da Sociedade Esportiva Palmeiras, onde iniciou seus passos como jogador de basquete. Passou por todas as categorias de base até chegar ao adulto, onde jogou até os 25 anos.

Entretanto, seu lugar era no banco de reservas. Ao ir à uma escola assistir um jogo, foi convidado para substituir o técnico de uma das equipes. Ocasionalmente, nas arquibancadas estavam dirigentes do Palmeiras, que gostaram da postura de Mortari e o chamaram para comandar a base do clube.

PROFESSOR MORTARI

Primeiramente, comandou a base do Palmeiras entre 1969 e 1977, vencendo por seis vezes o prêmio de melhor treinador das categorias de base. Dessa forma, foi convidado para treinar o profissional. Em seu primeiro ano, venceu o campeonato brasileiro, perdendo apenas cinco vezes na temporada.

Ao mesmo tempo, Cláudio Mortari trabalhava e estudava no Mackenzie, o que dava ao técnico uma rotina agitada. Em 1978, trocou o Verdão pelo Sírio, começando aí sua história mais vencedora.

O GIGANTE SÍRIO

Semelhantemente ao início no Palmeiras, Cláudio Mortari já chegou no Sírio vencendo. Em sete anos, foi três vezes campeão brasileiro, três vezes campeão sul-americano, duas vezes paulista e uma vez mundial.

Dessa forma, chamou atenção da seleção brasileira. Treinou o Brasil nos Jogos Olímpicos de 1980, em Moscou. A equipe fez boa campanha, terminando em 5° lugar. Em 1985, Mortari deixou o Sírio.

PINHEIROS NO TOPO DA AMÉRICA

Logo após deixar o Sírio, passou por diversos clubes, dentre eles Corinthians, Rio Claro, Mogi das Cruzes e Flamengo. Nesse ínterim, ganhou dois paulistas em um brasileiro. Além disso, tentou carreira como diretor no Paulistano, em 2005, mas não deu certo.

Finalmente, em 2007, Cláudio Mortari chega ao Pinheiros, equipe onde foi muito bem. Primeiramente, foi dirigente do clube até o ano de 2010, quando assumiu o comando técnico do clube.

Dessa forma, em 2013, conquistou o lugar mais alto das américas. No Final Four, venceu o Capitanes de Arecibo e o Lanús, sagrando-se campeão da Liga das América. Com toda a certeza, esse título foi um dos mais emocionantes da carreira de Mortari. Após o título, o treinador retornou ao cargo de dirigente no clube.

MISSÃO SÃO PAULO FC

Cláudio Mortari chega ao São Paulo em 2018, para a disputa da Liga Ouro. Com propósito de crescer na modalidade, o Tricolor Paulista viu no treinador um excelente nome para começar um projeto ambicioso. Conseguiu o acesso para o Novo Basquete Brasil e, de quebra, dinheiro para montar um bom elenco.

Desse modo, no ano seguinte, assinou com Shamell, Georginho, Jefferson e Holloway, conseguindo boa campanha no NBB e, consequentemente, vaga na Champions League das Américas do ano seguinte.

Atualmente, após contratar Lucas Mariano, o São Paulo de Mortari terminou a fase classificatória do NBB 13 em 3° lugar. Por fim, foi muito bem também na Champions League das Américas, caindo na semifinal para o Flamengo.

Foto Destaque: Divulgação/ Mariana Sá/ LNB

Avatar

Processo Eric

10 posts | 0 comments

Comments are closed.