Chape começa sua reconstrução empatando amistoso contra o Palmeiras

Chape começa sua reconstrução empatando amistoso contra o Palmeiras

Like
1081
0
domingo, 22 janeiro 2017
Futebol Brasileiro

Dois meses depois da maior tragédia da história do futebol mundial, quando 71 pessoas morreram em um acidente aéreo na Colômbia, a Chapecoense – que perdeu atletas, comissão técnica e diretoria – deu o primeiro passo futebolístico para a sua reconstrução.

Neste sábado (21) foi realizado o amistoso entre Chapecoense e Palmeiras, na Arena Condá, com os objetivos de homenagear e arrecadar fundos para as famílias das vítimas do voo. Antes da bola rolar, muitos atos simbólicos marcaram o evento.

Sobreviventes, Neto, Follman e Alan Ruschel são homenageados com medalhas e taça da Sul-Americana 2016. Foto: Site Oficial Chapecoense

Além das famílias das vítimas, os quatro sobreviventes brasileiros também estavam no estádio. Os jogadores Jackson Follman, Alan Ruschel e Neto; além do jornalista Rafael Henzel, que trabalhou na jornada da partida.

No centro do gramado um palco foi montado. Esposas, pais e filhos dos atletas receberam, aos prantos, medalhas pela conquista da Sul-Americana 2016. Jackson Follman desfilou pelo campo em uma cadeira de rodas com o troféu do torneio no colo.

Pouco antes da bola rolar, os novos jogadores da Chape foram apresentados aos torcedores, que lotaram as arquibancadas da Arena Condá – enfeitadas por origamis coloridos em forma de corações e pássaros.

 

O amistoso

 

O duelo marcou o reencontro de Chapecoense e Palmeiras, que protagonizaram a partida decisiva do Campeonato Brasileiro de 2016. A equipe paulista sagrou-se campeã e foi o último encontro dos catarinenses antes do acidente fatal.

O técnico Vagner Mancini escalou sua primeira Chapecoense em um 4-3-3, com: Arthur Moraes; João Pedro, Fabrício Bruno, Douglas Grolli e Reinaldo; Andrei Girotto, Amaral e Neném; Rossi, Niltinho e Wellington Paulista.

Já o Palmeiras de Eduardo Baptista veio com a formação que se imaginava, 4-1-4-1 com: Fernando Prass; Jean, Thiago Martins, Antônio Carlos e Egídio; Felipe Melo, Tchê Tchê, Róger Guedes, Raphael Veiga e Dudu; e Alecsandro. A arbitragem era do experiente Hebert Roberto Lopes.

 

Primeiro tempo

 

O começo de jogo foi truncado com muitas faltas e pouca criação. Aos 11 minutos a primeira chance. Depois de linda troca de passes, Dudu lançou Egídio, que cruzou rasteiro para o meio da área. O estreante Raphael Veiga se antecipou ao zagueiro e concluiu no cantinho, 1 a 0 Palmeiras.

Grolli comemora com companheiros o primeiro gol da Chape depois do acidente, é o começo da reconstrução. Foto: O Globo

A resposta não demorou, dois minutos depois, o empate veio em cobrança de falta ensaiada. Andrei Girotto escorou do segundo pau para o meio da área e Douglas Grolli, na pequena área, completou para as redes. O primeiro gol do recomeço foi bem simbólico, já que o zagueiro foi formado nas categorias de base do time catarinense.

O forte calor e o início de temporada seguraram o ritmo da partida. Aos 26, Tchê Tchê arriscou da meia-lua e Artur Moraes fez boa defesa. No toma-lá-dá-cá, Niltinho chutou e Prass deu rebote. Wellington Paulista pegou a sobra e estufou as redes, mas o atacante estava impedido e o lance foi anulado.

No fim do primeiro tempo, a Chape tomou conta e o Palmeiras parecia estar em marcha lenta. Destaque para o atacante Rossi, que com muita disposição arrancou aplausos da torcida.

 

Segundo tempo

 

Os dois times mudaram muito para a etapa final, mas o que não impediu a Chape de ter um começo arrasador. Logo no primeiro minuto, escanteio cobrado e Amaral, livre de marcação, testou para o fundo das redes de Jailson – virada dos guerreiros de Condá, 2 a 1.

A resposta palmeirense veio três minutos depois. Linda enfiada de bola de Vitinho para Fabiano. O lateral encontrou Hyoran, que parou no goleiro Elias. Porém, o lance não prosseguiu porque foi assinalado impedimento.

Aos 20 minutos, lindo lançamento de Keno para Erik, o atacante ficou cara a cara com o Elias, mas perdeu. Melhor para o goleiro estreante, que já ouviu seu nome ser ecoado pela torcida.

No minuto 71 da partida um momento inesquecível. Hebert parou o jogo por 60 segundos e todo o estádio ecoou o famoso “vamos, vamos, Chapê!”. No telão da Arena, imagens dos jogadores comemorando a classificação para a final da Sul-Americana de 2016. Lágrimas por toda parte.

De volta para o jogo, aos 31 minutos, Vitinho foi autor de uma pintura. O empate veio depois do jovem meia limpar dois marcadores e chutar colocado no ângulo de Elias – sem chance para o arqueiro.

A Chape respondeu em escanteio e em cobrança de falta. Mas Túlio de Melo e Diego Renan não aproveitaram. Final de jogo e 2 a 2 no placar. O destaque do segundo tempo foi o jovem Vitinho, que comandou o meio campo do Palmeiras e causou boa impressão no comandante alviverde.

 

Pós-jogo

 

O Palmeiras segue sem vencer na Arena Condá. Foram cinco jogos, com dois empates e três triunfos dos donos da casa. Agora, o Alviverde continua sua preparação enfrentando a Ponte Preta em amistoso, no Allianz Parque.

Enquanto isso, a Chapecoense já terá pela frente o primeiro desafio oficial da temporada, rodada inicial da Primeira Liga diante do Joinville. O duelo será na próxima quinta-feira em Chapecó, às 21h30.

 

Por Gabriel Manzini

admin

240 posts | 0 comments

Menu Title