Atenas: o brilho de uma nova geração

Atenas: o brilho de uma nova geração

1
387
0
quinta-feira, 23 julho 2020
Ace Histórico

De fato, o Brasil nunca chegou a uma olimpíadas tão favorito, como em Atenas 2004. Comandada por Bernadinho, a seleção brasileira conquistou tudo e estabeleceu de uma vez por todas a soberania do vôlei brasileiro. Desse modo, desde 2004 o Brasil nunca mais ficou fora de uma final olímpica. Portanto, na coluna Explorando o Bloqueio dessa semana, veja o elenco e campanha e muito mais sobre umas das gerações mais brilhantes do nosso vôlei masculino.

Por: Lucas Ribeiro, São Paulo, SP

O ELENCO

Sem dúvidas, o elenco que disputou as olimpíadas de Atenas 2004, era um dos mais fortes e estrelados de todos os tempos. Entretanto, foram apenas dois remanescentes do último ouro da seleção em Barcelona em 1992. Com 36 e 32 anos respectivamente Maurício e Giovane voltaram a defender o time.

Os demais eram, Dante, Serginho, Gustavo Endres, Ricardinho, André Nascimento, Anderson Rodrigues e Rodrigo Santana. Contudo, também compunham o time o capitão Nalbert que se recuperou de operação no ombro, e jogou mesmo assim, e Giba, que posteriormente foi eleito como melhor jogador das olimpíadas.

O comandante técnico do time era Bernadinho. O ex-levantador da famosa Geração de Prata, assumiu a equipe em 2001. Dessa forma, graças a sua forte personalidade e estilo de jogo, os resultados não tardaram a sair.

O CAMINHO ATÉ O BI

Dessa maneira, desde que se tornou treinador da seleção masculina de vôlei, Bernadinho só deixou escapar três títulos que disputou. Todavia, contado com o ouro em Atenas, foram conquistados 12 campeonatos pela amarelinha.

Em seu ano de estreia, o Brasil faturou cinco títulos. No ano seguinte, foram mais dois sendo um inédito para o país, o Campeonato Mundial. Em 2003, três mais para conta e mais um inédito, a Copa do Mundo. Por fim, em 2004 outra Liga Mundial e finalmente o bi olímpico em Atenas.

A CAMPANHA DE ATENAS 2004

Inegavelmente, o Brasil chegou a Grécia como o favorito devido a trajetória do time até então. No entanto, logo no primeiro jogo da fase de grupos tomou um susto ao perder o primeiro set para a Austrália, mas venceu por 3 x 1. Em seguida, um jogo de tirar o folego contra a Itália, com novo trinfo brasileiro 3 x 2. Posteriormente, mais duas vitórias contra Holanda e Rússia, garantindo a primeira colocação do grupo. Desse modo, com os reservas em quadra o time de Bernadinho conheceu sua primeira derrota, por 3 x 1 para os Estados Unidos.

Em contrapartida, no mata-mata, o Brasil seguiu sem dificuldades com um duplo 3 x 0, primeiramente na Polônia e depois em uma revanche sobre os norte-americanos. Por outro lado, a final reservava um novo encontro contra os italianos, time que foi o mais difícil e segundo Bernadinho, detinha o melhor bloqueio do mundo. Contudo, o Brasil como estratégia apostou nas bolas rápidas, portanto, sagrou-se vencedor e consequentemente campeão das olimpíadas de Atenas 2004.

O BRILHO DE UMA NOVA GERAÇÃO

“Este título não foi construído em 15 dias, mas sim em quatro anos de trabalho e sacrifício”

Essa foi a frase dita pelo capitão Nalbert após o ouro. O bicampeonato em Atenas representou muito mais do que só a medalha em si. Em quatro anos de trabalho, desde Bernadinho, seleção colocou-se no mais alto nível do vôlei mundial. O Brasil passou a ser temido como nunca antes, e estabeleceu uma soberania que permeia até hoje. Dessa forma, o brilho daquela nova geração, que, também incluía já campeões olímpicos, brilhará por muito tempo.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Imagens

Lucas Ribeiro

O jornalismo foi algo algo que aconteceu. Sou um amante de esportes nato, de todos os esportes, isso é o que me faz feliz e nisso que quero seguir. Entre estádios e ginásios, trabalhar com esportes[...]

92 posts | 0 comments

Comments are closed.

Menu Title