Apesar de não encher os olhos da torcida, Santos conquista boa vantagem contra o Paysandu pelas oitavas da Copa do Brasil

Apesar de não encher os olhos da torcida, Santos conquista boa vantagem contra o Paysandu pelas oitavas da Copa do Brasil

1
1109
0
quinta-feira, 27 abril 2017
Copa do Brasil

Alfredo, atacante do Paysandu, não conseguiu evitar a derrota do “Papão”. Foto: Jorge Luiz/Paysandu

No dia do goleiro, Santos e Paysandu duelaram na Vila Belmiro, pelas oitavas de final da Copa do Brasil e o torcedor do “Peixe” sofreu com a demora, mas saiu com a vitória no segundo tempo pelo placar de 2 a 0. O time da baixada, diante de sua torcida, mais precisamente 6.266 pagantes, conseguiu quebrar a invencibilidade de 15 jogos do “Papão da Curuzu”. A série invicta do “Papão” era a maior entre todos os times das séries A, B e C do Brasileirão. A equipe da Rádio Poliesportiva esteve na Vila Belmiro e trouxe todos os detalhes e emoções da partida, com a narração de Ramoni Artico, os comentários de Gabriel Manzini e os comentários de Rafael Régis.

O Santos, do técnico Dorival Júnior foi a campo com: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Matheus Ribeiro (Copete); Renato, Thiago Maia e Lucas Lima (Vladimir Hernandez); Vitor Bueno (Arthur Gomes), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.

Já o Paysandu, que buscava surpreender o Santos, entrou com um esquema defensivo, para aproveitar os contra-ataques. O time comandado por Marcelo Chamusca foi escalado com: Emerson; Ayrton, Perema, Gilvan e Hayner; Augusto Recife, Wesley e Rodrigo Andrade (Diogo Oliveira); Leandro Carvalho, Bérgson e Alfredo (Leandro Cearense).

 

Primeiro tempo

 

O jogo começou com um Paysandu muito fechado e com um Santos tentando trabalhar a bola, para achar espaços vazios e em busca de abrir o placar, mas a equipe da baixada ainda jogava um futebol morno, com toques laterais, assim criou muito pouco, por conta da falta de velocidade e com muitos passes errados de curta distância. Estes detalhes fizeram o Papão acordar e a gostar do jogo. Assim, o time visitante passou a se arriscar nas jogadas de com Leandro Carvalho, que fez o goleiro do Santos, Wanderley, trabalhar aos 30 minutos do primeiro tempo, após falha do zagueiro David Braz, que deixou o atacante do Paysandu cara a cara com o guarda metas do Peixe, mas arqueiro santista cresceu na frente do atacante do time paraense e afastou o perigo dali.

A etapa inicial foi se aproximando do fim e o Santos continuava a ter dificuldades para chegar ao gol de Emerson, do Paysandu, que começou a trabalhar somente aos 42 minutos da primeira etapa, após Bruno Henrique fazer boa jogada pela esquerda do ataque, obrigando Emerson a fazer boa defesa. No minuto seguinte o próprio Bruno Henrique chegou com perigo novamente e tocou para Ricardo Oliveira arrematar para o gol, mas com o perigo afastado outra vez pelo goleiro Emerson, que pouco sujou o uniforme no “Dia do Goleiro”.

Bruno Henrique era o único jogador que conseguia chegar ao gol do Papão com mais perigo e era o jogador mais efetivo do alvinegro, na primeira metade do jogo. Ao término do primeiro tempo, o time do Santos saiu vaiado pela sua torcida, por não apresentar objetividade nas jogadas ofensivas e pelo perigo com que o Paysandu chegava, por conta dos erros defensivos de Lucas Veríssimo e David Braz. Vitor Bueno foi o destaque negativo do primeiro tempo e um dos mais cobrados, pois não conseguia trabalhar a bola no ataque e irritava a torcida do Santos, na Vila.

 

Segundo tempo

 

Com a vitória, Santos abre ótima vantagem para o jogo da volta. Foto: Ivan Storti/SantosFC

O Papão iniciou começou atacando e logo no primeiro minuto chegou com perigo ao gol de Wanderley. Mas o Santos tratou de responder rápido e, aos três minutos, a história do jogo começou a mudar, pois Bruno Henrique cortou para o pé direito na entrada da área marcou o primeiro gol do Santos no jogo, tirando o zero do placar com um belíssimo gol, em que, após o arremate feito de fora da área, a bola entrou no ângulo de Emerson, sem chances de defesa.

Com o gol nos primeiros instantes, o Santos passou a se soltar no jogo e as jogadas começaram a ter mais fluidez e, além da posse de bola, a equipe santista chegava com mais agressividade ao ataque. O gol do Peixe foi um banho de água fria para o Paysandu, que acabou se retraindo no jogo, passando a atacar bem menos do que na etapa inicial. Em torno dos 25 minutos do segundo tempo o jogo deu uma esfriada, pois o técnico do Papão, Marcelo Chamusca, pediu para o time se fechar, após perceber que seu time estava cansado fisicamente.

Porém, mesmo com o time do Pará fechado, aos 44 minutos da etapa complementar, após bom cruzamento de Vladimir Hernandez, Copete subiu de cabeça e ampliou o placar, melhorando a condição da equipe santista para o segundo jogo, que será, agora, na casa do Paysandu.

 

Próximos compromissos

 

Agora, com a vantagem conquistada em casa, o Santos fará o jogo da volta no próximo dia 10, em Belém. Mas, virando a chave de competições, a hora é de pensar na Libertadores para o Santos. O alvinegro praiano receberá, no dia 4 de maio, a equipe do Santa Fé, da Colômbia, no Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu). Já o Papão da Curuzu terá tarefa importante neste domingo, às 16 horas, no Mangueirão, pois enfrenta seu arquirrival Remo, na disputa da final do Campeonato Paraense.

 

Por Gabriel Max

admin

240 posts | 0 comments

Menu Title