Alex Garcia: uma lenda defensiva do NBB

Alex Garcia: uma lenda defensiva do NBB

1
64
0
segunda-feira, 05 abril 2021
Garrafão Verde-Amarelo

Nesta edição, a coluna Garrafão Verde-Amarelo  presta homenagem ao lendário camisa 10 do Brasil: Alex Ribeiro Garcia. O ala-armador de 41 anos, que ainda está em atividade, ostenta um dos currículos mais brilhantes da bola laranja no país. Seja pela Seleção Canarinha há quase duas décadas, NBA ou até mesmo na Euroliga, o “Brabo” esteve presente nos maiores palcos do basquete mundial. Ou seja, nada mais justo do que a Rádio Poliesportiva contar, em detalhes, a trajetória desta lenda nacional. 

Por: Alexandre Victor, São Paulo – SP.

COMEÇO NO BASQUETE

Arremessos com bolas de plástico em tabela de madeira e aro de bicicleta. Desse modo, Alex Garcia e seu irmão, Eduardo, tiveram o primeiro contato com o jogo, em Orlândia-SP, cidade onde passaram a infância. Aliás, Dona Aparecida até tentou manter os dois filhos tanto nas quadras quanto na sala de aula, mas a paixão pela bola laranja falou mais alto na hora de escolher os próximos passos.   

Nesse meio tempo, a trajetória do Brabo contou com passagens pelo interior paulista. Em times de Assis-SP, São José do Rio Preto-SP, Santa Rita do Passa Quatro-SP e pelo COC/Ribeirão Preto-SP. No último, com um elenco que contava com nomes como Nezinho e Arthur, Alex faturou o Campeonato Paulista por três anos consecutivos, 2001-2003, e um Brasileiro, 2003. Como resultado, a grande convocação veio, em 2002, para a primeira Copa do Mundo, disputada nos EUA. 

CARREIRA INTERNACIONAL  

PRIMEIRA OPORTUNIDADE NA NBA

Em seguida, no ano de 2003, aos 23 anos, o ala-armador chamou a atenção de Gregg Popovich, técnico da NBA, durante a disputa do Pré-olímpico, em Porto Rico. Com direito a toco inesquecível em Tim Duncan. Alex, posteriormente, integrou o elenco de pré-temporada do San Antonio Spurs. Contudo, quebrou o pé esquerdo antes do início da temporada regular. Por conta disso, não foi bem aproveitado pela equipe texana. 

NOVA CHANCE EM NEW ORLEANS

Após dois jogos disputados, sofreu nova contusão no joelho direito ainda na temporada como calouro. Como resultado, ao fim da temporada foi dispensado por San Antonio. Porém, a segunda chance na NBA veio com o New Orleans Hornets, em 2004. Durante os oito primeiros jogos, teve um ótimo desempenho com médias de 5.5 pontos e 2.3 assistências, além disso, era titular na rotação da equipe. Infelizmente uma nova lesão, agora no joelho esquerdo, encerrou, de vez, a carreira na liga norte-americana.

PASSAGEM PELA EUROLIGA

Posteriormente, na temporada 2007-08, agora pela equipe do Maccabi Tel Aviv, Alex Garcia voltava às quadras internacionais. Pelo time israelense disputou 23 jogos, com médias de 5.0 pontos e 2.1 rebotes. Por fim, o destaque vai para a disputa da final da Euroliga, derrotando grandes times no caminho como Real Madrid e Barcelona.    

Alex atuou pelo Maccabi Tel-Aviv na temporada 2007/2008 e foi vice-campeão da Euroliga daquele ano (Divulgação/Euroleague)

Reprodução/Euroleague

SUCESSO NO NBB COM O BRASÍLIA

No NBB desde 2008, Alex Garcia tem um currículo invejável. Primeiramente, defendeu a equipe do Brasília, que destronou o Flamengo, de Marcelinho Machado, como grande potência nacional. Ao lado de Giovannoni e Nezinho, acumulou títulos como o tricampeonato do Novo Basquete Brasil (2009-12)  e da Liga Sul-Americana (2010). O Brabo também foi eleito o melhor ala em quatro oportunidades defendendo a equipe brasiliense. No aspecto defensivo, reinou de forma unânime, sendo eleito o melhor defensor da competição nas seis temporadas que atuou pelo time da capital

FÓRMULA SE REPETE POR BAURU

Em 2014, Alex começou sua trajetória pela equipe do Bauru Basquete. Na Cidade Sem Limites entrou para a história trazendo o primeiro e tão esperado título do NBB CAIXA, em 2016. Nesta oportunidade, foi eleito o melhor jogador das finais do torneio (MVP). Além disso, trouxe, de forma inédita também, os troféus da Liga Sul-Americana de 2014 e Liga das Américas 2015 – coroado MVP dos dois torneios. Após passagem de um ano pela equipe do Minas Tênis Clube, na temporada passada, o ala-armador retornou a equipe bauruense. Como resultado, em seis anos, e contando, com o clube do interior, possui médias de 14.0 pontos e 4.5 assistências por jogo.

Acima de tudo, após nove participações no jogo das estrelas e nove prêmios de melhor defensor, Alex, agora com 41 anos, mantém sua eficiência. Recentemente foi eleito capitão do time Brabo no jogo das estrelas deste ano. Ainda por cima faturou a vitória em cima da equipe comandada por Marquinhos, do Flamengo.  

DUAS DÉCADAS PELA SELEÇÃO BRASILEIRA 

Ao longo de duas décadas, Alex participou em diferentes gerações da Seleção Brasileira. Totalizando cinco Copas do Mundo e duas Olimpíadas. Somou ainda títulos de Sul-Americano, Pan-Americano e Copa América pelo Brasil. Entretanto, seu grande momento foi o Pré-Olímpico na Argentina, em 2011. Com desfalques de peso, jogando na NBA, como Leandrinho, Nenê e Tiago Splitter, Alex comandou campanha heróica, encerrando jejum de 14 anos. Por fim, Garantindo vaga para a Olimpíada de 2012, disputada em Londres.

Por fim, o ala-armador vestiu a camisa da seleção para a disputa do Mundial, em 2019, na China. O grande destaque veio, definitvamente, no confronto contra a Grécia, na fase de grupos. Alex, de 1,90m, foi o principal marcador de Giannis Antetokounmpo, ala-pivô de 2,11m, atual bicampeão do prêmio de MVP da NBA. Do mesmo modo, em atuação histórica, o “brabo” limitou o grego a apenas 13 pontos, sendo eliminado do confronto por faltas.

Mesmo com o adiamento, para 2021, dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Alex já deixa claro a ambição de participar de sua terceira Olimpíada pela seleção. Porém, antes de mais nada a seleção canarinha disputa a única vaga disponível no Pré-Olímpico Mundial. A competição acontecerá entre 22 de junho a 4 de julho deste ano.  

Recuperado de lesão, Alex Garcia quer o Mundial da China

Recuperado de lesão, Alex Garcia quer o Mundial da China (Divulgação/CBB)

Foto destaque: Reprodução / Getty Images

Alexandre Victor

Alexandre Victor

Me chamo Alexandre Victor, tenho 22 anos, e curso Jornalismo pela Unesp. Apaixonado por esportes, principalmente pela bola laranja. Twitter: @outroale_victor e Insta: @ale_vitor

5 posts | 0 comments

Comments are closed.