A NBA inaugura uma nova era

A NBA inaugura uma nova era

Like
351
0
domingo, 11 agosto 2019
Basquete

Em raras ocasiões podemos afirmar que uma liga esportiva inaugura uma nova era. Ainda mais sem haver qualquer mudança drástica nas regras ou no formato da competição. Mas essa “nova era” surgiu no horizonte da NBA ainda na metade final da temporada passada, quando Anthony Davis, na época jogador do New Orleans Pelicans, tentava forçar sua saída do time. E por mais que diversos times tenham mostrado interesse no ala-pivô, o plano de Davis era juntar forças com LeBron James (seu ídolo de infância) no Lakers.

A troca acabou não ocorrendo na época e, com a lesão de James, o Lakers sequer foi para os Playoffs, expondo certa deficiência do jovem elenco de apoio do time. Resumindo os demais acontecimentos: o Golden State desfalcado perdeu a final para um surpreendente Toronto Raptors e, consequentemente, a chance de ganhar seu terceiro título seguido. Kawhi Leonard, que havia chegado naquela temporada ao Raptors, passou o trator nos Playoffs e em seguida foi eleito MVP das Finais. Fim de temporada. Chegamos no tão aguardado Draft, e o Pelicans foi sorteado para ter a primeira escolha mais celebrada dos últimos anos: Zion Williamson!

MAS POR QUÊ ISSO TUDO IMPORTA?

Porque tudo que vem a seguir acabou sendo consequência!

Forçar a saída de um time para se juntar a um amigo virou a tônica desta temporada que já ficou conhecida como a A ERA DOS SUPER AMIGOS. Tudo indicava que as franquias estavam atentas aos rumores em torno dos jogadores, que já haviam dado pistas sobre com quem e onde gostariam de jogar, e que queriam ter mais autonomia sobre suas carreiras. O exemplo disso foi o esforço do Pelicans em dissuadir Davis da ideia de sair após a chegada de Zion. Tentaram mostrar que a franquia agora seria mais competitiva, mas de nada adiantou. Logo, para surpresa de zero pessoas, Anthony Davis finalmente assinou com o Lakers antes mesmo da Free Agency* abrir. E isso colocava o time de Los Angeles em vantagem de negociação na possível formação de um trio envolvendo Kyrie Irving ou até mesmo Kawhi Leonard.

As bombas da Free Agency

Mas, assim que a F.A. abre, temos a primeira bomba: Kyrie e Kevin Durant, que haviam sido flagrados numa conversa suspeita durante o All-Star Game, fecham com o Brooklyn Nets. Muitas contratações depois: Butler no Miami, Kemba no Celtics, D’Angelo no Warriors. Nós nos deparamos com uma novela chamada “A Espera Infinita”, estrelada por Kawhi Leonard. Quando finalmente anunciou a sua decisão, surpreendeu até o mais gabaritado dos especialistas americanos, Adrian Wojnarowski, que não imaginava que ela viria acompanhada de mais uma troca forçada: Paul George se juntaria a Leonard no L.A. Clippers, num movimento muito passional de ambos que desejavam jogar na cidade onde cresceram.

E já no apagar das luzes dessa F.A. mais uma surpresa: Russell Westbrook, sem grandes perspectivas no Oklahoma após a saída de George, pede para ser liberado e desembarca em Houston numa troca que envolveu o armador Chris Paul e uma chuva de Picks** dos futuros processos de Draft. Tudo para jogar ao lado do seu colega do início da carreira, James Harden.

Maior FA da década

Não à toa esta é considerada a maior F.A. da década. Pelo menos seis jogadores de nível All-Star mudaram de franquia. Pela primeira vez um MVP das Finais decide sair do time que acabara de ser campeão. A F.A. 2019 se torna ainda mais memorável quando olhamos a próxima F.A. em 2020. Isso porque o melhor jogador livre seria Draymond Green. Porém, este acaba de assinar essa semana uma extensão de quatro anos com seu atual time, Golden State Warriors. O segundo melhor jogador da próxima F.A. seria Kyle Lowry, e o terceiro DeMar DeRozan.

A nova Era chegou, e temos uma NBA remodelada e equilibrada. O impacto será sentido já de cara na abertura da próxima temporada. No dia 22 de outubro, quando teremos não só uma provinha, mas sim o prato principal: Lakers x Clippers. Confronto das duas maiores potências da conferência Oeste (pelo menos no papel). E para “sobremesa”, o badalado novato Zion estreia contra os atuais campeões. Ansiosos? Pois é! Eu não terei mais unhas pra roer até lá. #PodeVirNBA

Glossário

*Free Agency (F.A.) – período entre as temporadas que jogadores em fim de contrato podem decidir renovar ou trocar de clube livremente. Mas sempre de acordo o interesse de ambas as partes e a regras vigentes no seu contrato anterior. 

**Picks – Do inglês, significa escolha. No caso da NBA as expressão “Pick” se refere a escolha no Draft. Esse é o processo seletivo de ingresso de jovens na NBA, vindo da liga de basquete universitário (NCAA). Ou de outras ligas.

Foto destaque: Edição/Felipe Teixeira

Felipe Teixeira

Felipe Teixeira

2 posts | 0 comments

Comments are closed.