A dinastia de 13 temporadas do Boston Celtics

A dinastia de 13 temporadas do Boston Celtics

1
197
0
terça-feira, 30 junho 2020
Basquete

Sejam bem-vindos mais uma vez a Coluna Step-Back pela História. Nela contamos acontecimentos que marcaram e transformaram o amado esporte da bola laranja na sua competição principal. Portanto, a coluna desta semana contará a história da maior dinastia vivida na NBA. O Boston Celtics entre os anos de 1956 e 1969 conseguiu incríveis 11 títulos em 13 temporadas. Se você gosta de basquete e quer conhecer mais sobre essa soberania, então, venha conosco mergulhar nos grandes feitos de Red Auerbach, Bill Russell e cia.

Por Yuri Murta, Rio de Janeiro-RJ

HISTÓRIA

Como em toda grande história, sempre o inicio dela é anterior ao começo do sucesso, a hegemonia do Celtics não é diferente. Inegavelmente que o começo dessa história é o ano de 1950. É nesta data em que Walter Brown convida Red Auerbach para ser técnico de uma franquia que estava a beira da falência e muda completamente o rumo da história. No mesmo ano, uma série de acontecimentos na liga fizeram com que Brown e Auerbach tivessem que receber no elenco o jovem Bob Cousy. Com a chegada dos dois o time melhorou muito e conseguiu ir bem em alguns playoffs, entretanto, faltava peças para voos mais longos.

Foi, então, na temporada 1956-57 que o Boston Celtics se tornou o terror da NBA. Um ótimo trabalho em negociações e no Draft fizeram com que Auerbach conseguisse duas jovens promessas, eram eles: Bill Russell e Tommy Heinsohn. Os jovens liderados em quadra logo se tornaram realidades e dominaram a NBA. Russell virou a estrela da companhia e seu poder defensivo era impressionante. Com Bill dominando o garrafão e Heinsohn sendo considerado o melhor calouro do ano (rookie of the year), o Boston venceu a NBA e começou o seu domínio.

A partir do título de 1956-57, a NBA mudaria para sempre. Foram 11 títulos em 13 temporadas, além de diversos outros recordes. Pela primeira vez, um time “varreu” uma final de NBA. Foram 13 os jogadores desse Boston Celtics que entraram posteriormente para o Hall da Fama. Ademais, entre os anos de 1957 e 1963, os Celtas contavam com 8 futuros hall da famas no elenco. A dinastia é até hoje a maior de todos os tempos e muitos consideram esse time o maior “Supertime” da história. Agora falaremos de ídolos e títulos.

ÍDOLOS

Primeiramente, antes de irmos para jogadores, temos que reverenciar e contar a história do homem que mudou o Boston Celtics: Red Auerbach. O lendário técnico dessa dinastia não tem a sua história resumida apenas ao banco de reservas. Auerbach foi um homem a frente do seu tempo. Ignorando qualquer tipo de preconceito, o mesmo foi o primeiro técnico a selecionar um jogador afro-americano para seu time em 1950.

Foi também o primeiro a colocar jogadores negros como titular. Depois de se aposentar com 9 títulos com técnico, se tornou General Manager do Celtics. Além disso, o mesmo também foi Presidente e Vice-Presidente da Franquia. O mais importante ensinamento do treinador que da nome ao prémio de melhor treinador do ano foi o de amar o time em que joga e seus companheiros.

Se fora da quadra quem comandava era Auerbach, dentro de quadra o dono era Bill Russell. O Pivô foi um dos maiores defensores que a NBA já viu, mantendo uma média impressionante de 22,5 rebotes por jogo dentro de toda a sua carreira. Ademais, mesmo com uma série de lesões, Russel perdeu apenas 2 jogos em toda a sua jornada e atuou em uma final com um braço quebrado. Bill marcou história e ainda é o maior campeão da NBA, estando nos 11 títulos da dinastia.

Nos últimos dois, Russell, além de jogador, era técnico também. Com isso, o mesmo foi o primeiro afro-americano a ser técnico na NBA e a ser campeão. Mesmo jogando em uma cidade de origem irlandesa e predominantemente branca, Bill Russel sempre teve sua voz ativa contra o racismo e sua luta marcou época. Sem dúvidas, Bill Russell é um dos maiores da NBA.

1957 – O COMEÇO DE TUDO

O primeiro título é considerado para Auerbach o mais difícil de todos. Segundo o mesmo, uma vez que, foi o mais difícil, foi também o mais prazeroso. Tal fala se trata pelo valor de pela primeira vez você se considerar campeão mundial. Além disso, o título veio de tal forma que ficou marcado na história. Segue o resumo de como foi a temporada:

Na temporada regular, o Boston Celtics surpreendia a NBA com os seus dois calouros e Bob Cousy. Os Celtas ficaram na segunda colocação geral e lideraram a conferencia leste com 6 vitórias de vantagem para os demais. Russell liderou em rebotes com media de 19,5, enquanto que Cousy liderava em assistências. Por sua vez, Tommy Heinsohn recebia o premio de calouro da temporada.

Nos Playoffs, por ser a melhor campanha da conferencia leste, o Celtics foi direto para as finais do leste. Lá enfrentaria o Syracuse Nationals. Com três vitórias seguidas, o time de Boston eliminou seu adversário e chegou na grande decisão. Red Auerbach finalmente chegava aonde queria.

Nas grandes finais, lá estava o St. Louis Hawks. Vale ressaltar, que era esse o time que havia draftado Russell e que o trocou pelo grande jogador Ed Macauley e Cliff Hagan. Era a chance de mostrar que tinha feito a coisa certa na negociação. Embora, durante o campeonato, o Celtics tenha vencido sete dos nove duelos entre as equipes, a final seria completamente equilibrada. Com jogos decididos nos minutos finais, a decisão ia para o sétimo jogo. De fato, foi a final dos sonhos. O jogo que todo torcedor quer ver, grandes jogadas, duas prorrogações e no fim vitória do Boston Celtics por 125-123. Era o primeiro título de Russel, Heinsohn e cia.

1959 – A SUPERIORIDADE IMPOSTA

Ainda que tenha tido o revês das finais de 1957-58 para o St. Louis Hawks, o Boston Celtics era considerado por muitos o melhor time da NBA e provaria isso na temporada seguinte. Entretanto, preconceito racial era uma problemática no ano. Apesar do time Celta e da Liga estarem a favor da integração, Bill Russell e outros jogadores negros sofriam com o preconceito, principalmente quando atuavam fora. Russell chegou a ter a sua casa invadida em dado momento. Apesar disso, Auerbach uniu o time em um espirito de grupo e de conquistas e jogadores com Cousy compreendiam e apoiavam as ações e lutas de Russell.

A união do elenco e uma melhor significativa no banco com a chegada de KC Jones fizeram com que a temporada regular da franquia fosse ainda mais arrasadora. Ao final, foram 52 vitorias e 20 derrotas e uma vantagem de 12 vitórias para o segundo colocado. Syracuse Nationals era de novo o adversário da conferencia leste. No entanto, dessa vez seria muito mais difícil, os Nationals obrigaram a sétima partida e chegaram a estar vencendo bem elas, mas Heinsohn, no que diz ser o melhor jogo da sua vida, ajudou aos Celtas espantando a zebra e levando as finais.

Nas finais o Boston Celtics enfrentaria o dono da primeira dinastia da história da NBA, o Minneapolis Lakers que venceu cinco títulos em seis temporadas. No entanto, o time de Minneapolis ter chegado na final era considerado um milagre por todos. Além disso, o confronto entre as duas equipes tinha amplo favoritismo do time de Massachusetts que havia vencido 18 vezes seguidas o duelo em duas temporadas. O Boston Celtics venceu os quatro jogos da série e confirmou a primeira “varrida” da história da NBA.

1962 – O INÍCIO DO MAIOR CLÁSSICO

Apesar de a temporada 1958-59 ter sido a primeira a ter uma final Celtics x Lakers, foi na época 1961-62 que teríamos o maior clássico pela primeira vez em finais da forma que conhecemos hoje: Boston Celtics x Los Angeles Lakers.

Na temporada regular, mais uma vez, o Celtics liderou tranquilamente com 60 vitórias e 20 derrotas. Na final de conferencia encontraria o Philadelphia Warriors do cestinha Wilton Chamberlain. A grande vitória do Celtics foi vista com bons olhos pelo técnico do L.A Lakers, que acreditava que seria mais fácil enfrentar o time de Massachusetts

No entanto, a final mostrou o contrário. Logo no primeiro jogo, vitória fácil do Boston em casa pelo placar de 122-108. No jogo dois, diante do novo recorde de público da NBA (15.180), veio o troco dos Lakers. Após isso, mais duas vitórias de cada obrigaram um sétimo e decisivo confronto.

Na partida final, o último quarto chegou a ter o placar de 100 x 100 em uma grande recuperação do Lakers. Na última bola, após erro do time de Los Angles, Bill Russell pegou o rebote e assegurou o tempo extra. Uma ótima atuação de Sam Jones garantiu a vitória no placar de 110 x 107.

1966 – O ÚLTIMO TÍTULO DE RED AUERBACH

A temporada 1965-66 representava risco para a dinastia do Boston Celtics. A aposentadoria de Heinsohn e o crescimento do Philadelphia 76ers, mostravam uma fragilidade do time que somava sete títulos consecutivos. O time da Pensilvânia tomou o primeiro lugar da conferencia leste dos Celtas na temporada regular, enquanto que o Lakers andava de braçada na conferencia leste. 

Nas finais de conferencia, o Lakers conseguiu superar o St Louis Hawks em uma grande disputa. Já no leste, o confronto entre Celtics e 76ers aconteceria. No entanto, a lesão grave do craque Chamberlain, fez com que o Philadelphia fosse presa fácil e perdesse por 4 x 1. 

De novo o título da NBA seria decidido com o grande clássico. Após a vitória do time de Los Angeles no primeiro jogo, o lendário técnico Red Auerbach anunciou que se aposentaria no final da temporada e que Russell assumiria o lugar. Para muitos, o psicológico estava com o Lakers, entretanto, Sam Jones em um jogo brilhante mostrou o contrario e com 32 pontos ajudou a empatar o confronto. O último truque do craque Auerbach surgiria nos dois jogos fora de casa. Uma nova forma de marcar, deixou o time do Lakers perdido e determinou um 3 x 1 na série. 

Do outro lado, o técnico Fred Schaus devolveu o nó tático e empatou a série. O Boston Garden sediaria, então, o último jogo de Auerbach. Mais uma vez, a defesa do Celtics comandava o jogo. No entanto, os Lakers conseguiram uma grande recuperação cortando a diferença para dois pontos. No momento crucial, apareceu o craque. Bill Russell pegou o seu rebote de numero 32 e sofreu a falta para garantir o título.

1969 – O FIM PERFEITO

Depois de conquistar o 9º título juntos, Bill Russell afirmou que como técnico seguiria os passos de Auerbach. A idolatria era tamanha que Russell afirmou após o título de 1966:  “Eu vou apenas seguir a Red, o maior gênio da história do basquete”. Tudo parecia ter terminado, uma vez que, pela primeira vez em uma década, o Boston Celtics não conseguira chegar na grande decisão. No entanto, o time liderado por Russell conseguiu superar seus grandes adversários e voltar a ser campeão na temporada 1967-68.

Chegávamos, então, no último ano da dinastia. O fraco desempenho do já veterano e agora treinador Russel combinava com as lesões de Sam Jones. Ao mesmo tempo, a dupla John Havlicek e Bailey Howell conseguira carregar o time da temporada regular para os playoffs. Inegavelmente, a fraca campanha de quarto lugar da conferencia mostrava a fragilidade do Boston Celtics. Eventualmente, por causa disso, o time não teve nenhum destaque nos times eleitos da NBA, a não ser o grande Russell para o time defensivo da liga. 

Como resultado da experiencia e da força da camisa, mesmo com o time fragilizado, o Boston Celtics superou os dois duelos das conferencias contra o Philadelphia 76ers e o New York Knicks e chegou a final. Mesmo que os Celtas tivesse mostrado poder de recuperação, todos esperavam uma revanche dos Lakers na final. 

AS DUAS DECISÕES FINAIS

Os Lakers com grandes atuações de Jerry West vencem as duas primeiras e confirma o favoritismo. No entanto, surgiu a força da camisa verde. Ao mesmo tempo em que a torcida Boston Celtics empurrava o time, John Havlicek em quadra guiava para a primeira vitória. O empate vem nas mãos de Sam Jones que com uma “bola espírita” deixa o confronto igual.

Depois de uma vitória para cada lado, mais um jogo 7. A força da camisa verde superava a superioridade californiana e chegaria a abrir nove pontos de diferença no último quarto. No entanto, Jerry West volta a aparecer e com um triplo-duplo se torna o primeiro jogador a ser MVP de uma final, ao mesmo tempo que perde ela. Portanto, a tradição celta supera tudo e todos e vence o seu 11º título em 13 temporadas. 

Depois de 3 meses, Bill Russell define a sua aposentadoria e consequentemente o fim da dinastia do Boston Celtics. O jogador marcou época e por muitos anos foi o maior e mais influente jogador até o surgimento de Michael Jordan. Sem dúvidas, esse Celtics de Red Auerbach e Bill Russell será para sempre lembrando. Ademais, os recordes de títulos desse “Supertime” é praticamente impossível de ser superado nos moldes da nova NBA. 

RESULTADOS DE TODAS AS FINAIS

Resultado das finais durante a dinastia

Resultado das finais durante a dinastia. Fonte: Wikipedia

Foto Destaque: Getty Images/ Colaborador: Bettmann 

Yuri Murta

Yuri Murta

Estudante de jornalismo e geografia, apaixonado por esportes no geral e por tudo que o cerca. Isso define quem é Yuri Lima Murta. O amor principalmente pelo basquete e futebol vem desde pequeno e o g[...]

65 posts | 0 comments

Comments are closed.