Vettel vence e respira na liderança do Mundial

Vettel vence e respira na liderança do Mundial

Like
529
0
segunda-feira, 31 julho 2017
Fórmula 1

Foi um fim de semana como sempre quis Sebastian Vettel. No travado e tradicional circuito de Hungaroring após a pole conquistada no sábado aliada ao humilde quarto posto de Lewis Hamilton no grid, o tetracampeão alemão (apesar dos pequenos problemas em seu bólido) conquistou a vitória para a Ferrari com Kimi Raikkonen em segundo.

Corrida

A largada foi boa para os ferraristas, que dispararam na ponta após boa largada de seus pilotos. Vettel seguiu na ponta, com Raikkonen no encalço e Bottas em terceiro. As Red Bulls largaram bem também, e Hamilton chegou a cair para sexto ao ser ultrapassado pelos pilotos da equipe austríaca. Mas já na segunda curva Verstappen tocou Ricciardo, que teve o radiador furado e não teve condições de seguir na prova após rodar. Verstappen seguiu na pista e tomou uma punição de 10 segundos pelo incidente. Toda a confusão gerou a entrada do safety car para a limpeza da pista e retirada do carro de Ricciardo. Além do ocorrido com Ricciardo, outros detalhes foram notados na largada. A briga de Hulkenberg e Grosjean, que fez o francês passear na área de escape, além da excelente largada de Pérez, que levou sua Force India do 13º posto para oitavo.

Na relargada, Vettel procurou manter a liderança. Bottas não conseguia atacar com efetividade Raikkonen. E Hamilton seguia em quinto sem conseguir atacar Verstappen. Vettel então começou a abrir vantagem, sobretudo para Hamilton que não tinha um bom ritmo atrás de Verstappen. Bottas também não conseguia acompanhar Raikkonen e a Mercedes vivia um raro momento onde não tinha bom desempenho nas últimas temporadas. Enquanto a corrida seguia desenhada para a Ferrari e pouco conseguiam os pilotos dentro da travada pista magiar, a Red Bull tinha em mãos um atipicamente revoltado Daniel Ricciardo. O boa praça não engoliu o toque recebido por Verstappen que causou sem abandono e reclamou muito principalmente para o consultor Helmut Marko. Ricciardo chegou a chamar Verstappen de amador pelo acontecido.

Na volta 23 um amadorismo de verdade aconteceu. Foi quando Grosjean parou seu carro nos boxes para troca de pneus. Ao sair do pit lane, momentos depois foi informado pelo rádio que um de seus pneus não estava perfeitamente preso. A imagem mostrou bem o pneu solto no carro do francês, após erro da equipe Haas. Grosjean apenas encostou o carro numa área de escape e por lá ficou, abandonando a prova. Na volta 31, o primeiros dos ponteiros da prova parou, e este foi Bottas. De pneus macios e novos, o finlandês começou a tentar andar forte para na estratégia, superar a Ferrari de Raikkonen. Na volta seguinte Hamilton também fez sua troca com a mesma intenção. Na 33 veio Vettel para a sua parada e na seguinte, Raikkonen também parou. Após as paradas dos quatro, Verstappen assumiu a ponta provisória, enquanto Raikkonen por muito pouco não arrancou a liderança de Vettel.

Enquanto isso no meio do grid, experiência e juventude ibérica duelavam de forma linda na pista húngara. Alonso em grande prova com a McLaren seguia brigando pela sexta posição com Carlos Sainz de Toro Rosso. Após várias tentativas, Alonso na curva 2 botou seu bólido por fora e passou com grande manobra Sainz, arrancando aplausos do público. Mais a frente, a Ferrari já não sobrava em relação as Mercedes, que se aproximavam rapidamente. Vettel era líder após parada de Verstappen (que pagou a punição ganha na largada junto ao pit) tinha algum problema de alinhamento em seu bólido e perdia rendimento no segundo stint por isso. Raikkonen, limitado atrás de Vettel sofria com o desempenho também. E quando as Mercedes chegaram, a sorte da Ferrari foi de estar num circuito muito travado.

Na volta 46, a Mercedes fez um jogo de equipe entre seus pilotos. Bottas que sempre esteve a frente de Hamilton cedeu a posição ao companheiro inglês para que este tentasse o ataque sobre Raikkonen. Como Bottas não conseguiu, Hamilton teve a mesma chance, e caso ultrapassasse poderia avançar. Bottas recebeu um rádio que o informava que teria a posição de volta caso Hamilton não tivesse sucesso nos ataques a Raikkonen. Hamilton tentou, mas não conseguiu ultrapassar, perdendo a frente do carro em alguns ataques.

No fundão do grid, alguns abandonos no fim da prova. Paul di Resta que voltava a Formula 1 como piloto titular após quatro anos, em substituição a Felipe Massa que sofre de uma virose na Williams, fez prova discreta e com um carro sem qualidade para pistas muito travadas, se limitou a andar em frente aos carros da Sauber. Raikkonen quando abriu volta no britânico soltou um de seus memoráveis áudios, algo como “ele deveria voltar a comentar as provas se não consegue andar rápido”. Raikkonen sempre ácido nos rádios, citou isso com relação às participações de Di Resta nas transmissões inglesas, onde ele é o principal substituto do comentarista Martin Brundle, que também já correu na Formula 1. Hulkenberg também abandonou, um pouco depois de numa briga com Magnussen por posição foi jogado para a grama pelo dinamarquês, que espalhou para manter a posição.

E não dava tempo para mais nada. Vettel venceu o Grande Prêmio da Hungria, mesmo enfrentando problemas. Raikkonen segurou a segunda posição e não deu chances nem para Bottas e nem para Hamilton. Ao fim da prova, Hamilton devolveu a terceira posição para Bottas, cumprindo o combinado com a equipe. Verstappen foi quinto e Alonso foi sexto, após grande prova. Sainz foi sétimo em boa prova pela Toro Rosso. Novamente as Force India foram aos pontos, com Perez em oitavo e Ocon em nono. Vandoorne também levou a McLaren aos pontos e a tradicional equipe sente uma pequena melhora nas últimas provas. Kvyat, Palmer, Magnussen, Stroll, Wehrlein e Ericsson completaram o grid dos que chegaram. Hulkenberg, Di Resta, Grosjean e Ricciardo não completaram a prova, que pela primeira vez desde 1982 não teve um brasileiro sequer no grid.

 

Sequência

Após a prova Hulkenberg reclamou de Magnussen, que ao vivo numa entrevista soltou palavras de baixo calão ao alemão da Renault, que apenas virou as costas e foi embora. No pódio, Vettel comemorava os agora 14 pontos de vantagem a Hamilton na liderança do campeonato. São 202 pontos contra 188. Bottas agora tem 169 pontos, vivo na luta. Ricciardo estacionou nos 117 e tem Raikkonen na cola com 116. Embora longe de qualquer disputa, quem roubou a cena mesmo na festa do pódio foi Fernando Alonso. Cada vez mais curtindo sua estadia na Formula 1, o asturiano tirou onda no paddock e enquanto os pilotos estouravam a champagne, ele tomava sol numa cadeira de praia, segurando uma placa desejando boas férias em clima de descanso.

Alonso foi o homenageado. Comeomrou o aniversáio. Foto: The Official Formula 1® Account

Após um período de férias na categoria, as corridas voltam aos domingos apenas em 27 de agosto, no GP da Bélgica que será realizado no mítico circuito de Spa-Francorchamps, pista que deve favorecer a Mercedes. Mas após as férias, tudo pode acontecer, e tudo você fica sabendo na Rádio Poliesportiva!

 

Foto de capa: : The Official Formula 1® Account

Redator da matéria: Danilo Dias de São Paulo.

Paulo Arnaldo do Amaral Lima

Paulo Arnaldo do Amaral Lima

468 posts | 2 comments