Clássicos da Fórmula 1: Um brasileiro pioneiro

Clássicos da Fórmula 1: Um brasileiro pioneiro

Like
887
1
quarta-feira, 05 julho 2017
Automobilismo

Foi a primeira vez que a Europa se curvou ao automobilismo brasileiro. E não foi com uma vitória de Emerson Fittipaldi, nos anos 1970, ou de Nelson Piquet nos anos 1980. O primeiro piloto brasileiro a vencer um GP na Europa foi Chico Landi em 1948, em Bari, na Itália. O GP de Bari tinha sido criado em 1947, com o fim da Segunda Guerra Mundial e o renascimento da paixão pelo automobilismo. Era disputado por carros de Fórmula 1 (a categoria já existia, o que não havia, era o campeonato).

Chico Landi foi convidado a disputar o GP inaugural, com uma Maserati alugada. Sucesso total. Largou na pole e liderava a prova quando teve que abandonar. O bom resultado o animou a tentar a sorte em 1948, junto com outro piloto brasileiro chamado Rubem Abrunhosa. Chegando em Bari, os brasileiros souberam que não iriam correr, pois seus carros não correspondiam as especificações da prova. Rubem Abrunhosa voltou ao Brasil protestando contra a organização, que arranjou uma Ferrari para que Chico Landi pudesse correr.

A Ferrari não se inscreveu como equipe, mas tinha dois carros em Bari: um ficou com Chico Landi, e o outro com ninguém menos que Tazio Nuvolari, uma das maiores lendas do automobilismo mundial. Também eram favoritas as Cristalias dos italianos Achille Varzi e Felice Bonetto.

Outros grandes nomes eram dos italianos Piero Taruffi e Giuseppe Farina (que seria o primeiro campeão mundial de Fórmula 1). Landi liderou a prova desde o início e disputou a vitória com Bonetto. Os dois chegaram a se tocar, e o italiano acusou o brasileiro de ser desleal. Ninguém acreditou. Landi venceu e se tornou ídolo em Bari.

Landi voltaria outras vezes a correr em Bari, e conquistou outra vitória em 1952, também pilotando uma Ferrari, dessa vez reservada a carros esporte. O GP de Bari foi disputado pela última vez em 1956. Entre os seus vencedores estão os italianos Alberto Ascari e Giuseppe Farina, os argentinos Juan Manuel Fangio e José Froilan Gonzálerz, o francês Jean Behra e o inglês Stirling Moss.

Antes de Rubens Barrichello, Chico Landi era o único piloto brasileiro a aparecer como piloto oficial da Scuderia Ferrari. Na época em que as corridas se chamavam Grand Prix, Landi defendeu o time do cavalinho rampante apenas no GP da Itália de 1951 e não marcou pontos. Em 1952 e 1953 foi piloto da Maserati. Sem apoio, voltou para o Brasil e só retornou a Fórmula 1 em 1956 aos 49 anos, novamente pela Maserati, no GP da Argentina. Recebeu a bandeirada em quarto lugar e, ao final da temporada ficou em vingésimo quinto lugar com 1,5 ponto. Chico Landi dizia que pra vencer uma corrida, eram preciso três coisas: “sorte, depois, mais sorte; e, finalmente, muita sorte”.

Francisco Sacco Landi, nasceu no dia 14 de julho de 1907, e faleceu no dia 7 de junho de 1989.

 

Foto de capa: The Cahier Archive

 

Redator da matéria: Luiz Máximo.

Luiz Máximo Moreno Morelo

Luiz Máximo Moreno Morelo

297 posts | 0 comments