Brasil sofre virada e fica com o vice  desta temporada

Brasil sofre virada e fica com o vice desta temporada

Like
143
0
domingo, 07 julho 2019
Liga das Nações

Por: Clinton Dias, de São Paulo, SP

Seleção brasileira abre 2 sets a 0, mas vê Natália sair lesionada e americanas crescerem para levar o bicampeonato consecutivo

O sonho de conquistar o primeiro título da Liga neste ano vai ficar mais uma vez adiado às brasileiras. Na segunda edição de torneio decidida em Nanquim, na China, novamente o troféu vai aos Estados Unidos, que nesta manhã venceu o Brasil na decisão por 3 sets a 2, com parciais de 20/25, 22/25, 25/15, 25/21 e 15/13 e conquistaram o segundo título em seguida da competição internacional.

Em uma atuação impecável, Andrea Drews foi o nome da final. Com 33 pontos e um aproveitamento de 54% (32/59) dos seus ataques, a americana teve uma performance de gala nesta decisão. Do lado brasileiro, Gabi e Lorenne fizeram 20 pontos cada uma, mas não foram suficientes para parar o ímpeto americano.

O jogo

Após atropelar a Turquia na semifinal, neste sábado, o Brasil entrava na decisão como um “franco atirador”, já que pegava uma seleção americana, atual campeã, favorita e mais experiente. O início do primeiro set, as norte americanas se impõem e abriram 4 pontos de vantagens sobre as brasileiras, que encontravam dificuldades no encaixe da partida. Entretanto, após a parada do segundo tempo técnico, quando as americanas lideravam por 16/14, o Brasil voltou melhor. Mara que anotou 15 pontos no confronto, não deixava passar nada em sua frente e com Bia também bastante eficiente, o time do José Roberto Guimarães virou o set e fechou em 20/25, abrindo a decisão em vantagem.

Na segunda parcial, o Brasil viveu dois momentos distintos que mudou sua forma de atuar. Com bastante equilíbrio entre as equipes, nenhuma das duas seleções se desgarravam do placar, até que Natália, uma das principais jogadora da seleção brasileira e do campeonato, sentiu um desconforto na perna esquerda e teve que deixar a partida, dando lugar para Amanda. Mesmo com essa baixa, o Brasil ficou melhor. Gabi, que vai jogar no voleibol europeu, mostrou sua qualidade e conduziu o Brasil na base da raça e de muita intensidade para fechar o segundo set em 22/25 e ficava a um set do título tão esperado.

O terceiro set começou tenso, porque as americanas tinham que ganhar todos os sets em sequência e o Brasil precisava seguir com o empenho que deixou no set anterior. Desde o início, as norte americanas começaram liderar o placar e a oposta Andrea Drews, que já vinha fazendo uma boa atuação, aumentou ainda mais seu nível de jogo e com tranquilidade os EUA fechou o set em 25/15, sem dar muitas chances às brasileiras que pouco fizeram para reagir nesta parcial, apesar das mexidas e das paradas de Zé Roberto.

Ainda atrás do placar, as americanas viram o Brasil voltar a crescer na partida. A levantadora, Macris, que fez uma competição em altíssimo nível, distribuía o jogo da melhor forma possível e pressionava os Estados Unidos contra a parede, entretanto a solidez e a experiência dos EUA voltou à ativa. Errando bastante e com pedidos de tempo de Zé Roberto, para quebrar o ritmo, as americanas empatava o jogo em 25/21 e levava a decisão ao tie-break.

No set decisivo e o último do torneio, ambas equipes estavam pressionadas, ainda mais o Brasil que abriu 2 a 0 e ainda viu uma das suas principais jogadores sair machucada. Pouco importou para as americanas. Após tomar frente do placar no 5/4, os Estados Unidos não perderam mais o ritmo da partida. Mesmo com dois pontos seguidos no final, que deu um susto nas americanas, no último ataque Carol tocou na antena e as americanas fechou o jogo em 15/13 e o bicampeonato consecutivo da Liga das Nações.

Foto: FIVB / Galeria de fotos


Apesar da derrota a seleção brasileira sai com um saldo positivo, já que era bastante contestada. Com as dificuldades que teve ao longo do torneio a equipe atuou em alto nível e volta às quadras entre os dias 1 e 3 de agosto, pelo Pré Olímpico, que será disputado em Uberlândia, Minas Gerais, em busca de uma vaga nos Jogos de Tóquio, no ano que vem.

Disputa do 3º lugar

Um pouco mais cedo, China e Turquia disputaram a terceira posição do torneio. Melhor para as anfitriãs, que com parciais de 25/23, 25/15, 20/25 e 25/21, fizeram 3 sets a 1 e saíram aplaudidas por sua torcida que marcou presença nesta semana, em Nanquim.




Foto em destaque: FIVB / Galeria de fotos

Clinton Dias

Clinton Dias

36 posts | 0 comments

Comments are closed.