Entrevista Especial Poliesportiva – André Loffredo

Entrevista Especial Poliesportiva – André Loffredo

2
1307
0
segunda-feira, 26 setembro 2016
Outros Esportes

Jornalista com passagens pelas Revistas Veja e Placar, jornal Lance!, site UOL e Comitê Olímpico Brasileiro, o paulistano André Loffredo, atualmente comentarista dos canais SporTV e Premiere, contou em entrevista exclusiva à Rádio Poliesportiva como foi a sua experiência na cobertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e foi abordado sobre o atual momento vivido pelo esporte e jornalismo esportivo no Brasil.

André Loffredo participou diretamente da cobertura do canal de TV a cabo, Sportv, durante os jogos Rio 2016. Foto: Sportv/Globo

Desde 2006 no SporTV, Loffredo relatou que a preparação da emissora para o ciclo Rio 2016 começou logo após o final da Olimpíada Londres 2012. O canal fez uma cobertura inédita, com a abertura de 16 canais dedicados ao megaevento com a transmissão de todas as modalidades.

“O SporTV começou a se preparar para Rio 2016 no final de Londres 2012. Uma parcela da diretoria já tinha a pretensão de ter 16 canais e fazer uma cobertura grandiosa como acabou sendo e aos poucos nós profissionais fomos informados sobre em quais eventos iríamos trabalha. Ao longo dos anos, os narradores e comentaristas puderam acompanhar o ciclo olímpico, e o que eles iam acompanhar e desenvolver na Rio 2016”, disse Loffredo.

O jornalista destacou que a imprensa mundial ficou boquiaberta com o tamanho da cobertura do SporTV nas duas semanas do megaevento.

“Foi sensacional em todos os aspectos. Foi uma cobertura histórica no jornalismo mundial, inclusive redes de televisão do mundo todo, como as dos Estados Unidos, ficaram chocadas com o que foi projetado e efetuado. Todo mundo teve a certeza que nunca aquilo foi feito daquela forma. Duvido que veremos novamente uma cobertura jornalística tão grandiosa. Foi também sucesso em termos de audiência”, contou.

Durante toda a Olimpíada, tanto os colaboradores do canal, quanto os jornalistas do exterior ficaram impressionados com o empenho do Sportv para a cobertura da Rio 2016. Foto: Sportv/Globo.

Assim como outros profissionais da imprensa e parte da população mundial, Loffredo não nutria muitas expectativas de sucesso da primeira Olimpíada realizada na América do Sul, porém, admitiu que tanto para o público como para a imprensa, o megaevento transcorreu sem grandes problemas.

“As expectativas não eram boas, temos que reconhecer que o mundo esperava que seria um fracasso, assim como muitos brasileiros. Muita coisa foi feita em cima da hora, com menos dinheiro do que se espera. Fizemos dentro de nossa maneira. Talvez não seja a melhor forma e temos que melhorar nisso. Mas funcionou bem para a imprensa e para o público. Foi um evento sensacional”, afirmou.

Loffredo foi questionado se a monocultura especialmente direcionada ao futebol no Brasil pode ser quebrada após a Rio 2016. Ele disse não acreditar nisso e destacou que o esporte trazido por Charles Miller dá muito dinheiro as empresas.

“Não acredito. Acho que podemos ter por algum tempo olhos voltados a outros esportes, principalmente daqueles que a gente gosta mais, mas daqui a quatro anos voltaremos ao mesmo ponto. O brasileiro é muito voltado ao futebol, que é o esporte que dá dinheiro. Então, as empresas estão interessadas no futebol. Já até vemos o apoio de algumas empresas a outros esportes, mas o retorno está no futebol e não vejo isso mudando em quatro anos. Acho que pode haver uma melhora. O futebol não tem concorrente no Brasil”, concluiu.

Por Rafael Alaby

Avatar

admin

240 posts | 0 comments